Edição anterior (2501):
segunda-feira, 13 de setembro de 2021
Ed. 2501:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2501): segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Ed.2501:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas


 

 

Aristóteles Drummond
 
Há dias, quando do aniversário do ex-deputado Rubem Medina, com nove mandatos pelo Rio, ocorreu-me lembrar aqui o seu trabalho, do irmão Roberto, criador do Rock in Rio, e de seu pai, Abraão Medina. Este foi o maior comerciante de eletrodomésticos da cidade com as lojas Rei da Voz, patrocinadora do inesquecível Noites Cariocas, da TV Rio, revelador de uma safra de notáveis de nossa música popular e com o grande repórter Flávio Cavalcanti, célebre autor de reportagens históricas. 
Quando o Rio comemorou seu quarto centenário, foi Abraão Medina, com talento, idealismo e visão, quem provocou a mobilização do governo Carlos Lacerda e do empresariado para um marcante projeto de eventos. E foi ele o maior investidor das ações em diferentes setores.
Depois veio a se verificar que o legado ao Rio do empresário ultrapassaria sua passagem na terra, ao deixar nos filhos a herança do amor ao Rio e a dedicação de uma vida a servir com excelência. A agência de propaganda Artplan, de Roberto, foi a primeira no Brasil a ter uma sede construída para este fim, dotada do que havia de moderno na ocasião. 
Rubem foi um parlamentar dedicado aos mandatos, presente em Brasília, tendo tido passagens por cargos no Estado e no Município. Respeitado como homem superior, vítima de ingratidões que só Freud explicaria, ao lhe ser negado o espaço político que fazia jus, não foi o governador que o Rio merecia ter tido.
Roberto, e já com sucessão consagrada na filha Roberta, liderou a campanha de emancipação da Barra da Tijuca, região que muito ajudou a se consolidar como zona moderna da cidade. Empreendeu espetáculos de nível internacional – a ele devemos a vinda do imortal Frank Sinatra ao Rio – e chegou ao apogeu com o vitorioso Rock in Rio. 
Agora que o Rio busca recuperar relevância, devemos não só reverenciar essa exemplar família, mas, pelo reconhecimento que merece, estimularmos novas dedicações. Obrigado Abraão Medina! Valeu!  
 


Edição anterior (2501):
segunda-feira, 13 de setembro de 2021
Ed. 2501:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2501): segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Ed.2501:

Compartilhe:

Voltar: