Edição anterior (2457):
segunda-feira, 02 de agosto de 2021
Ed. 2457:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2457): segunda-feira, 02 de agosto de 2021

Ed.2457:

Compartilhe:

Voltar:


  Bem Estar Animal

Saiba como cuidar bem do seu pet idoso


 Existem diferenças nas idades em que um gato e um cão são considerados idosos

 
Os pets idosos precisam de cuidados redobrados. A médica-veterinária e coordenadora de Comunicação Científica da Royal Canin, Priscila Rizelo, alerta sobre a importância de sensibilizar os tutores a respeito das questões do envelhecimento de gatos e cães, e explica as principais características e comportamentos dos bichanos com o avançar dos anos.

Quando o gato ou o cão fica idoso?

De acordo com a veterinária, existem diferenças nas idades em que um gato e cão são considerados idosos. "Eles começam a envelhecer em idades diferentes. De modo geral, o envelhecimento ocorre em duas fases, mas isso também se modifica de acordo com a espécie e com o porte, no caso dos cães. A primeira fase é a que inicia o processo de envelhecimento, quando consideramos o pet um adulto maduro, e a segunda é onde de fato o pet já é considerado um idoso. No caso dos gatos, o amadurecimento começa aos sete anos, e aos 12 anos o felino é considerado idoso", diz. Já com os cães é um pouco diferente, de acordo com o porte. Nos pequenos e mini, aos oito anos temos a primeira fase de envelhecimento e aos 12 anos a segunda; no médio porte (dez a 25 kg), aos sete e dez anos e, os cães de grande porte (25 a 45 kg), aos dois e aos oito anos, respectivamente.

Sinais de envelhecimento

A médica explica que no início do amadurecimento os sinais ainda não são tão visíveis aos olhos do tutor. "É no segundo momento que percebemos evidências representativas, como a mudança na textura e quantidade de pelo, além da tonalidade que passa a ser mais branca, assim como nos humanos. O cristalino dos olhos começa a ficar mais opaco, o pet tem diminuição da energia para as atividades (menos tempo e menor desempenho e qualidade) e o aumento das horas de sono", afirma Rizelo.

Doenças na terceira idade dos pets

Ela conta sobre as doenças mais comuns dos pets mais velhos. "Doenças cardíacas, doenças osteoarticulares, doenças renais, diabetes, problemas relacionados à celeridade cerebral, distúrbios cognitivos (vocalizações, alteração no sono, dificuldade de reconhecimento do tutor) e doenças periodontais podem ser recorrentes nessas fases e necessitam tratamento adequado", revela, reforçando que durante toda vida é essencial ter o acompanhamento especializado com o Médico-Veterinário para o diagnóstico precoce, que aumenta a expectativa de vida dos pets. "Alguns cuidados básicos que os tutores precisam ter: acompanhamento veterinário, alimentação adequada e adaptação do ambiente conforme as necessidades do pet idoso" diz Priscila Rizelo.

Alimentação para pets idosos e cuidados especiais

A Royal Canin fabrica alimentos que atendem todas as fases de vida de gatos e cães, com nutrição especializada, inclusive para a idade madura. A marca conta com alimentos específicos que oferecem suporte aos efeitos do envelhecimento. A multinacional é uma das maiores fabricantes do mundo de alimentos de alta qualidade nutricional para gatos e cães, e celebrou 50 anos em 2018.

Créditos: JB Pet



Edição anterior (2457):
segunda-feira, 02 de agosto de 2021
Ed. 2457:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2457): segunda-feira, 02 de agosto de 2021

Ed.2457:

Compartilhe:

Voltar: