Edição anterior (1554):
segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019
Ed. 1554:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1554): segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Ed.1554:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Centro de Referência em Educação Inclusiva: reforço no atendimento da educação municipal

Desenvolvimento integral e emancipação dos alunos

 

Oficinas diferenciadas no contraturno escolar são o destaque do Centro de Referência em Educação Inclusiva João Pedro de Sousa Rosa, o CREI, da Secretaria de Educação. Para 2019, além do atendimento especializado, o CREI também vai promover encontros diversificados como a festa da família, festa junina e exposições artísticas – tudo para aproximar a família e os estudantes dos profissionais que atuam diretamente com os alunos da inclusão.

 

“O atendimento humanizado que preconiza o desenvolvimento integral tem reflexos positivos no âmbito escolar e também no relacionamento desses alunos com a comunidade. É um trabalho muito bonito que envolve muito carinho e entendimento e tenho certeza que faz uma diferença enorme na rotina diária desses quase 300 alunos que são atendidos no CREI”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

São atendidos no CREI os alunos que se enquadram na modalidade de Atendimento Educacional Especializado – AEE - alunos com deficiência, transtorno global do desenvolvimento, altas habilidades/alta dotação e alunos com transtornos funcionais específicos do comportamento ou da linguagem. No local os estudantes participam de aulas diferenciadas como informática, capoeira, música, teatro, oficina da palavra, psicomotricidade, e braille.

“Todas as foi oficinas têm âmbito pedagógico pois visam o desenvolvimento integral e emancipação do indivíduo na sociedade de forma intencional e humanizada. Sempre com muita atenção às necessidades individuais de cada aluno e acompanhamento da família”, afirma a secretária de Educação, Márcia Palma.

Os avanços são observados na rotina diária. “Conseguimos notar avanços na autonomia e também no desenvolvimento cognitivo, relatados pelas famílias e também pelos professores. Em um dos casos, um aluno com baixa visão percebeu que poderia usar uma régua para conseguir ler na escola. Foi um recurso que ele aprendeu a usar durante o atendimento no CREI. Ele se sentiu útil, incluído e motivado no contexto escolar”, conta a diretora do CREI, Claudia Mussel.

Ainda segundo Claudia, os professores também relataram casos em que alunos começaram a andar e aprenderam a subir e descer escadas. “São avanços para cada um deles. Cada um no seu tempo, superando as dificuldades. Também conseguimos publicar um livro em braille, construído pelos alunos com o auxilio dos professores. A aluna, cega, estrela desse processo, conseguiu fritar um ovo, aos 57 anos e agora já consegue reconhecer pelo tato os diferentes legumes e verduras. É uma alegria muito grande poder acompanhar essas vitorias”, completou Claudia.

Para garantir a interação entre os alunos, familiares e professores, o calendário de atividades 2019 do CREI está recheado de encontros especiais. “Nosso calendário conta com diversas festas bem como a culminância dos projetos realizados nos atendimentos educacionais especializados. Estes encontros promovem a parceria entre família e escola e evidenciam o nosso modelo de gestão democrática e participativa”, explica Claudia.

Vale salientar que o CREI é referência no AEE. “É um diferencial da rede pública um espaço todo adaptado para receber esses alunos e proporcionar vivencias diferenciadas. Todos os profissionais que atuam no CREI são muito empenhados e realizam um trabalho de excelência”, disse a secretária de Educação, Marcia Palma.

Atendimento no CREI: encaminhamento do Departamento de Educação Especial

Para ser matriculado em uma das oficinas do CREI é necessário o encaminhamento do Departamento de Educação Especial. “A escola envia um oficio para o Departamento de Educação Especial que realiza um acompanhamento do caso, conversa com os familiares e avalia quais as oficinas que o aluno pode e deve participar. É um trabalho multidisciplinar e o acompanhamento é constante”, afirma a diretora do Departamento de Educação Especial, Bianca Paiva.

 



Edição anterior (1554):
segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019
Ed. 1554:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1554): segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Ed.1554:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior