Edição anterior (1679):
domingo, 16 de junho de 2019
Ed. 1679:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1679): domingo, 16 de junho de 2019

Ed.1679:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

 Com a chegada do frio, é preciso ter cuidado com doenças respiratórias

Além de gripe e resfriado, pessoas que possuem doenças respiratórias crônicas também começam a se preocupar

Wellington Daniel


 Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que faz parte da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 500 milhões de pessoas sofrem com doenças e alergias respiratórias em países em desenvolvimento, como Brasil. A organização ainda diz que Doenças Respiratórias Crônicas (DRC) estão atingindo cada vez mais crianças e idosos.

No Brasil, a OPAS aponta que 29,6% dos adolescentes possuem rinite e esta é uma das principais doenças respiratórias do país. Apesar de menor gravidade, está entre as dez razões mais frequentes de atendimento primário à saúde. Em todo o globo, estima-se que a doença atinja de 20% a 25% da população em geral.

Para o médico otorrinolaringologista e professor da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase), Carlos Augusto Ferreira de Araújo, o principal perigo é não cuidar da rinite.

- O perigo é não cuidar, pois uma rinite pode se transformar numa rinossinusite, faringite e otite e até chegar a uma pneumonia. O frio piora os sintomas da alergia respiratória, se a pessoa está com a imunidade baixa acaba piorando – disse.

Com a chegada do inverno, as temperaturas da cidade começam a cair. Com isso, quem sofre de alguma doença alérgica começa a se preocupar com as possíveis crises. Para o médico é preciso evitar contato com fungos e poeira. O professor universitário diz que não basta colocar as roupas guardadas há muito tempo apenas no sol.

- Petrópolis, no inverno tem muito mofo. Devemos arejar bem a casa e as roupas dos armários, trocar a roupa de cama semanalmente, manter uma boa hidratação, evitar choque térmico, cheiros fortes de produtos de limpeza, pelo de animais e tudo que acumula poeira, como bichos de pelúcia, além de fumaça de cigarros. Além disso, recomendo a lavagem das roupas guardadas há mais de três meses no guarda-roupa antes de usar, pois elas pegam fungo quando ficam no armário por muito tempo.  Mesmo que a pessoa coloque ao sol para sair o aroma de guardado, o ideal é a lavagem antes de usar, pois aqui na cidade há muita umidade e colabora para proliferação desses fungos nas roupas – explicou.

Um dos cuidados citados pelo médico, o de evitar choques térmicos, é algo que já circula no senso comum. Geralmente, mães e avós aconselham a “não tomar banho e logo sair da friagem”. Perguntado se a afirmação é verdade, o médico confirmou o conselho.

- É verdade. O choque térmico provocado pelo banho quente e o ar frio da rua provoca uma alergia respiratória, podendo causar uma rinite, causando entupimento do nariz e podendo chegar a uma rinossinusite – afirmou.

Os chás também são bem procurados no senso comum. Há sempre afirmações de que o líquido possa ajudar no fortalecimento do organismo. Segundo o médico, não há comprovação científica.

- Não há comprovação científica dos benefícios do chá. O que ajuda muito é a expelir o muco, a secreção e como o chá é feito de água ajuda na hidratação. O importante é que tem que beber muita água. O chá ajuda na questão do sentir frio e poder se aquecer com essa alternativa, que também é composta por muita água – disse. 

Gripe e resfriado 

Carlos Araújo também explica que a gripe é causada por vírus e pode apresentar complicações graves.

- A gripe é causada por um vírus e geralmente é caracterizada por febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar – afirmou.

Já o resfriado, o médico diz é muito confundido com a gripe. A principal diferença é que os sintomas são menos intensos e a duração menor.

- O resfriado também é uma doença respiratória com um componente alérgico, frequentemente confundida com a gripe. Os sintomas do resfriado são mais brandos e duram menos tempo. Os sintomas incluem tosse, congestão nasal, coriza, dor no corpo e dor de garganta leve. A ocorrência de febre é menos comum e, quando presente, é em temperaturas baixas – explicou.

Para evitar doenças respiratórias, o médico diz que é necessário manter alguns cuidados higiênicos.

- Para evitar essas doenças respiratórias, recomenda-se manter alguns hábitos de higiene como lavar as mãos, utilizar lenço descartável para limpar o nariz, não compartilhar objetos de uso pessoal, manter os ambientes bem ventilados e evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe – concluiu.

 



Edição anterior (1679):
domingo, 16 de junho de 2019
Ed. 1679:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1679): domingo, 16 de junho de 2019

Ed.1679:

Compartilhe:

Voltar: