Edição anterior (1767):
quinta-feira, 12 de setembro de 2019
Ed. 1767:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1767): quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Ed.1767:

Compartilhe:

Voltar:


  Greve

Correios de Petrópolis aderem à greve geral

Sem acordo com funcionários, empresa entra com Dissídio Coletivo no Tribunal Superior do Trabalho

Letícia Knibel, especial para o Diário

Trabalhadores dos Correios entraram em greve geral - por tempo indeterminado - na noite da última terça-feira (10), após a realização de assembleias por todo o país. Ao todo, 22 sindicatos, além do Distrito Federal, aderiram a paralisação.
Segundo Leônidas da Silva, diretor do interior do estado do Rio de Janeiro do Sintect (Sindicato dos trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios, Telégrafos e Similares), a greve foi decidida devido a recusa do ECT a negociar novo acordo coletivo com representantes dos trabalhadores.

No município, todas as unidades foram afetadas; trabalhadores questionam mudanças em acordos coletivos e privatização. 

- O que a empresa pretende é retirar direitos já estabelecidos e garantidos pelo Acordo Coletivo, com o discurso de redução de custos para a estatal. No entanto, nos últimos dias, dentre as decisões já tomadas pela diretoria, está a exclusão de pais e mães dos planos de saúde, sendo que nenhuma das nossas solicitações feitas sequer foram consideradas pelo ECT - conta Leônidas. Para o representante, há ainda questões ligadas a melhorias das condições de trabalho e também de reajuste salarial a serem consideradas.

- Mesmo com a mediação do TST (Superior Tribunal de Trabalho), a empresa não recebe os representantes dos trabalhadores há mais de 40 dias e se nega a negociar, pois insiste em reduzir benefícios que rebaixariam ainda mais o salário da categoria, que já é o pior entre todas as estatais - afirma a Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares).

Ainda de acordo com Silva, os funcionários são contra a privatização da estatal, cuja medida pode comprometer a relação de trabalho já estabelecida, tendo como uma das principais consequências a demissão dos trabalhadores.

Em Petrópolis, ao todo são 140 funcionários contratados para atender as demandas da população, que incluem envio de cartas e encomendas, sendo três unidades no Centro responsáveis ainda pela maior parte dos atendimentos. “A falta de mão de obra, após as demissões em massa nos últimos dois anos, prejudicaram o funcionamento dos Correios no município, afetando o prazo de entrega de correspondências”, releva Silva, que se desculpa com a população pelos transtornos e ainda ressalta que os trabalhadores não estão felizes com a medida, porém é a única forma de garantir os direitos dos mesmos.

Questionado sobre a greve geral, os Correios informaram que “na expectativa de uma solução que não comprometa ainda mais sua situação financeira, a empresa entrou, nesta quarta-feira (11), com dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Agora, a corte irá avaliar o processo de negociação, ouvindo as partes, e o relator produzirá um voto que será analisado por um colegiado do tribunal, em sessão a ser posteriormente agendada”.

Conforme amplamente divulgado, os Correios estão executando um plano de saneamento financeiro para garantir sua competitividade e sustentabilidade. Desde o início de julho, a empresa participa de reuniões com os representantes dos empregados, nas quais foram apresentadas a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado, atualmente na ordem de R$ 3 bilhões. As federações, no entanto, apresentaram reivindicações que superam até mesmo o faturamento anual da empresa.

Serviços

A empresa já colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas.

A rede de atendimento está aberta em todo o país e os serviços, inclusive SEDEX e PAC, continuam sendo postados e entregues em todos os municípios. Os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje) estão com postagens temporariamente suspensas.

Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelo telefone 0800 725 0100 ou pelo endereço http://www2.correios.com.br/sistemas/falecomoscorreios.



Edição anterior (1767):
quinta-feira, 12 de setembro de 2019
Ed. 1767:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1767): quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Ed.1767:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior