Edição anterior (1560):
domingo, 17 de fevereiro de 2019
Ed. 1560:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1560): domingo, 17 de fevereiro de 2019

Ed.1560:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Diário Automóveis
COLUNA

 

Volkswagen apresenta Jetta GLI, versão esportiva que chega no Brasil ainda em 2019

Diferente da geração anterior, atual versão nervosa do sedã médio deixou o design discreto comendo poeira e assume roupagem esportiva. Mas o motor 2.0 turbo é o melhor da festa


PC Pedro Cerqueira - Portal Vrum - (fotos: Volkswagen/Divulgação)

 

 

A Volkswagen apresenta no Salão de Chicago (que abre as porta amanhã) o Jetta GLI, versão esportiva do sedã médio que deve chegar ao mercado brasileiro ainda neste ano. Como não poderia deixar de ser, a cara é de malvado, com o capô musculoso e uma grade maior tipo colmeia cortada por uma linha vermelha que indica perigo quando o veículo se aproxima. Assinatura de LED nos faróis dá um toque tecnológico ao conjunto, enquanto o desenho dos para-choques é mais agressivo. O modelo é 1,5 centímetro mais baixo que as versões “caretas”, e as rodas com design exclusivo são de 18 polegadas. A traseira é mais discreta, mas a dupla saída do escapamento revela que este não é nenhum tiozão. Emblemas com a sigla GLI estão em todos os cantos.

 


Sob o capô, o propulsor 2.0 TSI, com turbo e injeção direta de combustível, despeja 230cv de potência e 35,7kgfm de torque nas rodas dianteiras. No mercado americano, a versão mais barata desse foguetinho com porta-malas traz câmbio manual de seis marchas, mas é possível equipá-lo com a esperta transmissão DSG (automatizada de dupla embreagem) de sete velocidades, com opção de trocas por aletas. A suspensão traseira é do tipo multilink, que reúne boa estabilidade nas curvas e conforto ao rodar sobre piso irregular. Para “brecar” o Jetta GLI, os freios dianteiros têm discos ventilados de 13,4 polegadas de diâmetro, o mesmo que equipa o Golf R.

 

No interior, assentos esportivos oferecem bom apoio aos passageiros. A telona do sistema multimídia integrada ao painel de instrumentos digital que se vê nas fotos são opcionais, assim como o teto solar, banco do motorista com memória e ajustes elétricos, bancos dianteiros ventilados, partida remota do motor e sistema de som premium de 400 watts. A versão traz de série assentos com aquecimento, ar-condicionado de dupla zona, chave presencial para partida do motor e travas das portas, sensores crepuscular e de chuva, alerta de colisão frontal com frenagem ativa de emergência, alerta de ponto cego, alerta de tráfego traseiro e sistema de frenagem pós-colisão. A luz ambiente pode ser customizada, tendo 10 cores disponíveis. 

 

 

Jetta está na sétima geração, sendo que o veículo vendido no Brasil é fabricado no México. O sedã ganhou  porte e teve o espaço interno ampliado, finalmente se equiparando aos concorrentes do segmento. Construído sobre a plataforma MQB, sua performance de segurança e oferta de equipamentos também deu um salto significativo. A única motorização usada hoje é a 1.4 TSI Flex, com 150cv de potência máxima a 5.000rpm e 25,5kgfm de torque máximo entre 1.400rpm e 3.500rpm. São três versões disponíveis: Jetta 250 TSI, vendida por R$ 99.990; Comfortline 250 TSI, que custa R$ 109.990; e R-Line 250 TSI, com preço sugerido de R$ 119.990.

 


 

 

 



Edição anterior (1560):
domingo, 17 de fevereiro de 2019
Ed. 1560:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1560): domingo, 17 de fevereiro de 2019

Ed.1560:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior