Edição anterior (1845):
sexta-feira, 29 de novembro de 2019
Ed. 1845:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1845): sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Ed.1845:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Petrópolis da Paz recebe palestra sobre Justiça Restaurativa

Reparação, encontro e transformação foram os principais elementos da Justiça Restaurativa citados pela palestrante especialista em Mediação Judicial e Facilitadora TJRJ, Renata Fernandes de Araújo, durante o encontro nesta quinta-feira (28.11), na UCP do campus Benjamin Constant. A palestra oferecida pelo Programa Petrópolis da Paz teve como tema “Circulando entre Princípios e Práticas”.

            Durante a discussão, as pessoas puderam tirar dúvidas sobre o que é Justiça Restaurativa, processo circular, além de conhecer o passo a passo de como funciona o segmento dentro do Poder Judiciário. Entre as definições de Justiça Restaurativa, a palestrante destacou que é sobre tornar o ofensor responsável e buscar atender a necessidade da vítima, com a liberdade de se reconciliar ou não. Outra definição discutida foi que a Justiça Restaurativa corrige o mal gerado por meio do tratamento do dano e abordagem de suas causas.

            Segundo Renata Fernandes Araújo, o seu trabalho realizado no TJRJ começa quando o processo do conflito entre duas partes vai para o Ministério Público e vira um processo judicial, e então enviado para a facilitadora da Justiça Restaurativa. “Trabalhamos com jovens que também cumprem regime de semiliberdade, liberdade assistida e com prestações de serviços para as comunidades. Realizamos os trabalhos em círculos – a ação disponibiliza o uso do objeto da palavra, no qual o grupo tem a oportunidade da fala e da escuta, comunicação não violenta e roda de conversa, estimulando a reflexão do ato”, contou. Renata ainda destacou que a Justiça Restaurativa foca no trabalho de escuta e fala da situação para que haja empatia e responsabilidade das partes envolvidas.

            “Eu fiquei muito curiosa para conhecer todo o processo da Justiça Restaurativa. Não sabia se era um tratamento, uma ação, estratégia ou uma atividade. Com a palestra consegui conhecer de fato e saber o que é a Justiça Restaurativa”, disse a estudante de Direito, na UCP, Ana Clara da Silva Pinheiro.

            Segundo a coordenadora do Programa Petrópolis da Paz, Elsie-Elen Carvalho, o Programa Petrópolis da Paz é parceira do Ministério Público do Rio de Janeiro com a troca de conhecimentos.  “No início do mês capacitamos toda a nossa equipe em Justiça Restaurativa certificado pelo MP-RJ, então receber esta palestra da Renata foi muito agregadora e uma satisfação imensa recebê-la em nossa cidade”, finalizou.



Edição anterior (1845):
sexta-feira, 29 de novembro de 2019
Ed. 1845:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1845): sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Ed.1845:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior