Edição anterior (2168):
sábado, 17 de outubro de 2020
Ed. 2168:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2168): sábado, 17 de outubro de 2020

Ed.2168:

Compartilhe:

Voltar:


  Diário Comunidades

Rua desabando na entrada do Duarte da Silveira preocupa moradores

Recentemente, os problemas existentes na mesma estão se intensificando

Camila Caetano – especial para o Diário


 Há bastante tempo, a Rua Adão Kloh, na entrada do Duarte da Silveira, vem apresentando problemas que colocam em risco a circulação de pedestres e veículos pelo local. Desde então, moradores da localidade lutam pelas melhorias necessárias, mas, até hoje não obtiveram êxito. Acontece que por lá, a rua, a além de ser estreita, contém trechos que já desabaram há cerca de seis anos, e com o passar do tempo, sobretudo, a partir de janeiro deste ano, o seu mau estado de conservação tem ficado cada vez mais perceptível, e perigoso.

A rua possui cerca de 1 km de extensão, e é a única via de acesso para quem reside no local. Moradores do lugar contam que a ladeira, apresenta em média, 40 metros de altura em relação a via principal - fato que salienta ainda mais as preocupações relacionadas às condições da mesma. Como forma de evitar o surgimento de novos problemas, em julho do ano passado, a vizinhança diz que conseguiu colocar uma placa, proibindo o tráfego de caminhões pelo lugar, entretanto, a mesma foi retirada e a proibição tem sido desrespeitada desde janeiro deste ano, com uma obra que teve início na região.

- É muito perigoso, há cerca de seis anos um trecho da rua desabou, fazendo com que ela ficasse ainda mais estreita. Se alguém estiver subindo, ou descendo, e acabar pisando em falso, a pessoa corre o risco de cair de uma altura de 40 metros. A via pode desabar hoje, amanhã, ou daqui a três anos, não é possível identificar. Tínhamos conseguido a placa que proibia a subida de caminhões, mas ela foi retirada em janeiro, quando iniciou uma obra por aqui. Isso tem piorado muito as condições da rua, pois, com o tráfego de veículos desse porte, ela tem afundado cada vez mais – disse um cidadão do local, que não quis ser identificado.

Ele salienta que em 2019 solicitaram os reparos aos órgãos responsáveis algumas vezes, entretanto, não obtiveram resposta.

A Secretaria de Obras disse que vai enviar uma equipe ao local, no início da próxima semana, para avaliar em caráter emergencial o formato do trabalho que precisará ser feito na localidade.



Edição anterior (2168):
sábado, 17 de outubro de 2020
Ed. 2168:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2168): sábado, 17 de outubro de 2020

Ed.2168:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior