Edição anterior (2257):
quinta-feira, 14 de janeiro de 2021
Ed. 2257:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2257): quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Ed.2257:

Compartilhe:

Voltar:


  Artigos

A necessidade do planejamento financeiro

  Gabriel Mamed*

Em tempos de dificuldades financeiras, planejar despesas torna-se ainda mais importante!

No entanto, diante de tantas contas a pagar e de tantas necessidades do dia a dia, como fazer? Parece que tudo é urgente!

Como se planejar financeiramente?

Se o dinheiro está curto, a solução é estabelecer prioridades e definir, efetivamente, aquilo que é mais necessário ou imprescindível.

Se puder utilizar uma planilha eletrônica, ajudará. Mas se não tiver computador, os bons e velhos lápis e papel funcionam perfeitamente.

Crie um tópico chamado RECEITA, e anote o valor que você recebe, todo mês, como remuneração pelos seus serviços prestados.

Em seguida, comece a listar as suas DESPESAS, de preferência, em ordem de importância. Dessa forma, já estará elegendo suas prioridades.

Ao final, subtraia da receita e veja se o resultado é positivo ou negativo.

Digamos que a sua receita líquida seja R$ 4.000,00 e as suas despesas, divididas em água, alimentos, aluguel, luz, telefone celular, internet e TV por assinatura somem um total de R$ 4.800,00. Você estará negativo em R$ 800,00 e muitos caem na armadilha do cheque especial para cobrir esse valor, e acaba acrescentando, às suas despesas, mais uma: os juros pagos ao banco, que, por sinal, são extremamente elevados.

Portanto, o melhor a fazer é buscar aumentar as receitas ou reduzir as despesas.

Notadamente, a primeira opção é a mais difícil. Dessa forma, só resta sacrificar o consumo daquilo que não é essencial. No exemplo acima, a TV por assinatura e, em alguns casos, dependendo do uso que se faça, a internet e a mudança do plano de telefonia móvel.

Se você ainda não está no vermelho, mas corre esse risco, uma boa técnica é subtrair do seu salário todas as suas despesas essenciais. O que sobrar, divida por 30, e verá quanto poderá gastar, por dia, até o próximo salário. Tente não gastar, assim terá uma sobra que poderá ser usada no futuro para comprar um determinado bem, ou fazer algum investimento financeiro.

Aliás, em tempos de pandemia, com menos saídas de casa, fica mais fácil conter os gastos extras, não?

*Gabriel Mamed,  economista e professor da UNIFASE.



Edição anterior (2257):
quinta-feira, 14 de janeiro de 2021
Ed. 2257:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2257): quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Ed.2257:

Compartilhe:

Voltar: