Edição anterior (1515):
quinta-feira, 03 de janeiro de 2019
Ed. 1515:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1515): quinta-feira, 03 de janeiro de 2019

Ed.1515:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Aedes aegypti com Wolbachia: Confira as áreas que receberão os mosquitos aliados a partir de janeiro de 2019
 

Na segunda semana de janeiro de 2019 as comunidades que compõem o Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, começarão a receber os Aedes aegypti com Wolbachia, os mosquitos aliados no combate à dengue, zika e chikungunya do World Mosquito Program (WMP). O WMP é uma iniciativa global de combate às doenças transmitidas por mosquitos que, no Brasil, é conduzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A liberação será feita por Agentes de Vigilância em Saúde (AVS) durante 16 semanas. Os seguintes bairros estão incluídos nessa área: Vila do Pinheiro, Morro do Timbau, Baixa do Sapateiro, Nova Holanda, Parque União, Rubens Vaz, Conjunto Esperança, Vila do João, Salsa e Merengue, Parque Maré, Nova Maré, Ramos, Paraibúna, Roquete Pinto, Joana Nascimento e Pata Choca. Os agentes percorrerão essas áreas a pé, carregando tubos plásticos transparentes, contendo mosquitos Aedes aegypti com Wolbachia, que serão liberados nas vias públicas. A solturas serão realizadas uma vez por semana.

Nos últimos meses, uma série de ações educativas e de comunicação foi realizada na Maré, com o objetivo de informar a população sobre o Método Wolbachia. Esta etapa teve o apoio e a participação de parceiros do WMP no território, como lideranças comunitárias e associações de moradores, unidades de saúde, escolas e organizações não-governamentais, como a Redes da Maré. No dia 8 de dezembro, o WMP realizou, junto a parceiros, uma manhã de divulgação científica no Galpão Bela Maré.

Durante a etapa de liberações, é possível notar um aumento na quantidade de mosquitos. É importante lembrar que esses mosquitos não transmitem doenças e, após o término das liberações, a quantidade tende a voltar ao patamar anterior e, em alguns casos, pode até diminuir.

Após algumas semanas de liberação, armadilhas usadas para capturar mosquitos serão instaladas em residências e estabelecimentos disponibilizados por voluntários. O objetivo é monitorar o estabelecimento da população de Aedes aegypti com Wolbachia.

A previsão é que, até o final do mês de janeiro, outros três bairros da Zona Norte comecem a receber os mosquitos aliados: Jardim América, Parada de Lucas e Vigário Geral.

Niterói

No município de Niterói o WMP realizará liberações pontuais de mosquitos Aedes aegypti com Wolbachia na Região Oceânica. Essas liberações terão início na metade do mês de janeiro de 2019 e se estenderão até abril, durante 16 semanas. As liberações serão feitas por técnicos do WMP Brasil, de carro, nos seguintes bairros: Jardim Imbuí, Piratininga, Cafubá, Jacaré, Camboinhas, Santo Antônio, Itacoatiara, Itaipu, Maravista, Engenho do Mato e Serra Grande. A área contemplada na etapa atual de soltura de mosquitos aliados corresponde a cerca de 40% do território da Região Oceânica que, entre junho de 2017 e janeiro de 2018, recebeu a primeira rodada de liberação.

O objetivo desta segunda liberação, apenas em pontos específicos, é garantir o estabelecimento da Wolbachiana população de mosquitos. “Diversos fatores influenciam o estabelecimento da população de Aedes aegypticom Wolbachia no campo. A geografia do local, a temperatura, as chuvas, a quantidade de mosquitos já existentes na região são alguns desses aspectos”, explicou Luciano Moreira, pesquisador da Fiocruz e Líder do WMP Brasil.

Para acompanhar as atividades do World Mosquito Program basta seguir @wmpbrasil no Facebook, Instagram e You Tube. Dúvidas podem ser enviadas por Whatsapp para 21 99643-4805.

 



Edição anterior (1515):
quinta-feira, 03 de janeiro de 2019
Ed. 1515:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1515): quinta-feira, 03 de janeiro de 2019

Ed.1515:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior