Edição anterior (2051):
segunda-feira, 22 de junho de 2020
Ed. 2051:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2051): segunda-feira, 22 de junho de 2020

Ed.2051:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
ALEXANDRE MACHADO
COLUNISTA

 

 

Petrópolis é homenageada por leitores com declarações de amor! Nossa cidade é linda e elogiada nos quatros cantos do mundo! Como é bom viver aqui!

 

 

 “Minhas primeiras lembranças do Brasil são em Petrópolis nos anos 1960. A temperatura fria sem ser gelada, o acesso pela estrada sinuosa, os pequenos hotéis de charme, pensões. Por alguns anos eu confundia com a viagem. Achava que ainda estava na Suíça. Já adolescente, o lugar me pareceu ainda mais encantador.

Hoje, ao passear pelo Centro Histórico, posso apreciar o rico conjunto arquitetônico preservado em estilo eclético do século XIX, que emoldura as avenidas arborizadas e floridas, entrecortadas pelos rios. Os presidentes da República também escolheram Petrópolis para desfrutar da tranqüilidade e clima ameno em seus verões.

Fico feliz em saber que o desenvolvimento socioeconômico de Petrópolis baseia-se principalmente nos setores do Turismo, Moda, Alta Tecnologia, Metal-mecânico, Serviços e Comércio.  Feliz com o crescimento do município como cidade universitária, contando com instituições de ensino superior, particulares e públicas, que oferecem uma gama diversificada de cursos de graduação, mestrado e pós-graduação, além de atividades de extensão e pesquisa.

Nem tudo são lembranças nostálgicas. Petrópolis jamais parou no tempo. O Laboratório Nacional de Computação Científica – LNCC e a Fundação Oswaldo Cruz mantêm unidades ali, demonstrando assim a importância estratégica do município na área de pesquisas. Petrópolis conta hoje com o Supercomputador Santos Dumont, de origem francesa, instalado no LNCC, o maior da América Latina e possibilita grandes avanços em pesquisa, com capacidade para realizar um quatrilhão de operações por segundo. Após a pandemia, tenho certeza da continuidade desta linda história.”

Ovadia Saadia é natural de Alexandria, no Egito. Última imigração judaica para o Brasil. (Jornalista, Colunista Social, Tradutor, Relações Públicas e Presidente da Federação Brasileira de Colunistas Sociais- FEBRACOS).

 

 “Escolhi viver e trabalhar na cidade de Petrópolis, por todos os motivos do mundo. Nossa cidade tem todas as maravilhas que uma pessoa pode esperar. Tranqüilidade, segurança, lindas paisagens naturais, o turismo excelente. Meu trabalho diz muito sobre o que as pessoas esperam da nossa cidade, um lugar para realizar sonhos. E é por isso que eu amo Petrópolis.” Rosana Cândido (Cerimonialista e Produtora de eventos)

 

 “O amor por Petrópolis vai muito alem de palavras. O amor por Petrópolis é semelhante ao amor que um filho tem a uma mãe. Ser de Petrópolis e estar em Petrópolis, é sentir o calor de um abraço, é sentir-se acolhido. É como se, a cada novo dia, tudo se renova. Petrópolis nos ensina que, o bonito da vida está nas diferenças, e que cada pessoa tem o seu valor. Ser Petropolitano é uma dádiva!” Igor Romão (Cantor) 

 

 “A família é a base de tudo. Essa frase é clássica. Sendo nascido e morando toda a minha vida em Petrópolis, consigo entender uma extensão dessa família. Petrópolis me fez ser o Dj Vitor Ventura. Sou eternamente grato e feliz por ser um Petropolitano da gema.” Vítor Ventura (DJ) 

 

 “Nasci e cresci em Petrópolis. Vivi a maior parte da minha vida no Valparaíso. A casa dos meus pais é como se fosse um cartão postal do bairro, todos o conheciam. Fico muito feliz em hoje perceber o carinho que recebem sempre que postam algo sobre a casa no Facebook. Meu coração se enche de saudade e de orgulho. Outra grande parte da minha vida foi na Rua Teresa, onde guardo grandes amigos. Nossa equipe de trabalho se tornou uma família e ate hoje conversamos sempre com muito carinho e respeito. Tenho saudade de ver a rua cheia, lançando moda, recebendo gente de todo o país, gerando emprego e ajudando o crescimento da cidade.

Das coisas que eu adorava fazer, sinto falta de ir à benção de Santo Antônio, todas as terças na Igreja do Sagrado, do almoço na Majórica, da Casa do Alemão, de passear na Rua 16 de Março e finais de semana em Itaipava. Sinto falta das festas que eu participava e até de fazer o meu chocolate.

Adoro quando volto e chego ao Quitandinha, uma paisagem linda e acolhedora, encontrar os amigos, família, me sentir em casa, afinal, esteja a onde estiver, Petrópolis é a minha casa.

Agora vou contar uma curiosidade. Andando por Portugal e Espanha, me surpreendo com a quantidade de pessoas que conhecem Petrópolis, muitos pelas novelas, pela história ou por terem visitado a cidade. As pessoas sempre falam da beleza natural da subida da Serra, do Museu Imperial, do Palácio de Cristal. Uma vez, inclusive, em um taxi na Espanha, o rapaz me contou que passou a lua de mel em Petrópolis e foi a cidade que ele mais gostou de visitar, contou detalhes da subida da Serra e do Museu e não falou para me agradar, pois, só contei a ele que era de Petrópolis depois. Nessas horas a saudade aperta, mas o coração se enche de orgulho da minha cidade. Quero voltar logo nem que seja para matar a saudade.” Vânia Rizzo (Atualmente residindo em Portugal)

 

 “Petrópolis é uma cidade mais que especial! Tem o clima ideal para uma taça de vinho e para as conversas com amigos acompanhados de uma gastronomia diferenciada. Seu pôr do sol por entre as montanhas nos faz sentir abraçado no entardecer dos dias frios e seu céu azul e límpido no outono nos aquece durante o dia. Suas heranças culturais diversificadas são ricas e nos fazem ter um olhar especial a cada monumento da cidade e um carinho caloroso por cada habitante que construiu e ainda constrói esta cidade. Como não amar Petrópolis?” Cris Moura (Arquiteta)

 

 “Minha paixão por Petrópolis vem de berço. Embora nascido no Rio, freqüento a cidade, mais precisamente Itaipava, desde bebê de colo, acompanhado dos meus pais no antigo Hotel Santa Mônica. Hoje, por ironia do destino, dirijo um hotel em Santa Mônica- Itaipava, o Bomtempo Hotel.

Desde minhas primeiras lembranças, Petrópolis está presente. A subida da Serra, ainda em mão dupla, a parada obrigatória no Belvedere, o almoço na Majórica e aquele cheiro de campo, com ar mais frio que sentia ao descer do carro. Mais tarde resolvi me mudar de vez. Amo o clima e a segurança da cidade. As estradas de terra pra pedalar e andar de moto, cachoeiras e passeios pelo Centro Histórico à noite são os programas favoritos.

Além disso, a gastronomia da cidade é excelente, com diversas opções para todos os gostos. Fiz muitos amigos e hoje, me sinto Cidadão Petropolitano com muito orgulho! Rogério Elmor (Hoteleiro)

 

 “Sempre tive muito orgulho em dizer que sou petropolitano, mas o amor que sinto por essa cidade vai muito além do simples fato de ter nascido no município, afinal, Petrópolis acolheu da melhor forma pessoas que amo e que decidiram viver aqui. A Cidade Imperial é sinônimo de aconchego, amor e receptividade, fazendo jus ao seu hino, pois quem pensa que é feliz em outra terra é porque ainda não viveu aqui.” Victor Carneiro (Jornalista)

 

 “Petrópolis é linda! Temos o Centro Histórico rico em pontos turísticos, os distritos com uma natureza exuberante, Itaipava com seus restaurantes e pousadas charmosas... Não tem como não amar essa cidade!” Cristiane Machado (Advogada)

 

 “Petrópolis, lugar de ser feliz! Estar nessa cidade me traz a paz de outros tempos. Adoro ir à missa na Catedral e após, seguir até o Museu Imperial, sentar em seus jardins e escutar o canto dos pássaros.” Ariadne Coelho (Empresária)

 

 “Minha paixão pela cidade de Petrópolis vem do seu clima bucólico. Essa linda cidade tem movimento de metrópole e comportamento de cidade presépio. Sua beleza rara nos remete aos lindos tempos do império, inunda nossa alma de paz e alegria. É por isso que Petrópolis faz parte da minha vida. Eu amo Petrópolis! Mauro Quintão (Empresário e Colunista Social no Espírito Santo)

 

 “Amo Petrópolis desde a primeira vez em que estive visitando a cidade, no ano de 1998. Desde então o Palácio Imperial tornou-se meu lugar turístico favorito para levar familiares vindos do sul do país, sem falar que a vegetação típica e o clima fresco remetem às minhas origens lá no RS. Quando estou em Petrópolis gosto também de visitar a Catedral, linda com seu estilo neogótico, passear pelas praças e pelo Palácio de Cristal e comer as comidas típicas da região. Hummm, uma delicia! Não foi à toa que Dom Pedro II escolheu a cidade como sua segunda residência!” Leila Schuster (Jornalista e colunista de lifestyle nas revistas Go Where e Regional, além de ter sido eleita Miss Brasil 1993)

 

 “De fato Petrópolis é amor à primeira vista, é um bálsamo que nos acalenta a alma. Aqui se respira a história do país, aqui se vive a beleza de cada dia de sol ou de russo. Petrópolis é o colírio dos meus olhos! Todas as vezes que saio da cidade e retorno, chego à felicidade! Jorge Luiz Martins Machado (Associado do Rotary Petrópolis Bingen)

 

 “Meu amor por Petrópolis passa pela Avenida Koeler, que eu acho uma das mais bonitas do mundo e parece ter saído de um filme da Mary Poppins. Afinal, minha família foi uma das últimas a residir nela. Seu imponente casarão virou Hotel Casablanca Koeler, cujo teto do banheiro da suíte máster foi trazido de Florença, na Itália. Seus inúmeros palacetes, que um dia abrigaram a alta aristocracia, viraram ambientes comerciais em sua quase totalidade, como curso de idiomas, hotéis, agência de viagens, clínicas... Mas como Petrópolis é uma viagem ao passado, a Cidade Imperial mantém os ares de nobreza. Lugar fascinante! Diego Cosac (Empresário e Cineasta)

 

 “Desde minha infância a estrada para Petrópolis, com suas curvas e bela vegetação, era motivo de alegria. Primeiro, o sítio na serra, depois o apartamento no Palácio Quitandinha e a casa no mesmo bairro. Lembranças de temporadas em que curti o boliche, a piscina aquecida, teatro mecanizado e bons carnavais no “clube”, também dos quatro dias de festa que meu pai dava em junho, na casa e no apartamento, comemorando aniversário de casamento, e ainda os bons restaurantes e passeios.

“Petrópolis está presente em minha formação como pessoa, com as mais agradáveis vivências.” Alberto Sabino (Designer)

 

 “Passei boa parte da minha vida curtindo os verões e férias em Petrópolis. Tínhamos uma casa no Quarteirão Brasileiro. A rotina era cortar o cabelo no Salão Paris, freqüentar o Copacabana, o D’Angelo, Katz e Majórica... Aliás, até hoje freqüento a Majórica.

No sábado de Carnaval era tradição pegar o trenzinho do Faraco em frente ao Museu Imperial e sair pela cidade fazendo batucada e tomando caipirinha. À noite, não perdia o baile nos clubes Petropolitano, Campestre e Itaipava.

Anos mais tarde, abri a loja de decoração Olhar o Brasil, em Itaipava, que completou 12 anos e sempre me deu prazer. Acabei fazendo muitos projetos de arquitetura e ganhei o título de Cidadão Petropolitano. Amo Petrópolis!” Chicô Gouvea (Arquiteto)

 

 “Nasci na Cidade Imperial, mas vivi boa parte da minha adolescência em Brasília. Ao retornar em Petrópolis me dei conta de como o contraste entre a arquitetura moderna e a clássica suscitaram a minha curiosidade e serviram de referência para fazer minha escolha profissional. Aos 18 anos, mudei-me para o Rio de janeiro para estudar Arquitetura e posteriormente caminhei em paralelo para a Cenografia.

Muito da minha vocação veio da nossa cidade em que diferentes estilos arquitetônicos são visto nas suas belas paisagens. Acabei ficando no Rio, porém meu coração se alegra toda a vez que subo a serra e retorno no meu lugar de origem.

A beleza da cidade continua sendo uma constante fonte de inspiração para o meu trabalho além, é claro, do vínculo afetivo com este lugar onde minha família se constituiu e vive até hoje. Viva Petrópolis, cidade de todos nós!”  Mauro Vicente Ferreira (Arquiteto e Cenógrafo)

 

Curtas

*Entre os aniversariantes de hoje, Marcelo Clemente, João Reis (conhecido arquiteto das fazendas e casarões do Vale do Café, atualmente residindo em Itaipava) e Paulo Amorim.  

*O cantor Lucas Israel vai animar a Quintaneja no Instagram da Casa D’Angelo, dia 25, às 20h.

*E na onda das Lives, André Campaña agendou um show solidário, dia 28, às 14h, em sua página do Facebook e You Tube, em comemoração ao seu aniversário de nascimento e de carreira.

*A coluna envia um abraço de pesar para Wilsinho Barbi e família pela perda da querida Leila Antunes. Que Deus cuide de vocês!

 

Conferência Online

A OAB Nacional promoverá nesta segunda, dia 22 de junho, uma conferência online sobre “Processo Administrativo Sancionador em tempos de Covid-19 e Pós-Pandemia”. O mediador será o jurista Fábio Medina Osório (ex-Advogado Geral da União).

A transmissão será iniciada às 14h, e será exibida ao vivo pela página do Instituto Internacional de Estudos de Direito do Estado (IIEDE), apoiador do debate, no Facebook.

Entre os palestrantes, destacam-se Ana Tereza Basílio, vice- presidente da OAB- RJ, Luciano Timm, Secretário Nacional de Defesa do Consumidor, Alexandre Cordeiro, Superintendente Geral do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e Leonardo Marques, Coordenador-Geral de Consultoria Técnica e Sanções Administrativas da Secretaria Nacional do Consumidor. O encontro tem o apoio da OAB-RJ e da Secretaria Nacional do Consumidor (órgão do Ministério da Justiça).

   

 

 



Edição anterior (2051):
segunda-feira, 22 de junho de 2020
Ed. 2051:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2051): segunda-feira, 22 de junho de 2020

Ed.2051:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior