Edição anterior (2439):
quinta-feira, 15 de julho de 2021
Ed. 2439:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2439): quinta-feira, 15 de julho de 2021

Ed.2439:

Compartilhe:

Voltar:


  Transporte

ANTT apreende 13 veículos de transporte irregular na BR-040

Com apoio da PRF, trabalho aconteceu na semana passada e constatou ônibus de turismo realizando serviço de linha para empresa de aplicativo

Rômulo Barroso - especial para o Diário de Petrópolis

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apreendeu 13 veículos que realizavam transporte irregular de passageiros na BR-040, em Petrópolis, durante uma operação realizada na semana passada, entre os dias 7 e 10 de julho. O trabalho contou com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e encontrou 12 ônibus de turismo que faziam serviços de linha para empresa de aplicativo - o que é proibido - e uma van fazendo transporte sem autorização. Com isso, 461 pessoas tiveram que ser transferidas para empresas que atuam de forma regular. Essa foi mais uma etapa da Operação Pascal, criada no ano passado pela ANTT para coibir o transporte interestadual clandestino de passageiros.

Os ônibus apreendidos faziam as seguintes rotas: Rio de Janeiro x Juiz de Fora/MG x Viçosa/MG (dois ônibus); Rio de Janeiro x Belo Horizonte (sete ônibus); Cabo Frio x Belo Horizonte (um ônibus); e Petrópolis x Belo Horizonte (dois ônibus). A van apreendida fazia viagem entre Juiz de Fora e Rio de Janeiro. Além do transporte irregular, também foram constatadas outras irregularidades nos veículos apreendidos, como pneus carecas, extintor de incêndio vencido, ausência de extintor de incêndio e pára-brisa trincado.

De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a principal irregularidade encontrada foi o uso de ônibus de turismo para realizar serviços de linha para empresas de aplicativo. Esses ônibus só poderiam fazer o transporte de passageiros na modalidade de "circuito fechado", ou seja, levando para o mesmo destino, o mesmo grupo de passageiros na ida e na volta - como no caso de excursões. A ANTT e a Polícia Rodoviária Federal constataram que, na realidade, esses veículos estavam operando para um aplicativo operando em "circuito aberto", como fazem as empresas que operam linhas regulares em Petrópolis.

Conforme explica a ANTT, "todos que veículos autorizados para realizar linha embarcam e desembarcam em terminais rodoviários e emitem bilhetes de passagens que são documentos fiscais. Já  veículos que possuem licença para fazer "turismo" não podem embarcar em terminais rodoviários, não podem emitir bilhetes de passagens e viajam com uma licença de viagem com uma lista com os nomes dos passageiros. Portanto empresas que vendem apenas o trecho de ida e possuem lista de passageiros são considerados clandestinos e estão passíveis de apreensão".

A ANTT informou ainda que "tem sido prática irregular constante das empresas de turismo contratados por empresa por aplicativo, estas solicitam licença para fazer Turismo e fazem linha apresentando essa licença a fim de enganar a fiscalização e os usuários que imaginam estar em uma viagem legalizada".

 

Detro: 18 autuações em Petrópolis no primeiro semestre

 

O Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro (Detro-RJ) divulgou nesta quarta-feira (14/07) que realizou 18 autuações em Petrópolis no primeiro semestre. O número faz parte do balanço feito pelo órgão sobre o trabalho de janeiro a junho deste ano, quando foram feitas 1.183 autuações em todo Estado, considerando multas a ônibus intermunicipais e vans e apreensões veículos que realizavam transporte de passageiros sem autorização do poder concedente.

O Detro não detalhou os motivos das autuações em Petrópolis. No balanço do trabalho em todo estado, o órgão destacou que, entre os ônibus, as principais irregularidades encontradas foram referentes a mau estado de conservação, descumprimento de horário, das normas de acessibilidade e sanitárias, além de documentação irregular; e nas vans, os agentes flagraram o desembarque de passageiros em local não permitido, excesso de lotação e itinerário alterado.

Segundo o órgão, quase seis mil ônibus foram vistoriados no primeiro semestre em todo estado.

“Nossa missão também é coibir o transporte irregular, que coloca a vida dos passageiros em risco. Além do trabalho de inteligência, contamos com a ajuda da população para denunciar irregularidades”, disse o diretor técnico-operacional do Detro-RJ, coronel Alexandre Pimenta.

 



Edição anterior (2439):
quinta-feira, 15 de julho de 2021
Ed. 2439:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2439): quinta-feira, 15 de julho de 2021

Ed.2439:

Compartilhe:

Voltar: