Edição anterior (1958):
sábado, 21 de março de 2020
Ed. 1958:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1958): sábado, 21 de março de 2020

Ed.1958:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Artistas petropolitanos buscam inovar durante crise

Para evitar aglomerações, serão feitas apresentações em redes sociais

Camila Caetano – especial para o Diário

 Loba: foto por Jefferson Balbino

O fácil contágio do novo coronavirus tem levado muitos questionamentos ao imaginário do senso comum. Um deles é como os artistas e demais pessoas que dependem do público estão fazendo para conciliar as suas carreiras e as medidas corretas de prevenção.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Diário nesta última sexta-feira, muitos deles estão aproveitando este momento para focar na produção e apostando, mais ainda, em plataformas virtuais, como é o caso dos cantores petropolitanos, Nego Preto, Loba, e J.F Aragão, como são chamados no meio cultural.

 JF Aragão: foto por Duda Dimensional

O rapper Nego Preto, contou ao Diário que antes da quarentena geral, estava se organizando para junto de outros artistas, promover alguns eventos na cidade, mas em poucos dias, viu todos os planos irem por água abaixo.

- Artistas e produtores independentes não costumam ter garantia do dinheiro chegar certinho todo mês. Agora, menos ainda. Particularmente, tenho usado esse tempo para produzir mais em casa, apoiar artistas menores divulgando e ouvindo seus trabalhos através das plataformas disponíveis na internet. Apesar disso, sei que a maioria de nós não vai se sustentar pra sempre assim – relatou ele, preocupado com a situação.

 Nego preto: foto por Yuri Mendes

A cantora e compositora Loba, também relatou que tem aproveitado esse tempo para estudar e produzir mais, inclusive, tem se preparado para realizar apresentações através de transmissões ao vivo em suas redes sociais.

- Nesse momento, eu tenho estudado mais sobre produção musical, para lançar um projeto em quarentena. Além disso, estou desenvolvendo uma forma de trabalho para os próximos dois meses, me apresentando em transmissões ao vivo no instagram – diz ela, que destaca:- Não lucrarei com essas apresentações, mas é como posso me mostrar para as pessoas que talvez estejam dispostas a nos conhecer e valorizar o nosso trabalho como artista – salienta.

Já o produtor musical da Gravadora RDR, J.F Aragão, relata que um de seus benefícios é ter um estúdio em casa, logo, pode continuar com a maior parte de seus trabalhos. Contudo, ele tem visto a crise de perto.

- Ultimamente tenho trabalhado mais com produção de vídeo, de música e afins, e como tenho meu estúdio em casa, posso continuar produzindo e compartilhando conteúdo pela internet. Mas meus amigos que trabalham tocando de maneira fixa em bares e restaurantes tiveram diversas apresentações canceladas, e não sabem como vão lidar com isso – diz ele, preocupado com a desenvoltura do cenário cultural mediante a crise.

Outras informações sobre J.F Aragão, Loba e Nego Preto podem ser encontradas através de seus perfis no Instagram. (@aragaomusic, @uivosdeloba, @negopreto_np, respectivamente).



Edição anterior (1958):
sábado, 21 de março de 2020
Ed. 1958:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1958): sábado, 21 de março de 2020

Ed.1958:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior