Edição anterior (1956):
quinta-feira, 19 de março de 2020
Ed. 1956:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1956): quinta-feira, 19 de março de 2020

Ed.1956:

Compartilhe:

Voltar:


  Economia

Às vésperas de corte de 12% pela Petrobrás, gasolina cai 0,64% na 1ª quinzena de março

Conforme levantamento da ValeCard, Rio de Janeiro e Acre têm litro do combustível mais caro do Brasil. Os menores valores foram encontrados no Amapá e em Santa Catarina

O preço médio da gasolina comum no Brasil na primeira quinzena de março foi de R$ 4,653. Sob impacto das primeiras semanas do novo coronavírus no país, o valor registrou queda de 0,64% na comparação com o registrado em fevereiro (R$ 4,683) e acompanha um movimento de redução que já era esperado pelo setor, puxado pela queda dos preços cobrados nas refinarias. Nesta quinta-feira, a Petrobrás repassa mais um corte severo nos valores cobrados, desta vez com redução de 12%. 

Conforme levantamento da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, Rio de Janeiro (R$ 5,087) e Acre (R$ 5,033) são os estados com o combustível mais caro – ambos são as únicas unidades da federação onde o preço médio da gasolina comum passa de R$ 5. Já Amapá (R$ 4,080) e Santa Catarina (R$ 4,342) apresentaram os preços mais baratos do país. 

Obtidos por meio do registro das transações realizadas na primeira quinzena de março com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 20 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que Rio de Janeiro e Belém têm os preços mais altos entre as capitais – R$ 5,078 e R$ 5,027, respectivamente. As capitais com preços mais baixos são Curitiba (R$ 4,231) e João Pessoa (R$ 4,245).  

 


Edição anterior (1956):
quinta-feira, 19 de março de 2020
Ed. 1956:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1956): quinta-feira, 19 de março de 2020

Ed.1956:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior