Edição anterior (2054):
quinta-feira, 25 de junho de 2020
Ed. 2054:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2054): quinta-feira, 25 de junho de 2020

Ed.2054:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Atuação dos Correios prejudica empreendedores

Empresa apresenta algumas medidas para solução dos problemas

Camila Caetano – especial para o Diário

 

Devido as recomendações dos Ministérios de Saúde durante a pandemia, houve um aumento de empresas operando por delivery e e-commerce, e, consequentemente, os serviços prestados pelas agências Correios passou a ser mais requisitado, e sua operação foi considerada essencial para o funcionamento de muitos negócios no presente momento de distanciamento social. No entanto, a forma deficitária que o órgão tem atuado, principalmente no município, vem amargando prejuízos à agência, e aos consumidores.

Um empresária que dependia dos insumos comprados pela internet para entregar o pedido dos seus clientes, foi prejudicada pela atuação do órgão. Suas encomendas, que deveriam ser entregues nos dias 15 e 17 de maio, chegaram a sua casa apenas nas primeiras semanas de junho – fato que danificou muito a sua rotina de trabalho. Ela conta um pouco mais sobre a situação.

- Quase perdi dois trabalhos no meio dessa crise pela não entrega e ineficiência dos Correios. Estava no aguardo de produtos enviados por clientes para fazer receitas e gerar conteúdos como por exemplo, desafios online. Entretanto, as encomendas demoraram mais de 40 dias para chegar. Alguns dos insumos que comprei levaram cerca de 50 dias para chegar. É um absurdo nós termos que pagar por um serviço caro, e ineficiente – disse ela, que continuou:- os canais para contato estão muito ruins, o rastreio não funciona direito. Fui em alguma agência tentar resolver o problema, e em algumas nem entrei por causa das aglomerações – disse ela.

Esses problemas fizeram com que o Ministério Público Federal entrasse com uma ação na Justiça contra a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, a qual além de questionar o fechamento de algumas agências na cidade exigiu que órgão pagasse R$ 1 milhão de indenização sob pena de multa diária se R$ 5 mil, caso o órgão não cumpra com as determinações. O valor deve ser destinado ao Fundo Municipal de Interesses do Consumidor de Petrópolis ou para a aplicação, ainda que parcial, em medidas de combate e assistência social relativas à covid-19. Na ocorrência, o MPF  estabeleceu o prazo de 30 dias para que seja informado em juízo o real déficit de empregados (afastados das atividades por qualquer motivo) em cada uma das Unidades Operacionais situadas na cidade, de acordo uma matéria publicada pelo Diário nesta terça-feira.

Vale lembrar, que, no MPF, as denúncias podem ser feitas pelos telefones: (24) 22209270 ou final 22209271. E ainda diretamente ao setor Jurídico Ministério pelo aplicativo:  https://aplicativos.pgr.mpf.mp.br/ouvidoria/app/cidadao/manifestacao/cadastro/2

Procon se pronuncia

Em nota, o Procon informou que, desde o início da pandemia da covid-19, o Procon/Petrópolis-RJ vem monitorando os problemas enfrentados pelos consumidores petropolitanos, no que diz respeito ao atraso nas encomendas e correspondências. A empresa foi intimada a regularizar as atividades, tanto através da Central de Entrega de Encomendas – CEE, no bairro Mosela, quanto por meio da superintendência estadual. Em ambos os casos, foi informado ao órgão de defesa do consumidor que os serviços seriam regularizados. Essa regularização não aconteceu dentro do prazo informado pela empresa. Depois de mais de 500 denúncias de consumidores, o Procon municipal multou os Correios em R$ 526 mil.

Mesmo após a multa, o Procon continuou monitorando a situação e recebendo as reclamações de atraso nas entregas. Além disso, ainda autuou e intimou a empresa a reabrir as unidades de Corrêas, Itaipava e Posse, que foram fechadas, prejudicando o atendimento aos consumidores nos distritos. O órgão de defesa do consumidor continuou recebendo as denúncias e encaminhando as reclamações para que a CEE regularizasse as entregas. A empresa anunciou um plano de regularização e, por meio do setor de atendimento do Procon, foi percebida a redução de quase 60% no volume de denúncias diárias de atrasos.

As denúncias referentes aos Correios estão sendo formalizadas através do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor – Sindec. Com isso, a empresa tem 20 dias para responder em relação ao atraso de cada encomenda. Mas, é necessário que o consumidor procure o Procon e formalize a reclamação, informando o prazo, o tipo de mercadoria e o código de rastreio, para que o órgão de Defesa do Consumidor possa acompanhar o caso e monitorar a resolução. Caso seja percebido o agravamento no serviço de entregas, como foi identificado no mês de maio, os Correios podem ser autuados e, eventualmente, multados novamente, com o agravante da reincidência.

Correios envia nota à imprensa:

Questionado pelo Diário, o Correios esclareceu que, com relação aos serviços prestados nos principais centros, como Rio de Janeiro e outras capitais que enfrentam o agravamento da pandemia, não há distinção entre os afetados ou não: o que se constata é um quadro de desaceleração geral das atividades, demandando das autoridades medidas mais austeras para conter a disseminação da doença.

Em atenção à saúde de seus empregados, uma das medidas adotadas pelos Correios foi a instituição de trabalho remoto para aqueles classificados como grupo de risco – conforme parâmetros estabelecidos pelas autoridades de saúde –, bem como para aqueles que coabitam com pessoas nessas condições. Naturalmente, houve significativo decréscimo no efetivo da empresa e, consequentemente, dificuldades para a execução de suas operações. Ao mesmo tempo, desde a instituição das medidas de isolamento social, observou-se um expressivo aumento do tráfego de encomendas. Dessa forma, a já elevada carga diária que transita pelas instalações dos Correios passou a demandar ainda mais do reduzido contingente operacional.

Para solucionar as dificuldades enfrentadas, especificamente no Rio de Janeiro, a empresa formulou um novo plano de ações. Dentre as medidas previstas, destacam-se: a contratação de quase 2000 empregados terceirizados, a realização de mais de 7000 horas extras, a locação de mais de 70 linhas de transporte de carga, tratamento especial de encomendas oriundas de transações eletrônicas.

De acordo com as previsões da área operacional, ainda no mês de junho será possível observar uma nítida melhora dos serviços dos Correios.

Reiteramos que, mesmo diante desse cenário, as entregas e o atendimento nas agências estão ocorrendo seguindo as devidas medidas de segurança. Os Correios também estão promovendo adequações nas operações para garantir o funcionamento e o acesso aos serviços postais.

Eventuais casos de inconformidades ou contratempos nos serviços de entregas, quando reportados à empresa por meio dos canais oficiais de relacionamento, estão sendo prontamente averiguados e solucionados.

Os Correios lamentam eventuais transtornos à população neste momento de adversidade e adaptação de todos os setores da sociedade. A empresa reitera que está trabalhando para viabilizar, com segurança, a continuidade de suas atividades, essenciais para atender a população nesse período em que mais precisa, e segue à disposição pelos telefones 3003-0100 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (demais localidades), ou pelo Fale Conosco, no site www.correios.com.br



Edição anterior (2054):
quinta-feira, 25 de junho de 2020
Ed. 2054:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2054): quinta-feira, 25 de junho de 2020

Ed.2054:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior