Edição anterior (1770):
domingo, 15 de setembro de 2019
Ed. 1770:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1770): domingo, 15 de setembro de 2019

Ed.1770:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Aumenta a oferta de carros híbridos na cidade

Tendência mundial começa a chegar em Petrópolis, mesmo que devagar

João Vitor Brum, especial para o Diário


 O universo dos carros híbridos e elétricos tem crescido a nível mundial desde o lançamento do primeiro veículo do tipo, em 1997. Desde então, muitos avanços têm sido realizados no segmento, que começou a crescer no Brasil na última década e começa a ganhar força. Em Petrópolis, a procura por modelos com a motorização elétrica ainda é pequena, mas a oferta aumentou em 2019: em novembro do ano passado, eram apenas duas opções na cidade, e hoje são pelo menos cinco. Dois veículos lançados recentemente, inclusive, já possuem cerca de 45 encomendas e espera de até seis meses para entrega. Na última semana, foi realizado o lançamento oficial do Toyota Corolla na cidade, que compõe o quadro de veículos ecologicamente corretos e, de acordo com estimativas de preço, se torna a opção mais barata em Petrópolis e no Brasil.

Em janeiro de 2017, a frota mundial de híbridos atingiu a marca de 12 milhões de unidades. O Japão é o maior mercado do segmento, com 7,5 milhões de carros, o que representa 62,5% do total de vendas.

Segundo a plataforma CarSalesBase, 1,26 milhão de carros elétricos foram vendidos mundialmente em 2018, número 73% do que em 2017 (quando foram vendidos 727 mil) e 222% maior do que o total de vendas em 2016, quando 391 mil foram comercializados. Já no primeiro semestre deste ano, foram 1.134.000 carros do tipo vendidos mundialmente, número 46% maior do que no mesmo período do ano passado.

De acordo com o Detran, Petrópolis possui uma frota total de 23 carros híbridos. Na plataforma do órgão que possui estatísticas sobre o numero de veículos por cada combustível, os híbridos são incluídos na aba de veículos à gasolina, o que não permite a visualização do público do número específico. Em resposta ao Diário, o Departamento informou que o site será alterado para que estes veículos sejam especificados.

Qual a diferença entre híbridos e elétricos?

Os carros híbridos funcionam, simultaneamente, com motores a combustão (em grande parte dos modelos, à gasolina) e elétricos. Estes veículos possuem diferentes motorizações e formas de abastecimento. O tipo mais comum é, também, o mais simples. O carro possui um motor a combustão e um elétrico, mas o segundo não pode ser carregado em uma fonte externa. A recarga acontece através do sistema de freio regenerativo, que converte a energia das acelerações.

Já os híbridos plug-in são aqueles que possuem as motorizações elétrica e a combustão, mas com a opção de carregamento do motor elétrico em uma tomada ou estação de abastecimento, assim como acontece com os elétricos “puros”, conhecidos desta forma por terem 100% de seus funcionamentos provenientes da energia elétrica. 

Há, ainda, os híbridos de longo alcance, que possuem como principal meio propulsor os motores elétricos, enquanto o motor a combustão funciona, na maior parte dos casos, como um gerador para alimentar as baterias. 

Os híbridos série são aqueles em que o motor a combustão só funciona para alimentar as baterias; os paralelos são os veículos em que cada motor traciona um eixo e os híbridos mistos funcionam com os dois motores conectados ao mesmo eixo, com a participação de cada um controlada por uma central eletrônica que avalia o melhor momento para acioná-los.

Opções disponíveis em Petrópolis

No Brasil, há 23 opções de carros híbridos e quatro de elétricos. A oferta em Petrópolis representa apenas 18% dos carros disponíveis no país. Três montadoras com agências na cidade possuem opções ecologicamente corretas, com valores inicias que variam entre R$ 128.990 e R$ 182.990. Todas as versões híbridas disponíveis na cidade são do tipo simples, com o motor elétrico auxiliando o trabalho do propulsor a combustão.

O primeiro híbrido vendido em Petrópolis - e no Brasil - foi o Ford Fusion, em 2010, ainda na geração anterior. O modelo mudou completamente em 2013 e recebeu atualizações nos anos seguintes, mantendo sempre a versão com motores elétrico e a combustão como a topo de linha.

Mesmo pioneira no país, a versão representa uma parcela pequena das vendas do sedã: 

A versão “verde” custa R$ 182.990, de acordo com a tabela divulgada pela empresa. A configuração mais próxima custa R$ 179.900, uma diferença que representa um valor 1,6% inferior para o carro com motor comum. O vendedor da Tec Auto, revendedora da Ford em Itaipava, Luiz Cláudio de Souza, destaca que a procura pelo modelo é baixa.

- Vendemos uma média de três Fusion com a motorização híbrida anualmente, contando as vendas das duas lojas da rede na cidade. Acredito ser uma questão cultural, como foi com o câmbio automático. O público não está acostumado ainda, mas com o tempo essa tecnologia vai se tornar mais popular - disse Luiz Cláudio.

Entre as novas opções na cidade, está a 12ª geração do carro mais vendido do mundo - e campeão de vendas em sua categoria no Brasil -, o Toyota Corolla, que foi lançado oficialmente na cidade na última quinta-feira (12). O lançamento aconteceu no mesmo evento em que foi inaugurada a Trattoria Locanda, localizada na Avenida Ipiranga. Mesmo antes do lançamento, 20 clientes já haviam realizado a pré-encomenda do veículo.

O modelo é um dos três com a combinação entre motores elétricos e a combustão oferecidos pela marca japonesa em Petrópolis, e é o primeiro carro do mundo a unir a motorização elétrica à uma bicombustível (podendo abastecê-lo com álcool ou gasolina). O Brasil é o único país a contar com esta opção (o veículo é um lançamento mundial, mas em outros mercados a opção híbrida só pode ser abastecida com gasolina).

A versão híbrida, assim como no Fusion, não é a única disponível e está posicionada como a topo de linha. De acordo com o site da marca, o carro custa R$ 124.990, se tornando o híbrido mais barato em nosso mercado.

Antes, quem ocupava o título era o Prius, da mesma montadora, que tem o valor de R$ 128.530 na tabela da marca. Entretanto, pesquisas divulgadas pela revista Quatro Rodas em sua tabela de preço apontam que, nas lojas, o carro é vendido a R$ 122 mil.

O Prius foi pioneiro no segmento: em 1997, sua primeira geração foi lançada, sendo o primeiro carro do tipo produzido em larga escala no mundo. Chegou ao Brasil em sua terceira geração, em 2012, e a versão mais recente, que compartilha plataforma com o Corolla, foi lançada em 2016 e atualizada neste ano.

Além do Corolla e do Prius, a Toyota oferece o SUV RAV4, que se tornou híbrido recentemente, com a chegada de uma nova atualização. Mesmo lançado há pouco tempo (chegou às lojas no último bimestre), o consultor de vendas da Toyoserra - agência da marca em Petrópolis -, Giovani Ferreira de Oliveria, conta que pelo menos 20 unidades do RAV4, cujo preço parte de R$ 171.850, já foram encomendadas.

- A procura pelo modelo foi impressionante, principalmente por ser um carro com valor inicial mais elevado quando comparado com os próprios modelos da marca no segmento. A espera para entrega já é de seis meses - destacou Giovani, que contou, também, que pelo menos 25 Corollas foram encomendados durante a pré-venda na cidade.

- Antes mesmo do carro ser lançado, a procura foi grande. O carro possui um apelo tanto ecológico quanto econômico, o que deve ajudar muito na decisão do comprador. O Prius, o primeiro híbrido que comercializamos aqui, sempre foi um sucesso. Vendemos entre um e três carros do modelo por mês - completou o consultor.

A quinta opção para carros ecologicamente corretos na cidade é, também, a única com abastecimento 100% elétrico: o Renault Zoe, apresentado no Salão do Automóvel, em novembro do ano passado, com preço sugerido de R$ 149.900. O veículo, de acordo com o CarSalesBase, é o nono elétrico mais vendido do mundo, com 40.508 unidades vendidas mundialmente no ano passado.

Vale ressaltar, entretanto, que não ha versão disponível na loja da montadora francesa na Rua Coronel Veiga. Para adquirir o veículo, o interessado deve ir até a agência e realizar a compra diretamente com a fábrica, como explica o responsável pelas vendas diretas do estabelecimento, Carlos Alberto Butturini.

- O cliente interessado no carro vem até a loja e fazemos o contato diretamente com a fábrica. Há também pacotes de instalação de estações de recarga disponíveis, que custam em média R$ 5 mil, dependendo da necessidade do interessado. Ainda não tivemos procura pelo modelo, mas acredito que isso seja resultado de uma estratégia da montadora de divulgar novidades nos carros de maior saída - comentou Carlos Alberto.

Além das opções, um outro carro elétrico pode vir à cidade em um futuro próximo. Há previsão de inauguração de uma loja da Nissan, que possui o Leaf, um dos elétricos mais populares mundialmente e que foi lançado no Brasil neste ano. Ainda não há previsão para abertura da loja.



Edição anterior (1770):
domingo, 15 de setembro de 2019
Ed. 1770:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1770): domingo, 15 de setembro de 2019

Ed.1770:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior