Edição anterior (1841):
segunda-feira, 25 de novembro de 2019
Ed. 1841:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1841): segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Ed.1841:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Ayurveda: ciência da vida

Vibrações sonoras constituíram a matéria do universo

Camila Caetano – especial para o Diário

 

 

A Ciência da Vida, ou melhor, o Ayurveda (no sânscrito) é uma técnica medicinal milenar que surgiu na Índia visando à promoção da saúde através da conexão do homem com a natureza.

De acordo com Vera Antoun, essa relação mútua de conexão foi constituída pelos sábios que existiram há muitos séculos atrás e, desde os primórdios, já realizavam as práticas de meditação, onde, todo conhecimento obtido era fruto da observação da natureza. Com o passar do tempo esse conhecimento empírico foi se tornando cada vez mais racionalizado e sistematizado.

Vera Antoun é médica psiquiatra há 38 anos, e trabalha com medicina tradicional indiana, o Ayurveda, há duas décadas. Estudou na Faculdade Arthur Nelson Earp, e além do Brasil, também buscou especializações em países como Holanda, Argentina, Colômbia, e, sobretudo, na Universidade de Maharishi.

A médica conta que sempre teve interesse na área de ensino oriental, mais especialmente, na acupuntura, pois via que esta técnica não era somente a parte menos mecânica da medicina, era também uma interseção entre as ciências humanas e biológicas, fator que a tornava mais interessante. Porém, isto não foi o suficiente para sustentar seu fascínio.

- Na época a acupuntura era usada de maneira alopática, colocavam-se várias agulhas, e depois, todos os sintomas estavam de volta. Por isso acabei enjoando, até que me interessei por meditação e aí “eureca!” pois tinha relação com o meu trabalho, com o exercício da mente. Assim eu conheci o Ayurveda. – diz a psiquiatra.

Tudo que é abstrato se consolida no ar

Com o advento da tecnologia e o amadurecimento da modernidade, é bem verídico que começou-se a crer em filosofias que diziam a cerca de um mundo líquido. Logo, a expressão “Tudo que é sólido desmancha no ar”, título da obra mais famosa de Marshall Berman, começou a fazer sentido além da literatura.

Porém, nem sempre fora deste jeito.

Antoun conta que a cultura védica foi organizada em cima das tradições orais, pois além de precederam muito a escrita, os sábios, ao elaborarem o conhecimento, acreditavam que a vibração emitida por transmissão oral durante recitação védica, acabava por criar aquele conhecimento no mundo, deixando de ser somente vibração, e se tornando também, matéria. Ou seja: tudo que era abstrato, se consolidava no ar!

- Desde aquela época eles sabiam que a matéria se organizava a partir das vibrações mais sutis (sons) até as vibrações mais densas. Tudo que a física moderna vem confirmando, eles já tinham noção naquele tempo – salienta Vera, que complementa:- No Sânscrito, o som não está dissociado dos sentidos, ele cria àquilo que está dizendo. Mais tarde, a física comprovará a mesma coisa: as vibrações sonoras foram as que primordialmente criaram a matéria e o universo, que até então, era constituído unicamente por vibrações.

Vale ressaltar que seguindo a lógica do sistema de castas da Índia, o conhecimento tinha de ser transmitido pelas famílias brâmanes, pois eram eles que podiam se dedicar aos estudos e manter viva toda essa sabedoria.

O Ayurveda é mais que uma medicina, é todo sistema da natureza, da vida e do relacionamento do homem com para com os mesmos, tudo isto visando a promoção da saúde., conforme fora dito pela OMS, a saúde é muito mais que a ausência das doenças.

Ao saber disso tudo, é importante perguntarmos para nós mesmos: e se o big bang foi apenas um barulho que deu origem a toda matéria que pisamos.



Edição anterior (1841):
segunda-feira, 25 de novembro de 2019
Ed. 1841:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1841): segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Ed.1841:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior