Edição anterior (1646):
terça-feira, 14 de maio de 2019
Ed. 1646:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1646): terça-feira, 14 de maio de 2019

Ed.1646:

Compartilhe:

Voltar:


  Política

Câmara promove reunião para debater o fechamento de agências bancárias em Petrópolis


 Na tarde desta segunda-feira (13.05), a Câmara Municipal promoveu uma reunião para debater o fechamento de duas agências bancárias do Itaú, uma no bairro Itamarati e outra no Centro. O encontro foi uma proposta do presidente do Legislativo, vereador Roni Medeiros (PTB), e contou com a presença de comerciantes, moradores e do Sindicato dos Bancários de Petrópolis.

Era aguardada a presença de representantes do banco, que comunicaram a indisponibilidade do comparecimento ao debate em cima da hora. Por determinação do presidente, foi marcada para o próximo dia 28, às 19h, no plenário da Câmara, uma Audiência Pública para tratar de forma oficial sobre o assunto.

“O não comparecimento de algum representante do banco inviabilizou um debate amplo. Por isso estou confirmando a realização de uma Audiência Pública, com a participação de todos os atores envolvidos na questão para, de forma oficial, promover um diálogo construtivo e acharmos uma solução viável para o não fechamento destas agências”, afirma Roni Medeiros.

Durante a semana passada, o Sindicato dos Bancários realizou protestos na porta da agência no Itamarati e fez um abaixo-assinado, contra o fechamento, que obteve 2.512 assinaturas.

“Fechar agências, principalmente nos bairros, é ir contra, por exemplo, a mobilidade urbana da cidade. A partir do momento que a agência for fechada, mais de 1.500 pessoas já estarão no Centro, grande parte de carro, para ser atendido em outro correspondente bancário. Isso é algo que precisa ser repensado”, aponta o vereador Roni Medeiros.

O vereador Ronaldo Ramos (PSB) lembrou que o distrito da Posse sofre por falta de uma agência bancária na localidade.

“Isso é uma questão social. A economia da Posse teve um declínio desde o fechamento das agências para atender a população. Isso é uma afronta contra os moradores e promove uma perda para a localidade. É muito complicado não termos esse serviço em nosso distrito. Estou solidário a essa luta”, reforça o vereador.

O vereador Professor Leandro Azevedo (PSD) também se colocou à disposição para reverter esse quadro, que irá prejudicar os moradores do Itamarati.

“Não podemos aceitar essa situação. Por isso estarei ao lado desses moradores para lutar e preservar o funcionamento das agências bancárias”, disse o vereador.

O presidente do Sindicato dos Bancários de Petrópolis, Marcos Alvarenga, destaca que o banco “é um dos que mais lucra no Brasil. São mais de R$ 25 bilhões de lucro em 2018, e nesse ano, mais de R$ 6 bilhões em quatro meses. O que mais indigna é que os representantes só avisaram que não viriam à reunião hoje (13.05). Vamos encaminhar nosso abaixo-assinado à superintendência do banco em São Paulo e vamos lutar para que ambas as agências sejam mantidas”.

O comerciante Fabio Pizzi da Costa lamentou a ausência dos representantes do banco e declarou que “esse fechamento das agências, principalmente a do Itamarati, não pode acontecer. São milhares de pessoas que utilizam o serviço daquela agência. Isso é uma arbitrariedade”, pontua.  

 

 



Edição anterior (1646):
terça-feira, 14 de maio de 2019
Ed. 1646:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1646): terça-feira, 14 de maio de 2019

Ed.1646:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior