Edição anterior (1760):
quinta-feira, 05 de setembro de 2019
Ed. 1760:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1760): quinta-feira, 05 de setembro de 2019

Ed.1760:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

 

 

Cine Pagu: cineclube itinerante com foco em Direitos Humanos

Projeto criado por artista carioca completa dois anos

Camila Caetano – Especial para o Diário

Pagu é um Cineclube itinerante petropolitano que  possui o grande diferencial de contar com a presença de provocadoras e debatedoras pertinentes aos temas propostos, visando à promoção de sessões gratuitas de cine-debate, com temáticas variadas e exibição de filmes de ficção e documentários. A iniciativa fora instituída por  Beatriz Ohana, carioca (criada em Petrópolis), cineasta e produtora de audiovisual. 

O Cine completou 2 anos de existência no dia 12 de agosto e já realizou ao todo, 35 edições em organizações e salas do centro da cidade, instituições públicas de ensino e comunidades da região, além de atuar com Formação Audiovisual e realização de filmes, o projeto tem alcançado um número de pessoas cada vez maior, sendo considerado por muitos, o cineclube mais atuante da região serrana do Estado Rio de Janeiro.

As atividades do projeto tiveram início em 2017, na Sala de Cinema Humberto Mauro, no Centro de Cultura Raul de Leoni, com exibições focando na questão da mulher, relações de gênero e identidade. A partir de 2018, ampliou suas discussões em torno da Educação, Política e Direitos Humanos de forma geral, em suas sessões no CDDH – Petrópolis, realizando algumas edições especiais na FAETEC - Petrópolis, Casa da Ipiranga, Firma, Estúdio Aldeia e em bairros da cidade.

Ao longo de 2019, Pagu trabalha com duas parcerias que são fundamentais para sua consolidação e amadurecimento. Entre elas, o CEFET,  onde realiza sessões de cine-debate com convidadas para discutir questões que atravessam a vida nas cidades do Brasil, e principalmente, em Petrópolis. O tema “Repressão e Ditadura” fora abordado durante a IV Semana da Memória, Verdade e Justiça, e além disso, outras temáticas como: “Segregação,Ocupação e Patrimônio”, “Território e Moradia”, “Gênero e Cidade”, também foram tratados e levados à debates ao longo das atividades.

Beatriz conta que no CEFET o cineclube consegue assistir a um público mais diverso,  e completa dizendo: “Espero que consigamos fortalecer isso e, cada vez mais, trazer pessoas da cidade, para debater uma Petrópolis, que possa vir a ser construída por nós mesmos”.

E a outra parceria, o Cine Pagu na Escola – Centro Educacional Comunidade São Jorge, no bairro Independência, onde são realizadas sessões de exibições seguidas de atividades com 40 crianças de 8 a 14 anos.

- O Cine Pagu na escola tem sido uma experiência incrível, pois estamos criando um vínculo cada vez mais sólido com as crianças. Estamos nos fortalecendo como um cineclube que realmente faz uso da sua ferramenta de forma educacional e pedagógica, e conseguimos ver esse resultado nas crianças – explica Ohana.

Pagu na Escola – Centro Educacional Comunidade São Jorge

O Cine Pagu na Escola foi aprovado no Edital de Seleção de Projetos Culturais do Instituto Municipal de Cultura e Esportes de Petrópolis, onde as propostas selecionadas são contempladas com verba do Fundo Municipal de Cultura.

O objetivo é que além das exibições seguidas de atividades, sejam oferecidas oficinas de realização audiovisual, passando por todas as etapas de criação do cinema, para construir um filme criado e desenvolvido pelas crianças, contando a história do bairro Independência, que será exibido para todos no Centro Educacional Comunidade São Jorge no fim do ano.

Bia conta que foi muito importante terem conseguido ser aprovados na seleção de projetos culturais do IMCE. “isso fez com que pudéssemos fortalecer mais essa idéia de audiovisual, e estarmos lá muito mais vezes por mês”.  

Equipe Cine Pagu

“Depois de um curto, mas, significativo início de jornada, este ano o cineclube entrou em um novo momento. Além de todas as conquistas, o projeto ganhou um corpo e passou a ser pensado e executado por mais três pessoas” – Conta Beatriz, líder da equipe, que tem como marco na sua carreira o fato de utilizar o cinema e a arte como ferramentas de transformação.

 A equipe, totalmente formada por mulheres, também é composta por: Vivian Amaral, educadora do grupo que contribui com o olhar certeiro da pedagogia às exibições e atividades do cineclube; Sophia Ázara, fotógrafa, designer, videomaker que além de dividir a curadoria dos filmes com Bia, atua como cenógrafa nas atividades do Cine Pagu na Escola; e Carol Guerra, Cantora, compositora e gerenciadora de mídias sociais, mais recente no coletivo, chegou para assumir a comunicação.

A próxima edição será no dia 23 de setembro, com o tema “Educação e Cidade – Acesso e Permanência”. Outras informações serão divulgadas em breve na página do cineclube no Facebook (Cine Pagu), e no Instagram (@cine.pagu).

 

 


 

 



Edição anterior (1760):
quinta-feira, 05 de setembro de 2019
Ed. 1760:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1760): quinta-feira, 05 de setembro de 2019

Ed.1760:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior