Edição anterior (1960):
segunda-feira, 23 de março de 2020
Ed. 1960:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1960): segunda-feira, 23 de março de 2020

Ed.1960:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Comércio sente impacto da pandemia

Apesar da troca de horário, movimento continua baixo

Camila Caetano – especial para o Diário

 

Com o intuito de evitar a propagação do novo coronavirus, o horário de funcionamento dos comércios da Rua Teresa e do Centro da Cidade tiveram que passar por alterações, que começaram a valer nesta última quinta-feira. De acordo com a nova determinação, agora o Centro tem funcionado de 12h às 18h, e a Rua Teresa das 10h as 16h, e os colaboradores têm sentido na pele os impactos causados pela pandemia.

A Rua Teresa, com toda sua variedade, é um dos pontos turísticos preferidos daqueles que vem em Petrópolis a passeio, contudo, no momento, a rua encontra-se vazia, assim como diversas outras da cidade.

Uma comerciante de uma loja de roupas infantis que trabalha na Rua Teresa há 37 anos, afirma que em todo esse tempo, nunca viu o local tão vazio como tem visto ultimamente.

- Aqui onde eu trabalho são duas funcionárias e cada uma tem vindo um dia, seguindo corretamente os horários e as medidas de prevenção. As vendas estão praticamente zeradas – diz a comerciante, que preferiu não ser identificada e complementa:- em 37 anos de Rua Teresa, é a primeira vez que vejo o movimento do comércio deste jeito.

Já Vânia Lucia, que trabalha em uma loja de roupas femininas, diz que assim que a Pandemia começou o movimento no comércio foi caindo, e a loja em que trabalha deve fazer uma pausa no funcionamento a partir de segunda-feira.

- O novo horário começou quinta. Mas pelo o que entendi, a partir de segunda-feira, faremos uma pausa no funcionamento. Aqui na loja, vendemos mais pros turistas do que para quem mora aqui, agora com a pandemia, estamos sem procura pelos produtos – diz ela, assustada com os impactos.

Apesar disso, parte do publico de risco ainda não pôde deixar de frequentar as ruas petropolitanas, como é o caso de Erineia Sampaio, uma senhora de 84 anos que mora na Rua Teresa. 

- Estou com 84 anos, e estou apavorada com a pandemia. Mas não tenho quem possa ir fazer as compras pra mim. Por isso saio de manhã, no momento em que o movimento na cidade e nos mercados costuma ser menor. Moro aqui na Rua Teresa há bastante tempo, e também nunca a vi tão vazia como tem estado – disse a senhora, que garantiu estar tomando os cuidados e fazendo uso do álcool em gel.

Centro da Cidade

No Centro da Cidade os resultados são iguais aos da Rua Teresa. Mesmo com o reajuste do horário de funcionamento, o movimento do comércio permanece quase nulo.

Como é o caso de um restaurante e de uma sapataria.

No restaurante, o gerente informou que os impactos tem afetado todos os estabelecimentos da cidade.

- O movimento está muito ruim, mas não é só aqui. É em todos os comércios do Centro da Cidade. Apesar da troca de horário de funcionamento do Centro, as pessoas estão tomando as medidas certas de prevenção ao não saírem de casa – diz ele, assustado.

Já na sapataria, um funcionário do estabelecimento informou que esse é o período mais delicado que a loja já passou, durante os cinco anos que ele trabalha lá.

- Eu não sei se a loja permanecerá aberta até semana que vem, nesse momento delicado que estamos passando. O movimento que estamos tendo nem se compara ao que havia antes da pandemia, está muito difícil – lamenta.



Edição anterior (1960):
segunda-feira, 23 de março de 2020
Ed. 1960:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1960): segunda-feira, 23 de março de 2020

Ed.1960:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior