Edição anterior (1620):
quinta-feira, 18 de abril de 2019
Ed. 1620:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1620): quinta-feira, 18 de abril de 2019

Ed.1620:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Cônsul americano planeja visita a Petrópolis no próximo mês

Corey Skelton irá se reunir com autoridades e empresários da cidade

 João Vitor Brum

Cidadãos americanos não precisarão de visto para turismo e negócios para virem ao Brasil a partir do dia 17 de junho, em uma ação do Governo Federal que visa aumentar o fluxo de turistas no país. Para tratar do assunto, o cônsul americano Corey Skelton planeja uma visita à cidade no mês de maio, quando deverá se reunir com autoridades e empresários locais, graças à uma parceria firmada entre o Consulado; a responsável pelo acolhimento de turistas americanos em Petrópolis, Cecília Nussembaum-Chaplin; e a turismóloga e empresária Gisele Goulart.

A visita está programada para os dias 16 e 17 de maio, mas ainda não foi confirmada. Ela deve acontecer um mês antes do início da isenção de visto, que, além do povo americano, inclui também canadenses, australianos e japoneses. Desde o anúncio da resolução, a procura de americanos por viagens ao Brasil cresceu 54%.

O cônsul irá esclarecer dúvidas sobre como o visto para não imigrantes pode beneficiar o turismo da cidade e se familiarizar com a Cidade Imperial, que recebeu cerca de dois milhões de turistas em 2018 e movimentou R$ 400 milhões com suas festas no mesmo ano.

- É muito importante mostrarmos ao Cônsul a hospitalidade de Petrópolis com os turistas, além das inúmeras atrações para todo tipo de público. Esta visita, ainda mais no momento em que acontece, será ótima para o turismo local – disse Gisele Goulart.

Dados do Ministério do Turismo, relativos a 2017, indicam que o povo americano é o segundo que mais visita o Brasil, com cerca de 475 mil viajantes no ano, atrás apenas dos argentinos, com 2,2 milhões de turistas.

Governo americano recomenda cuidado ao visitar o Brasil

Após o anúncio da isenção do visto, o governo dos Estados Unidos recomendou que os viajantes exerçam cautela aumentada ao visitar o Brasil devido à alta incidência de crimes. Um texto, publicado pelo Departamento de Estado Americano em 6 de fevereiro, pontua algumas precauções ao visitar o país.

“Exercer precaução maior no Brasil devido ao crime. Algumas áreas têm risco muito elevado. (...) Crimes violentos, como assassinato, roubo à mão armada e sequestros são comuns em áreas urbanas, durante o dia e a noite. Atividade de gangues e crime organizado são altamente incidentes”, diz uma parte do texto, em tradução realizada pelo Diário.

O país norte-americano classifica as nações por seu risco aos viajantes através de informações de seus consulados, numa escala que vai de 1 a 4, sendo o mais baixo indicando precauções normais ao se viajar e o mais alto indicando que o americano não viaje para o local. O Brasil está situado na categoria 2.

Argentina, Chile e Uruguai, países vizinhos que também dispensam a emissão de visto, se encontram na categoria 1, indicando uma segurança maior aos turistas, enquanto a Colômbia está no mesmo nível do Brasil. A Venezuela, por outro lado, aparece na última categoria.

- Petrópolis se beneficia desta resolução pois é considerada a cidade mais segura do Estado, o que favorece a vinda de turistas estrangeiros. Por isso, devemos acolhê-los o máximo possível e garantir que, em nossa cidade, a experiência seja a mais agradável – destacou a turismóloga Gisele Goulart.

O texto americano segue com as seguintes instruções: “Caso decida viajar ao Brasil: (...) não resista fisicamente à nenhuma tentativa de roubo; tenha cautela ao andar ou dirigir à noite; não esbanje sinais de riqueza, usando relógios caros ou joias; evite o uso de caixas eletrônicos em áreas escuras ou desertas; tenha cuidado ao usar o transporte público, especialmente à noite, devido a estatísticas que indicam que passageiros enfrentam um nível elevado de risco de roubo ou agressão usando transportes públicos no país; tenha cuidado extremo ao realizar caminhadas, especialmente no Rio de Janeiro, nas montanhas do Corcovado, devido à falta de patrulha policial”, entre outros.

Também há um tópico tratando diretamente das favelas cariocas. O Departamento de Estado recomenda que os americanos não visitam as áreas, mesmo em visitas guiadas, devido à falta de segurança pública nessas regiões. Há, também, um texto específico quanto à cidade de Recife, no Pernambuco, destacando a grande incidência de crimes.

Sobre o Consulado Americano no Rio

O Consulado Geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro foi inaugurado em novembro de 1971, ano em que a Embaixada americana foi transferida para Brasília. O Consulado é dirigido por um Cônsul Geral e é responsável por serviços diplomáticos e comerciais, além da coordenação de atividades governamentais nos estados do Rio, Espírito Santo e Bahia.

A Seção Consular possui, também, jurisdição Consular sobre essa região do Brasil. A maioria dos solicitantes de visto de não imigrante, entretanto, pode solicitar o visto em qualquer Consulado ou na Embaixada, independentemente do local onde residem.

 



Edição anterior (1620):
quinta-feira, 18 de abril de 2019
Ed. 1620:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1620): quinta-feira, 18 de abril de 2019

Ed.1620:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior