Edição anterior (1746):
quinta-feira, 22 de agosto de 2019
Ed. 1746:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1746): quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Ed.1746:

Compartilhe:

Voltar:


  Defesa Civil

Coordenadores de Defesa Civil de Grandes Metrópoles aprovam programa pioneiro de Petrópolis

O Defesa Civil nas Escolas foi bastante elogiado no 3º Encontro de Coordenadorias Municipais de Proteção e Defesa Civil de Grandes Metrópoles, realizado nesta quarta-feira (21.08) em Guarulhos (SP). Participaram representantes das prefeituras de São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Campinas e da cidade sede do evento, além do promotor da Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil. Petrópolis foi convidada para a discussão por conta do pioneirismo e dos resultados do programa, que busca desenvolver a cultura de prevenção aos desastres de origem natural.

 

O encontro tem o objetivo de compartilhar experiências e desafios comuns em municípios com mais de um milhão de habitantes. As autoridades presentes no evento concordaram da importância do Defesa Civil nas Escolas não apenas para Petrópolis, mas também para outros municípios do país. "O trabalho nas escolas é exemplar e deveria ser replicado também pelas grandes metrópoles", disse o coronel Waldir Pires, coordenador da Defesa Civil de Guarulhos.

Segundo o promotor da ONU no Brasil, Sidnei Furtado, o projeto está alinhado com o Marco de Sendai e pode ser implementada em qualquer cidade presente neste evento. "Foi muito interessante a exposição do projeto Defesa Civil nas Escolas. Trata-se de uma iniciativa inédita no Brasil e que pode ser replicado em diversas cidades", explicou.

"O trabalho em sala de aula é importante para garantirmos um futuro resiliente, criando uma cultura de percepção de riscos e de prevenção aos desastres de origem natural", conta o secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato, que representou a cidade no encontro.

O programa transformou Petrópolis em referência no Estado do Rio de Janeiro pela ação efetiva de prevenção nas escolas. Membros do Conselho Gestor de Defesa Civil das Regiões Norte e Noroeste do Estado (Cogesdec) e representantes dos municípios da Região Serrana estiveram na cidade conhecendo o trabalho. Também estiveram na cidade membros das prefeituras de Areal, Nova Friburgo e Teresópolis conhecendo o Defesa Civil nas Escolas.

Nos cinco primeiros meses letivos deste ano, o programa envolveu mais de 20 mil alunos em 631 atividades. Os trabalhos foram desenvolvidos em todas as 180 unidades da rede municipal, além de outras 30 particulares e outras duas estaduais. Os alunos trabalharam as ameaças de inverno. Neste semestre, serão desenvolvidos trabalhos que envolvam os riscos relacionados ao verão, como os deslizamentos de terra e as inundações.

“Esperamos envolver ainda mais alunos neste semestre, quando trabalham as ameaças relacionadas ao período de chuvas fortes”, explicou o coronel Paulo Renato, lembrando ainda que a prefeitura foi premiada pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) com um pluviômetro semiautomático e um kit educativo para serem usados dentro da política pública.



Edição anterior (1746):
quinta-feira, 22 de agosto de 2019
Ed. 1746:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1746): quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Ed.1746:

Compartilhe:

Voltar: