Edição anterior (2288):
domingo, 14 de fevereiro de 2021
Ed. 2288:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2288): domingo, 14 de fevereiro de 2021

Ed.2288:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral
Covid-19: janeiro teve três vezes mais notificações que novembro

Petrópolis tem 18 mil casos de Covid-19 confirmados e 7.438 ainda em análise

Jaqueline Ribeiro - Especial para o Diário

 O infectologista José Henrique Castrioto

Com 7.472 notificações registradas até a última sexta-feira, janeiro já é o mês com maior demanda de pacientes com sintomas de covid-19 em unidades de saúde da cidade. A quantidade de pacientes que procuraram atendimento médico com sintomas da doença no mês passado é três vezes maior do que em novembro, terceiro mês com mais notificações: 2.470 casos. Os dados computados em janeiro também são maiores que os de dezembro, até então o mês com maior número de casos, 7.062 -  410 a menos que o mês passado. Desde o início da pandemia, 18.026 casos de covid-19 foram confirmados em Petrópolis, entre os quais 523 mortes.

- O que estamos vendo nos números de janeiro é o resultado das aglomerações que aconteceram no fim do ano. É a confirmação dos alertas  que fizemos desde meados de novembro, quando o número de casos e internações começaram a subir - avalia o infectologista José Henrique Castrioto, que atua na linha de frente de combate à Covid-19 em hospitais públicos e privados e como parte do corpo técnico criado na gestão passada para ajudar a orientar as ações do governo no enfrentamento à covid-19, acompanha os dados na cidade.

Na análise dos dados disponíveis no portal de monitoramento de casos de Covid-19 da Secretaria de Saúde, chama atenção o número significativo de exames ainda em análise: 7.438 ainda sem um laudo. Destes, 2.695 são referentes e dezembro e 4.473 de janeiro. A demora na liberação de resultados dos exames, que irá confirmar ou descartar os casos, interfere na análise da situação real da covid-19 na cidade.

- Esse número alto de casos em aberto não nos permite avaliar a situação real da Covid-19 na cidade. Mas, pelo que vimos acontecer nos meses anteriores, podemos projetar que os números de dezembro e de janeiro ainda irão piorar muito. Esta projeção é possível, pois temos visto desde o início da pandemia que pelo menos 70% dos casos em análise confirma a Covid-19 - pontua o médico.

Além de comprometer a análise precisa da situação da Covid-19,  que impede o acompanhamento da evolução real da doença, o alto número de casos pendentes pode contribuir para a propagação da doença, uma vez que sem a confirmação da doença, os pacientes com sintomas não entram no monitoramento de casos da prefeitura. A Secretaria de Saúde explicou que o número de casos em análise é um reflexo do aumento de notificações nos meses de dezembro e janeiro.  

- O novo coronavírus continua circulando, infelizmente a situação ainda não está tranquila. Ainda temos óbitos sendo registrados e apesar da redução das internações, ainda temos registrado casos graves. Estes dias mesmos precisei internar dois pacientes em UTI. Sabemos que as pessoas já estão cansadas, porque já estamos com quase um ano de pandemia, mas é fundamental neste momento que as pessoas entendam que devem continuar seguindo as orientações sanitárias e mantendo todos  aqueles cuidados que temos alertado desde o começo da pandemia - alerta o infectologista.

Secretário de Saúde faz apelo à população e PMP aumenta fiscalização

 

O secretário de Saúde Aloísio Barbosa Filho (FOTO) pontua que segue monitorando os números e com toda equipe trabalhando para conter a propagação da doença.  - Mas precisamos que a população se conscientize de que este precisa ser um compromisso de todos. Estamos dando o melhor de nós para garantir o funcionamento da rede de saúde, mas se as pessoas não ajudarem, não usarem máscaras, não evitarem aglomerações, não mantiverem os cuidados de higiene, os esforços não serão suficientes - aponta o secretário.

Aloísio Barbosa Filho avalia que os números de janeiro são, em grande parte, reflexo das festas de fim de ano.  - Em fevereiro começamos a observar uma retração nos números, principalmente, nas taxas de ocupação dos leitos, mas isso não é motivo para relaxar as medidas de segurança. Muito pelo contrário. Precisamos do comprometimento de cada um. Da responsabilidade coletiva - afirma.

Dados do portal de monitoramento de casos de Covid-19 da Secretaria de Saúde mostram que na última sexta-feira (12.02) 104 pessoas estavam internadas em leitos covid-19 em hospitais públicos e privados da cidade. Destes, 55 pacientes estavam em leitos clínicos, e 49 pessoas, com quadro mais grave da doença, ocupavam leitos de UTI-covid. Um mês antes, em 12 de janeiro, a rede de saúde chegou a ter 194 pacientes internados, sendo 110 internações em leitos clínicos e 84 pacientes em UTI.

- Temos trabalhado dia e noite para manter a rede funcionando, para garantir que, quem precise, encontre vaga para internação, mas de nada vai adiantar se as pessoas continuarem se aglomerando - alerta o secretário Aloísio Barbosa Filho.       

Com o objetivo de conter aglomerações durante os dias as carnaval, a prefeitura iniciou na sexta-feira (12.02), um reforço nas ações integradas entre a Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP), departamentos de Posturas e  Vigilância Sanitária, com o apoio da Polícia Militar, para fiscalização ao cumprimento dos decretos municipais. 



Edição anterior (2288):
domingo, 14 de fevereiro de 2021
Ed. 2288:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2288): domingo, 14 de fevereiro de 2021

Ed.2288:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior