Edição anterior (2165):
quarta-feira, 14 de outubro de 2020
Ed. 2165:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2165): quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Ed.2165:

Compartilhe:

Voltar:


  MPRJ

Defensoria  questiona falta de médicos na UPA desde o dia 2

Prefeitura diz que já convocou profissionais para reforçar equipes

Jaqueline Ribeiro - especial para o Diário

Principal porta de entrada de pacientes na rede SUS para atendimento de urgência e emergência, principalmente à moradores do primeiro distrito, a UPA Centro é motivo de preocupação para a Defensoria Pública, que desde o dia 2 de outubro vem recebendo denuncias sobre falta de médicos na unidade. Com base nas reclamações que vem chegando ao 1º  Núcleo de Tutela Coletiva da Defensoria Pública no primeiro distrito, a defensora Pública Andreá Carius de Sá está oficiando a Secretaria Municipal de Saúde, para cobrar esclarecimentos. Questionada pelo Diário a prefeitura informou que a redução de pessoal ocorreu em função do afastamento de profissionais por conta da covid-19. O município informou ainda que já está convocando outros profissionais. 

- Estamos encaminhado ofício nesta terça-feira à Secretaria de Saúde requisitando informações sobre os plantões médicos pois temos recebido um número grande de reclamações sobre falta de médicos na UPA-Centro, que é preocupante, uma vez que hoje ela é a principal unidade para atendimento de emergência. Estamos pedindo que o município nos forneça a escala das equipes e a folha de ponto dos profissionais com informações referentes as  últimas duas semanas  - pontua a defensoria pública, Andrea Carius de Sá.

A Defensoria também cobra ao município dados sobre o planejamento para reposição de profissionais em caso de falta aos plantões. - Estamos indagando à Secretaria de Saúde em relação a existência de um plano de contingência prevendo a reposição imediata de médicos em caso de falta.Também queremos saber se as faltas vêm sendo comunicadas ao Conselho Regional de Medicina - Cremerj - afirma a defensora.

Em nota, a prefeitura explicou que alguns profissionais médicos se encontram afastados preventivamente por fazerem parte do grupo de risco para a COVID-19. Com o objetivo de suprir a ausência destes profissionais médicos, a Unidade de Pronto Atendimento do Centro da cidade já convocou outros profissionais para a cobertura dos plantões. Além disso, a Secretaria de Saúde já está realizando entrevistas com mais médicos para fortalecer o corpo clínico da unidade.

A prefeitura informou ainda que a UPA Centro trabalha, atualmente, com 60 profissionais médicos clínicos e pediatras, divididos em plantões diurnos e noturnos de 12 horas. Na terça-feira (13.10) a unidade conta com  4 médicos clínicos, 3 médicos pediatras e um dentista em pleno atendimento. Além disso, mais 2 médicos clínicos estão de plantão no Ponto de Apoio aos pacientes suspeitos de infecção pelo novo coronavírus, na unidade do Centro da cidade.



Edição anterior (2165):
quarta-feira, 14 de outubro de 2020
Ed. 2165:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2165): quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Ed.2165:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior