Edição anterior (1962):
quarta-feira, 25 de março de 2020
Ed. 1962:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1962): quarta-feira, 25 de março de 2020

Ed.1962:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral


 Denúncias sobre coronavírus superam atividades criminais em ligações para sistemas de segurança

A população encontrou no Disque-Denúncia do Rio de Janeiro uma forma de apontar uma série de irregularidades e denunciar pessoas com suspeita de terem contraído a Covid-19 e não respeitando a quarentena.

Petrópolis aparece na lista com duas denúncias. Uma delas se refere ao funcionamento de determinadas empresas com empregados exercendo suas funções sem equipamento de proteção individual, como máscaras e luvas. Em outra foi apontado um estabelecimento comercial com funcionários trabalhando gripados, com suspeita de terem contraído o Coronavírus.

Entre os dias 13 e 23 de março o órgão recebeu um total de 1.302 denúncias. Somente na terça-feira, quase 80% das ligações registradas no sistema foram sobre o Coronavírus. "Esse número foge totalmente a rotina do serviço do disque-denúncia que normalmente estaria cadastrando informações sobre atividades criminais. Isso demonstra a disposição da população em colaborar" frisa Zeca Borges, coordenador do Disque-Denúncia. As informações colhidas são repassadas para o Governo do Estado, que encaminha aos municípios, que devem tomar as devidas providências de fiscalização.

No balanço parcial divulgado pelo sistema, desde o início do isolamento social, foram recebidas denúncias de todas as regiões do estado e se destacam eventos realizados ou agendados, como festas, casamentos, feiras livres e cultos religiosos. O funcionamento normal em determinadas empresas, assim como ônibus e BRTs circulando com superlotação, entre outros estabelecimentos que, apesar da determinação dos governos, não fecharam as portas, também foram denunciados. Ainda foram alvos de denuncias, clínicas de repouso que não forneciam tratamento adequado aos idosos.

As pessoas também reclamaram através de denúncias que algumas empresas não estão fornecendo materiais de higienização e álcool em gel para os funcionários e clientes.

Para denunciar, a população conta com o Disque Denúncia, pelo telefone 0300 253 1177 (custo de ligação local) ou através do aplicativo “Disque Denúncia RJ”. Em todos os canais, o anonimato é garantido ao denunciante.

"Sem o auxílio da população as autoridades podem muito pouco. Por isso é importante que a conscientização de todos. Queremos que o povo petropolitano saiba que pode ligar para o disque-denúncia e informar quem está descumprindo as medidas de prevenção determinadas", conclui Zeca Borges



Edição anterior (1962):
quarta-feira, 25 de março de 2020
Ed. 1962:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1962): quarta-feira, 25 de março de 2020

Ed.1962:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior