Edição anterior (1764):
segunda-feira, 09 de setembro de 2019
Ed. 1764:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1764): segunda-feira, 09 de setembro de 2019

Ed.1764:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

Depressão atinge crianças e adolescentes  

Muitas vezes não é compreendida e pode ser confundida com outros problemas

Yasmim Grijó, especial para o diário


 A depressão é uma doença grave. É preciso compreender e ter apoio de amigos e familiares. A doença não atinge somente os adultos, mas também crianças e adolescentes. Para isso, é preciso estar atento a mudanças de comportamento e ter o acompanhamento de um profissional.

O sentimento principal adquirido na depressão seria a desesperança e a tristeza. Mas, em cada idade, ela é demonstrada de um jeito. Quando uma criança está deprimida, é provável que para ela, isso seja normal, encare como um fato normal, por ser muito novo e não ter consciência sobre do problema. Já um adolescente, possui mudanças de comportamento, muitas vezes agressivos, ou, muito quieto, falta de energia, entre outros. É preciso estar atento.

De acordo com a Psicóloga Jéssica Wayand, a criança pode demonstrar atitudes diferentes, porém, de um modo mais retraído. Na verdade, é que cada criança se manifesta de um jeito, mas todo comportamento incomum, é preocupante. E para chegar a um diagnóstico de depressão, é super importante que seja feita uma avaliação por um profissional.

- Há muitos motivos que podem gerar a depressão infantil. Na criança, isso pode começar a partir de um luto, de uma perda, deixar de ter vínculos que, para ela, era muito importante, o bullyng, a separação dos pais, mudanças de escola e conduzindo para um quadro depressivo. Até que seja identificado o problema e, de que maneira, isso esteja acontecendo, demanda certa atenção, é mais complicado esclarecer, porém é possível identificar – explica.

Quando não identificada a depressão infantil, é possível que ela cresça vendo outras pessoas felizes, ou muito sorridentes e achar que aquilo não foi feito para ela e se conformar. Jéssica explica que é de fundamental importância os pais terem o diálogo com os filhos, saber o que está acontecendo, e, jamais diminuí-la pelo sentimento descrito.

-Algo que é muito comum, dito pelos pais, é que seu filho não tem motivo para estar assim, que é frescura estar chorando. É muito importante você demonstrar apoio, mostrar que está ao lado dele, independente de qualquer situação, buscar informações sobre o que está acontecendo e procurar um profissional, para que seja tratado e compreendido - disse.

A psicóloga informa que a depressão na adolescência, costuma ser manifestada de um modo diferente. No adolescente, ele tende a ficar arredio. Podemos notar algumas questões comportamentais como a comer demais, ou ficar sem comer, praticar excessos, não só relacionados à comida.

- Um adolescente deprimido, pode começar a ficar agressivo e se afastar da família e de amigos. Na realidade, o adolescente deprimido age como se a melhor defesa fosse o ataque e, se conseguirmos ultrapassar essa barreira, ele se mostra muito angustiado e chora. Porém, muitas vezes, essa mudança de comportamento é tratada como uma rebeldia comum da idade, ou entendida como frescura – explicou.

Jéssica fala que é válido ressaltar que a depressão não se manifesta somente na tristeza ou na agressividade. Existem os deprimidos sorridentes, pessoas que estão sempre fazendo piadas, sempre confortando outras pessoas e, de certa forma, esquecendo de si. Esses indivíduos também podem estar passando por um quadro de depressão e isso tende a não ser levado a sério. É necessário estar atento a postagens e modos de se expressar em redes sociais, que já podem ser um estado de alerta.

A psicóloga Jéssica Wayand atende na Rua Paulo Barboza, n°110 – sala 508, Centro. O contato é (24) 98156-0036.



Edição anterior (1764):
segunda-feira, 09 de setembro de 2019
Ed. 1764:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1764): segunda-feira, 09 de setembro de 2019

Ed.1764:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior