Edição anterior (1640):
quarta-feira, 08 de maio de 2019
Ed. 1640:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1640): quarta-feira, 08 de maio de 2019

Ed.1640:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Diário Automóveis
COLUNA

 

 

 

 

Produção de veículos cresce 0,5% em abril, mostra Anfavea

Daniel Mello - Agência Brasil  São Paulo

A produção de veículos em abril praticamente repetiu os resultados do mesmo mês de 2018, com a fabricação de 267,5 mil unidades. Segundo o balanço divulgado hoje (7) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o número representa uma elevação de 0,5% em comparação a abril de 2018. Nos primeiros quatro meses do ano foram produzidos 965,4 mil veículos, uma retração de 0,1% em relação aos 965,9 mil fabricados de janeiro a abril do ano passado.

As vendas tiveram alta de 6,7% em abril na comparação com o mesmo mês de 2018, com a comercialização de 231,9 mil veículos. No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, os emplacamentos de novas unidades totalizaram 839,5 mil, uma alta de 10,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

As exportações registram queda de 45% no acumulado de janeiro a abril, com a comercialização de 139,5 mil unidades no mercado externo. No mesmo período do ano passado as vendas para o exterior totalizaram 253,4 mil veículos. Em abril a retração ficou em 52,3% em comparação com o mesmo mês do ano passado, com a exportação de 34,9 mil veículos.

O nível de emprego teve retração de 1,2%, com 130,15 mil pessoas trabalhando no setor em abril.

Edição: Valéria Aguiar

 

UX 250h é o novo crossover compacto com motorização híbrida da Lexus no Brasil

Modelo chega em três versões de acabamento, mas sempre combinando motores 2.0 a combustão interna e outro elétrico, que rendem 181cv de potência. Interior guarda vários mimos para motorista e passageiros

PC Pedro Cerqueira - Portal Vrum

 

 Grade Spindle Grille é a assinatura de design da marca(foto: Lexus/Divulgação)


A Lexus lança no Brasil o UX 250h, um crossover compacto disponível apenas com motorização híbrida. A assinatura de design da marca é a imensa grade (Spindle Grille) que, junto ao para-choque com “dobraduras” marcantes, com visual de origami, tornam a dianteira bastante agressiva. O porte traz a conhecida fórmula do SUV com jeitão de cupê, todo “recortado”, com molduras plásticas nas caixas de roda. Na traseira, destaque para as lanternas ligadas por uma sequência de 120 LEDs e o para-choque com extrator integrado.


O UX é o primeiro Lexus desenvolvido sobre a nova plataforma global compacta (GA-C). Apesar de leve, a estrutura tem elevada rigidez devido ao uso de aço de alta resistência e solda a laser. Para não acumular peso, portas, para-lamas dianteiros e capô são de alumínio. A bateria de níquel-hidreto metálico (NiMH) e seu sistema de resfriamento compacto foram colocados abaixo do assento traseiro, maximizando os espaços da cabine e porta-malas, além de manter o centro de gravidade do veículo baixo.

 Bateria e sistema de resfriamento foram colocados abaixo do assento traseiro, maximizando os espaços da cabine e porta-malas(foto: Lexus/Divulgação)


HÍBRIDO O sistema Lexus Hybrid Drive já está na quarta geração. Todas as versões do UX 250h trazem motorização híbrida – formada por um novo motor 2.0 a gasolina de quatro cilindros e um motor elétrico – que soma 181cv de potência. A tração é dianteira, e a transmissão Hybrid Transaxle oferece força de frenagem responsiva do motor em seis estágios. O câmbio automático permite trocas manuais por paddle shifts na versão F-Sport. 

 Lanternas estão ligadas por sequência de 120 LEDs(foto: Lexus/Divulgação)


São quatro modos de condução disponíveis: Normal, que equilibra desempenho e eficiência no consumo de combustível; Eco, que maximiza a economia de combustível; Sport, com resposta mais rápida do acelerador; e Sport S+ (exclusivo para a versão F-Sport), ainda mais dinâmico. A suspensão dianteira é independente do tipo McPherson, enquanto a traseira é multilink. As rodas calçam pneus run-flat, que permitem a condução com o pneu furado até os 80km/h (após utilização do kit de reparo), não sendo necessária a troca de pneu por até 160 km de distância.

 Porte é o de um SUV com jeitão de cupê, mas as linhas são bastante peculiares(foto: Lexus/Divulgação)


A BORDO Os bancos dianteiros têm ajustes elétricos e sistema de aquecimento. A partir da versão intermediária Luxury, os bancos da frente oferecem ventilação e ar-condicionado. O revestimento em couro dos bancos ganhou uma costura chamada sashiko, técnica de acolchoamento japonesa usada também na confecção de uniformes de judô e kendo. A paleta de cores do interior começa pelo pretinho básico, avança até o caramelo e pode chegar a combinações do tipo Granada/Preto, conforme a versão.

 

 De acordo com a versão, é possível combinar cores do interior, como este Granada/Preto(foto: Lexus/Divulgação)


O entre-eixos de 2,64 metros, semelhante ao do Jeep Compass, revela que o espaço é de SUV médio. O porta-malas tem abertura e fechamento elétricos para as duas versões mais sofisticadas, que agrega o sensor de abertura por movimento embaixo do para-choque (aquele chutinho). O sistema multimídia tem tela de 7 polegadas na versão de entrada e de 10,3 polegadas nas demais, controladas por um touchpad no console, oferecendo navegação GPS, TV digital, DVD player e câmera de ré. Existe sistema de carregamento de celular sem fio.

 Nas versões mais equipadas, tela do sistema multimídia tem 10,3 polegadas(foto: Lexus/Divulgação)


F-SPORT A versão de topo F-Sport traz equipamentos mais sofisticados, como a suspensão adaptativa variável para o modo de condução Sport S . O computador de bordo tem tela de 8 polegadas, além de um visor head-up display que projeta uma “tela” colorida virtual na linha de visão do motorista. Os bancos dianteiros têm formato esportivo. Por fora, a grade tem design exclusivo, estilo colmeia, e o para-choque dianteiro tem faróis de neblina maiores. As rodas são de liga leve, com 18 polegadas. O UX 250h já pode ser encomendado nas concessionárias Lexus do Brasil a partir de R$ 169.990 na versão Dynamic, R$ 189.990 na Luxury e R$ 209.990 na F-Sport.

 

 

 

Carroceria pode salvar ou tirar vidas

 


 *Ed Taiss


 Embora seja um atributo essencial para um veículo, a segurança ainda parece exercer pouca influência sobre a decisão de compra por parte do usuário final. Enquanto o custo, o design e o conforto estão entre os fatores mais avaliados pelo brasileiro, a segurança fica em segundo plano. Em partes, isto se observa porque o consumidor ainda é pouco informado sobre o nível de proteção dos carros na hora da compra.

Quando avalia a segurança de um veículo, o usuário se preocupa mais com dispositivos eletrônicos, como airbags e freios ABS, porém o carro – mesmo equipado com todos os acessórios – pode não oferecer a proteção necessária aos ocupantes, caso tenha uma carroceria frágil. Não é à toa que a estrutura veicular também é chamada ‘célula de sobrevivência’.

 Apesar de pouco avaliada pelo consumidor, a carroceria é fundamental para a proteção dos passageiros. A estrutura de um veículo precisa ser desenvolvida para absorver ao máximo o impacto de uma colisão, por meio de deformações que são programadas, ou melhor, projetadas, com o objetivo de manter íntegro o interior do veículo. Dependendo de como é projetada, a carroceria pode salvar ou tirar vidas.

 Existem estruturas que pouco deformam em colisões e consequentemente não absorvem o impacto, transferindo a energia para os ocupantes, que podem ser projetados para frente. Há também carrocerias que deformam demais e avançam para dentro da cabine, e o impacto pode atingir o ocupante. Uma intrusão extra na cabine pode representar a diferença entre a vida ou a morte.

 Modelos equipados com diversos dispositivos podem ter desempenho ruim em testes de colisão, como os realizados pelo Latin NCAP (Programa de Avaliação de Carros Novos para América Latina e o Caribe), que oferece ao consumidor avaliações sobre a segurança de diferentes modelos disponíveis no mercado, pontuados com zero a cinco estrelas na proteção de adultos e crianças.

 A exemplo do que se observa no Exterior, o Brasil deveria informar ao consumidor o nível de proteção de cada veículo comercializado. Penso que isso colaboraria para a redução de mortes no trânsito no Brasil, quinto país com maior número de acidentes com vítimas fatais, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

 Em contribuição para as discussões sobre segurança viária, propostas pelo Movimento Maio Amarelo, uma iniciativa internacional para conscientização sobre redução de acidentes de trânsito no mundo, o 5º Simpósio SAE BRASIL CarBody reunirá especialistas da indústria dias 2 e 3 de maio, em São Paulo, com o objetivo de apresentar tendências tecnológicas para carrocerias mais seguras.

 *Ed Taiss é consultor de Tecnologia da CBMM e chairperson do 5º Simpósio SAE BRASIL CarBody     

 

        

 



Edição anterior (1640):
quarta-feira, 08 de maio de 2019
Ed. 1640:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1640): quarta-feira, 08 de maio de 2019

Ed.1640:

Compartilhe:

Voltar:

Veja também:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior