Edição anterior (1595):
domingo, 24 de março de 2019
Ed. 1595:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1595): domingo, 24 de março de 2019

Ed.1595:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Edmilson, o poliglota cobrador de ônibus

Petropolitano sonha com uma vaga de diplomata no Itamarati

Natália Rodrigues


 Nos últimos dias, uma divulgação feita por uma mulher nas redes sociais mostrou a realidade da vida de muitos moradores da cidade, como Edmilson Antônio da Silva, de 44 anos. De origem humilde e um dos caçulas de uma família com 16 filhos, desde pequeno sempre teve um interesse especial em aprender outras línguas.

Foi campeão de uma competição nacional de língua japonesa e teve a oportunidade de viajar para conhecer o país. Formado em Relações Internacionais, com diversos cursos em diferentes setores e fluente em mais de 10 idiomas dentre eles inglês, italiano e árabe, Edmilson segue trabalhando como cobrador em uma das empresas de ônibus na cidade, enquanto busca uma oportunidade para atuar na área escolhida desde a infância.

A história do Edmilson com as línguas estrangeiras começou aos nove anos, quando teve seu primeiro contato com o livro de inglês do irmão.

- Antigamente, os cursos de idiomas custavam muito caro e minha mãe não tinha condições de pagar para nenhum dos filhos. Na época, meu irmão estava na quinta série e trouxe o livro de inglês para casa, e como era curioso fui tentar ler e aquilo me despertou a vontade de aprender. No ano seguinte aprendi o idioma no colégio. Recordo que me revoltava quando não tirava 10, porque ali estava minha oportunidade. Minha maior inspiração, independente de religião, era o Papa João Paulo II, pois quando ele aparecia visitando os países sabia falar o idioma local, o que me deixava impressionado – falou.

Antônio teve seu primeiro contato com pessoas de outras países ainda na adolescência, quando era chamado para intermediar uma compra no tempo em que trabalhava na Rua Teresa.

- Aos 14 anos, trabalhava como propagandista e quando alguém precisava me chamava para fazer as traduções, uma vez que já era fluente no idioma. Quando estava com 20 anos, me matriculei em um curso de inglês, por conta do diploma que era importante e exigido. Aproveitei e também aprendi espanhol – disse.

Em 1995, por meio de uma indicação de um amigo, Antônio começou o curso de japonês que era oferecido gratuitamente por uma empresa no Carangola. Devido à dedicação exemplar, ganhou da professora Hiroko Mochizuki uma bolsa nos cursos KUMON. Aproveitou a oportunidade para aprender, na mesma época, italiano nas aulas oferecidas sem taxas por uma universidade.

Com o empenho e dedicação à língua japonesa, participou de vários campeonatos regionais sendo campeão na maioria deles. Em 2008, conquistou o título nacional e como prêmio ganhou uma viagem para conhecer e participar de um congresso no Japão com todas as despesas pagas. 

Com quatro idiomas no currículo, Edmilson não parou mais. Sua viagem despertou a vontade de aprender ainda mais e, de lá pra cá ele, estudou árabe, coreano, alemão, chinês e russo. Trabalhou de 2012 a 2014 na Universidade Católica de Petrópolis (UCP), onde ganhou uma bolsa de estudos para o curso de Relações Internacionais, concluído ano passado.

- Após ser mandado embora da faculdade, não tive condições de arcar com o valor da mensalidade do curso, faltando apenas a conclusão da monografia. Tentei vagas na minha área, mas o desemprego impedia uma nova colocação no mercado de trabalho. E mesmo dando aulas particulares de inglês, a renda não era suficiente para pagar todas as contas - explica Edmilson. Somente ano passado, quando conseguiu uma vaga na Viação Cidade Real, Silva pode concluir a faculdade.

Sucesso online

A analista de e-commerce, Barbara Leal da Costa, é amiga de longa data de Antônio a quem considera responsável pela grande repercussão de sua história.

- Conheço o Edmilson há anos e confesso que me surpreendi quando o vi no ônibus, já sabendo das suas competências e que estava formado. Resolvi ajudá-lo através do meu conhecimento nas mídias sociais, pois divulgando a história dele sabia que podia resultar em algo positivo. Ainda não conseguimos um novo trabalho, mas o feedback tem sido incrível – disse.

A iniciativa tem gerado frutos e até o momento ele já ganhou visibilidade e uma bolsa de estudos em um renomado curso de francês na cidade. Edmilson se alegra em saber que virou exemplo para a filha de 16 anos, que já é fluente em quatro línguas.

- Comecei a cursar francês na Aliança Francesa. É um sonho realizado, pois era o único idioma que faltava para tentar uma vaga no Itamarati e futuramente representar o Brasil sendo um diplomata – contou Edmilson.



Edição anterior (1595):
domingo, 24 de março de 2019
Ed. 1595:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1595): domingo, 24 de março de 2019

Ed.1595:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior