Edição anterior (1616):
domingo, 14 de abril de 2019
Ed. 1616:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1616): domingo, 14 de abril de 2019

Ed.1616:

Compartilhe:

Voltar:


  Economia

 Empreendedores individuais já são 21 mil em Petrópolis com faturamento que pode chegar a R$ 1,7 bilhão por ano


 Com mais de 21.724 MEIs – microempreendedores individuais– Petrópolis é uma das cidades fluminenses que têm modificado seu perfil econômico e de empregos. O número de pessoas trabalhando por conta própria (e que podem empregar mais uma pessoa) aumenta a cada ano, na casa de 9% em média. E o faturamento dos MEIs apenas na cidade pode chegar a movimentar até R$ 1,7 bilhão por ano, o que representa 13,5% do PIB de Petrópolis.

E para acompanhar a transição no perfil econômico, Petrópolis trabalha forte para aumentar a legalização das pessoas que ainda estão na informalidade. Para facilitar a vida das pessoas interessadas em regularizar as atividades de microempreendedor individual, as secretarias de Fazenda e Desenvolvimento Econômico passaram a disponibilizar o cadastro e a emissão do documento em um único local: a Sala do Empreendedor, que funciona no Centro Administrativo da prefeitura, na Barão do Rio Branco. Em 20 dias, 660 pessoas foram atendidas já com este novo sistema.

“A economia da cidade está voltando a crescer e as pessoas estão vencendo a crise com empreendedorismo. O perfil econômico está sendo alterado gradativamente e a Prefeitura precisa e está acompanhando a forte tendência fazendo o seu papel: desburocratizando o acesso à legalização”, aponta o prefeito Bernardo Rossi.

A última nota técnica do Sebrae sobre o crescimento dos MEIs é de fevereiro deste ano. No país são 10,5 milhões de microempreendedores individuais. No estado do Rio são 923 mil, um crescimento de 22,6% em um ano. E Rio e São Paulo são os estados que mais têm verificado aumento no número de MEIs.

Petrópolis, em 2017 e 2018, deu um salto de mais 2,3 mil novos empreendedores individuais – em 2016 eram 18.525 - e a tendência é que este número seja batido até a metade do ano. Até março já foram registrados 884 novos microempreendedores individuais. Só o Sebrae deu, em 3 meses, 2,8 mil orientações a interessados.

“São dois cenários que influenciam nesta transição: a crise econômica que levou muitos à informalidade, pessoas que agora legalizam a sua atividade e um perfil de empreendedor do jovem, uma nova geração que não quer ter carteira assinada e, sim, ter seu próprio negócio”, analisa a coordenadora regional do Sebrae-RJ em Petrópolis, Cláudia Pacheco.

O crescimento de negócios por meio digital e ainda a prestação de serviços, com viés em turismo e comércio compõem o novo perfil para o qual transita a economia petropolitana. O setor de beleza, de comércio de roupas e acessórios, alimentação, construção civil e de beleza são alguns dos setores com mais inscrições como MEIs na cidade.

Segundo a empresária, Rosangela Gomes, que comercializa roupas, o MEI só traz vantagens para o negócio. "Possibilita a isenção do imposto de renda, me ajuda a ter crédito rápido no banco, tenho mais facilidade para comprar mercadorias para a minha loja, além dos benefícios previdenciários. O valor mensal é acessível e ainda me possibilita abrir uma conta jurídica, onde eu consigo vários bônus para a empresa. No final os gastos são bem menores", aponta.

“Eu estava cansado de trabalhar para os outros, queria ter meu próprio negócio, quando eu vi a oportunidade do MEI. Me trouxe a formalidade e a estrutura de empresa, posso emitir notas, ter mais uma pessoa trabalhando comigo e isso com as taxas baixas, foi uma realização ser dono do meu negócio”, contou Felipe de Oliveira Joaquim que realiza serviços de entrega rápida.

 “Petrópolis ainda tem o viés do Turismo onde também surge a prestação de serviços para toda a cadeia do setor, então aumenta ainda mais os microempreendedores que prestam serviços ou atuam em abastecimento desta cadeia, em produtos para bares, comércio, restaurantes e hotéis, por exemplo”, aponta o prefeito Bernardo Rossi.

Cadastro e retirada de MEI podem ser feitos na Sala do Empreendedor

A média diária de atendimentos no Espaço do Empreendedor é de 30 pessoas para dar entrada no pedido de MEI, ou para buscar informações sobre o que é necessário para retirar o alvará, que sai em média em uma semana.

“Levar este núcleo para a Sala do Empreendedor é uma forma de agilizarmos o atendimento para quem quer legalizar o seu negócio. Antes para conseguir o MEI a pessoa precisava fazer o cadastro na Sala do Empreendedor e, posteriormente fazer a retirada do alvará aqui na Secretaria de Fazenda, na Avenida Koeler. Agora todo este processo é feito em um único local, e de forma bem mais rápida”, explica a secretária de Fazenda Elaine Nascimento.

“O governo todo converge para a desburocratização. São várias pastas que agregam juntas ações para facilitar a abertura de novas empresas e de novos negócios de todos os tamanhos. Batemos 10 mil atendimentos em 2018 e queremos superar este número este ano”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

Desde o início dos atendimentos na sala do empreendedor, as maiores demandas por alvará para MEIs vêm sendo para a área de construção civil (pedreiros e eletricistas) e setores como beleza (manicure e cabeleireiros), além de uma demanda de regularização pela atividade de diarista.

A Sala do Empreendedor funciona de segunda a sexta-feira,das 10h às 17h.  Para solicitar a emissão do alvará o interessado deve apresentar comprovante de residência, CPF, Carteira de Identidade e título de eleitor.

 

 

 

 



Edição anterior (1616):
domingo, 14 de abril de 2019
Ed. 1616:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1616): domingo, 14 de abril de 2019

Ed.1616:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior