Edição anterior (1559):
sábado, 16 de fevereiro de 2019
Ed. 1559:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1559): sábado, 16 de fevereiro de 2019

Ed.1559:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Fernando Costa
COLUNISTA

 

 

Ao herói, a glória!

 Em 17-07- 2018 completou o 10º ano do dormicio do mestre e amigo João Francisco.  Rememorei o dia em que recebi a notícia que por mais tente ainda não me acostumei com ela: A MORTE. Falecera o Desembargador JOÃO FRANCISCO. Fez-se silêncio, pairou no ar enorme tristeza e as lágrimas teimavam em rolar pela face esmaecida. Ainda que recorramos à formação religiosa, nossa fragilidade humana não esconde a dor ante o coração vazado pela lança da saudade. Nós nos visitávamos com frequência, nos falávamos ao telefone diariamente, como de costume, nutrido pelo entusiasmo, sapiência e amor do pai na benquerença, privilégio esse não somente meu, mas de outros tantos pupilos e admiradores do insigne brasileiro, notável Chefe de Família, inesquecível mestre, pensador, escritor, humanista e “speculum justitiae”. Cessou tudo! A cidade parou naquele dia! Atônita precisou recobrar seus ânimos e equilíbrio. Parecia não querer aceitar a realidade, porém, “consumatum est”, o Confrade JOÃO FRANCISCO faleceu. E me veio à memória a imagem do Advogado brilhante, o Magistrado que honrou a toga, teses e obras publicadas, a missão de mestre, a senda de realizações como Contador, Vereador, Deputado Estadual, Juiz Titular do II Tribunal de Alçada, do qual foi Vice-Presidente e Presidente da 1ª Câmara Cível, tendo em seguida galgado o honroso “munus” de Desembargador do TJ e seu 1º Vice-Presidente. São inúmeras as lembranças, no entanto a mais significativa era o seu Coração de Anjo a iluminar a todos que o rodeávamos. Faço um retrospecto e revivo a época da criação e fundação da Academia Petropolitana de Letras Jurídicas que, em 8-12- 2005 ele, junto ao Des. Luiz Felipe, seu filho, Des. Gama Malcher, Adv. Luiz Gutierrez, Pres. da OAB Hebert Cohn, Des. Antônio Izaias e Des. Miguel Pachá ajudaram-me a trazê-la à luz, concretizando assim meu sonho, hoje realidade. Recordo-me de seus três mandatos frente à tradicional Instituição Cultural. Semanalmente nos reuníamos para falarmos de nossos projetos e realizações em prol da Cultura Jurídica. Saudades de nossos encontros dominicais à missa das 11h30m em nossa gótica Catedral de São Pedro de Alcântara. O Desembargador JOÃO FRANCISCO não poupava elogios e estímulo a este operário da Justiça, nunca lhe faltando uma palavra de carinho e coragem. O Desembargador JOÃO FRANCISCO era o mais antigo Membro da A. P.L. em exercício, gloriosa Instituição que em agosto fez 96 anos de profícua existência e ele 84 primaveras em 28-09- daquele ano. Dentre as inúmeras Arcádias que eram ornadas com seu brilho destacavam-se, também, o Instituto Histórico de Petrópolis, OAB e Academia de Educação. Era renomado Mestre, expert das línguas portuguesa e espanhola dentre outras virtudes. Modelar esposo e pai. Aprendemos que morte só existe para aquilo que não é eterno e que “ninguém morre enquanto permanece vivo no coração da gente”. Quem crê em Jesus Cristo, a morte é o começo da felicidade eterna, é a libertação das amarras e grilhões terrenos. Não é o fim, mas sim o começo. Ela é para todos, faz parte da vida.  Desejo neste momento me unir em preces e louvores seus entes queridos e de tantos quantos o amam, e o amarão sempre, porque continuaremos a ser-lhe fiéis  descansando na certeza de que o Filho Redentor nos prometeu que “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que houver morrido viverá” (Jô. 11,25). Assim, em meu nome, das Instituições que tiveram a primazia de abrigá-lo em seus quadros, de seus incontáveis admiradores, elevo os pensamentos aos Céus a que a doce Mãe Maria Santíssima o mantenha em seus braços e proteção do Senhor, Supremo Juiz que o acolheu.  

 

 



Edição anterior (1559):
sábado, 16 de fevereiro de 2019
Ed. 1559:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1559): sábado, 16 de fevereiro de 2019

Ed.1559:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior