Edição anterior (1762):
sábado, 07 de setembro de 2019
Ed. 1762:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1762): sábado, 07 de setembro de 2019

Ed.1762:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Fernando Costa
COLUNISTA

 

 

Dr. Machado, 105º aniversário!

Existem incontáveis nomes a ornar o Cânon Celestial.  São as almas virtuosas, exemplos de vida, dentre elas o afável, conselheiro e modelar homem Jorge Ferreira Machado. Jesus Cristo nos conclama a sermos santos. A Igreja nos direciona a trilharmos esse caminho. Elegante, voz pausada, prudente, calmo, competentíssimo, querido e respeitado por nossa comunidade fez por merecer um lugar entre os Anjos do Senhor. O Dândi trouxe à luz dezenas de crianças, hoje cidadãos a povoar o universo de personalidades do mundo cultural e social nos mais diversos setores. Cumpriu a bela missão com zelo e sapiência, clinicando, realizando cirurgias, proferindo conferências, escrevendo livros e teses, mercê de sua rica lavra cultural e prestígio nos mais diversos matizes. São inúmeras as histórias na senda de serviços prestados cuidando com amor e abnegação dos pacientes, levando o remédio, alento e fé a tantos quantos o procuravam. Fez de sua profissão um sacerdócio. Não faltava à missa das 11h30m aos domingos na Catedral de São Pedro de Alcântara, fizessem chuva ou resplendor. Tive o privilégio de “conduzir o sol pelas mãos.” Era uma rara joia e não poderia ser traído por um paralelepípedo, degrau ou meio fio, por isso, eu precisava estar alerta. Alegrava-me em receber seus conselhos e depoimentos. Reconfortava-me em ser depositário de seu carinho e confiança. Mais pai que amigo gostava de trocar teses e de ouvir minha opinião, creio não fosse por meu saber, mas, por sua generosidade. As pessoas o tocavam “era para que passasse um pouco de santidade a eles”, diziam. Viúvo da Sra. Helyeth Leal Machado, com quem foi casado por mais de meio século e de cujo enlace trouxe à luz os filhos Martha Maria Machado Soares, Maria Helena Leal Machado, Cláudia Leal Machado, Maria Leonor Machado Vilela e Benedicto Jorge Ferreira Machado (in memoriam), que lhe deram belos netos e bisnetos. Era modelo como profissional, esposo e pai.  Nasceu na Cidade de Salvador - Bahia em 12-05-1914. Filho de Arthur Ferreira Machado e Maria Idalina Almeida Machado. Além de clinicar e cumprir compromissos acadêmicos e familiares encontrou tempo para, comigo, realizarmos no Instituto Teológico Franciscano o Curso de Teologia e Aprofundamentos. Suas virtudes morais e intelectuais eram evidentes. Deixou marcas indeléveis à história da Imperial Cidade e em nossos âmagos.
Inúmeros foram os nosocômios por onde passou e exerceu a medicina com regularidade, dedicação e eficiência. Não havia hierarquia em sua clientela, tanto o operário, quanto a nobreza sempre receberam do expert da medicina igual tratamento e denodo, seguindo a íntegra os ideais de Hipócrates e o  juramento feito em sua colação de grau e que perdurou por mais de 70 anos. Era o médico do Clero e se orgulhava dessa tarefa. Amável e devotado, mestre maior, dos melhores, marco cintilante na constelação dos grandes astros de Petrópolis e,  por que não do Brasil? Síntese de grandeza humana, sobriedade e retidão de caráter.  105º. aniversário natalício sem alardes, laúzas ou matinadas, mas, em orações e contrição através do Ofício da Sagrada Eucaristia na Catedral e Santa Isabel. Seu maior galardão é o lugar cativo aos pés do Deus Uno e Trino sob proteção de Maria Santíssima. Assim o reverenciamos na certeza de que a morte só se concretiza quando apagamos de nossos corações aqueles a quem amamos.



Edição anterior (1762):
sábado, 07 de setembro de 2019
Ed. 1762:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1762): sábado, 07 de setembro de 2019

Ed.1762:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior