Edição anterior (1514):
quarta-feira, 02 de janeiro de 2019
Ed. 1514:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1514): quarta-feira, 02 de janeiro de 2019

Ed.1514:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Fogos de artifício: o perigo do fim de ano

Uso do produto requer cuidados para evitar acidentes

 

Vitor Garcia – Especial para o Diário


 Na virada do ano, o uso de fogos de artifício é uma tradição admirada por muitas de pessoas em todo o mundo. Entretanto, a prática, que é bonita aos olhos, pode ser um perigo para as mãos. Para evitar qualquer tipo de imprevisto durante a celebração, é necessário estar atento aos cuidados, para evitar acidentes que podem causar queimaduras, mutilações e até a morte. Em Petrópolis, o preço dos produtos permanece sem alteração, pelo terceiro ano consecutivo.

Com preços que variam de R$0,50, como é o caso do famoso “estalinho”, até R$1.200 (torta piroshow), o gerente de uma famosa loja licenciada para a venda dos fogos garantiu a existência de grande variedade de produtos para essa época.

- Temos mais de 50 tipos de artefatos aqui na loja. Os mais vendidos são os coloridos. Para crianças, temos o estalinho e estrelinha, que poderão ser levados apenas com a presença de um responsável. O tipo mais perigoso é o Morteiro, que necessita estar bem fixado – disse José Fernandes de Oliveira, representante da loja.

Para a doméstica Gabriela Ramaldes, de 36 anos, a soltura de fogos é uma tradição que deve ser preservada com o máximo de cuidado.

- Vou passar o Réveillon em casa, no Alto da Serra. Estou comprando alguns produtos simples, para não passarmos a data em branco. Pretendo gastar R$50 em fogos. Vou me reunir com a família e vamos comemorar de maneira segura – contou.

Os cuidados devem começar já na aquisição dos fogos, que deve ser feita em comércio licenciado. Além disso, é importante não comprar de forma fracionada, apenas na embalagem, verificando se o produto está intacto e se contém as orientações sobre o manuseio do material. Em Petrópolis, a compra do produto pode ser realizada até às 21h, do dia 31 de dezembro.

Corpo de Bombeiros

O 15º Grupamento de Bombeiros Militar não orienta a soltura de qualquer tipo de artefato explosivo e/ou luminoso, por motivos diversos, a fim de preservar a integridade física da pessoa.

- Não recomendamos a soltura por pessoas não qualificadas. Lutamos pela vida, e sabemos que imprevistos como estouros antes da hora, queimaduras, mutilações, amputações, entre outros, podem acontecer a qualquer momento. É necessário que, para esse tipo de evento aconteça, venha a ser contratada uma empresa normatizada e autorizada pelo Corpo de Bombeiros – disse o comandante Ramon Camilo.

Primeiros socorros

No caso de acidentes, as lesões mais leves, como queimaduras, devem ser colocadas na água fria e limpas para esfriar a região, e o local queimado deve ser coberto depois com um pano limpo. Deve-se evitar colocar produtos caseiros como manteiga, café e pasta de dente.

Se tiver sangramento, a pessoa deve levantar a mão para diminuir a sangria e evitar amarrar o local. Em seguida, a recomendação é procurar o atendimento médico mais próximo possível, onde será avaliada a necessidade de um atendimento mais especializado.



Edição anterior (1514):
quarta-feira, 02 de janeiro de 2019
Ed. 1514:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1514): quarta-feira, 02 de janeiro de 2019

Ed.1514:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior