Edição anterior (1785):
segunda-feira, 30 de setembro de 2019
Ed. 1785:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1785): segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Ed.1785:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Gilberto Pinheiro
COLUNISTA

 

 

ANIMAIS JÁ PODEM SER CHIPADOS NO RIO DE JANEIRO

Prefeitura do Rio de Janeiro dá um passo importante na proteção animal

A prefeitura do Rio de Janeiro, seguindo os passos de muitas cidades e capitais brasileiras, deu um passo importante na proteção da fauna doméstica e domesticável, dando-lhes suporte de identificação, através de  carteira de identidade ou Registro Geral de Animais (RGA).  Para isso, criou uma plataforma digital específica para tal fim, o SISBICHO, viabilizando esta necessidade, há tempos solicitada pelos defensores e protetores dos animais.  O documento será emitido pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses.
O chip é um instrumento de identificação do animal, contendo nome do mesmo, espécie, sexo, raça, a forma como foi adquirido, ou seja, comprado ou adotado.   Possuirá também informações importantes do tutor, como nome via carteira de identidade, CPF, além do endereço residencial e também e-mail. 

A aplicação do chip custa 25 reais e o SISBICHO permite que o cadastro seja feito  por profissionais na área de veterinária, clínicas e consultórios, além de petshops, hotéis para animais de companhia, canis e abrigos, além de sociedades protetoras.  Os estabelecimentos precisarão estar credenciados e em dia com o licenciamento sanitário.
Tal procedimento evitará que haja animais abandonados nas ruas do Rio de Janeiro, diminuindo sensivelmente este problema ora agravado pela irresponsabilidade de muitos tutores que não dão o devido valor a vida deles.   Tutores precisam se convencer que têm responsabilidades sobre os seus protegidos animais, desde a alimentação, atendimento médico veterinário e acolhimento.

 


Este procedimento é extensivo a todos animais mamíferos, não se restringindo apenas a cães e gatos.  No caso, bovinos, equinos, caprinos, suínos também poderão utilizar-se deste recurso de identificação.  É importante que haja divulgação para a sociedade não apenas fluminense, mas, em todo o país, pois os melhores exemplos precisam ser espelho em território nacional, no caso específico, aos animais que tanto amamos.  Naturalmente, esta ideia se espalhará por todo o Brasil, um avanço, sem dúvida, na proteção animal.   Alude-se que são aproximadamente 30 milhões de animais abandonados entre cães e gatos em nosso país e, com este recurso, evidentemente, ã redução será drástica, evitando, assim, o sofrimento de todos eles.

Essa foi uma decisão recente e irá contemplar, principalmente, os animais vacinados e esterilizados que poderão ser chipados gratuitamente.  Os que estiverem em desacordo com esta exigência, seus tutores terão que pagar, conforme citado acima, 25 reais por cada animal.  Todos os estabelecimentos credenciados terão que estar em dia com o licenciamento sanitário.  Por fim, uma decisão importantíssima da Prefeitura do Rio de Janeiro e que merece nossos aplausos.


Gilberto Pinheiro
jornalista, palestrante em escolas,
universidades, destacando a senciência
e direitos dos animais

Quem respeita a vida de um animal,
está preparado para respeitar a vida humana



Edição anterior (1785):
segunda-feira, 30 de setembro de 2019
Ed. 1785:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1785): segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Ed.1785:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior