Edição anterior (1840):
domingo, 24 de novembro de 2019
Ed. 1840:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1840): domingo, 24 de novembro de 2019

Ed.1840:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Gilberto Pinheiro
COLUNISTA

 

 

O SEU GRANDE AMOR PELOS ANIMAIS
São Francisco de Assis e seu amor incondicional à fauna e à natureza

Giovanni di Pietro Bernardoni ou simplesmente São Francisco de Assis,  nasceu exatamente em Assis na Itália, vivendo entre os séculos XII e XIII,  tornando-se conhecido como o santo protetor e padroeiro dos animais e da natureza,  haja vista sua grande bondade para com eles, em sua ampla diversidade. Simboliza até hoje a beleza pura e imensurável, o bem que devemos ter por todos eles, protegendo-os contra a maldade humana.  Somente os de coração generoso poderão entender essas simples e verdadeiras palavras.  Na verdade, a porta do coração gentil abre de dentro para fora e são poucos os que são assim.


Esse mestre iluminado conversava com os animais, com as plantas, como conversamos com os amigos que nos são mais caros. O amor incondicional a essas manifestações de vida advém do Mestre Jesus que sempre iluminou sua alma, tornando-a generosa, compreensível e protetora. Jesus o fez assim, através da fé desse grande santo que até hoje é exemplo para os que amam esses irmãos.  Deixou à luz de sua sabedoria para a posteridade uma frase como um grande legado de ternura, sabedoria  e compreensão, que diz assim: não te envergonhes se, às vezes,os animais estiverem mais próximos de ti do que das demais pessoas. Eles são também teus irmãos! 

 

Quanta compreensão e bondade juntas numa frase apenas; quanto amor por essas vidas de forma inconteste, sem gerar quaisquer tipos de dúvidas.  Ele conversava com todos os animais à sua frente: bom-dia, meu irmão passarinho; bom-dia, meu irmão porco; minha irmã cadela; bom-dia, meus irmãos bois, vacas, bom-dia para todos os animais que são criaturas de Deus como somos e eles merecem toda nossa compaixão e bondade.  Eu amo todos vocês!

Se o ser humano  no decurso do tempo se sensibilizasse efetivamente com suas palavras, não haveria um animal sequer sofrendo na Terra, pois eles sabem quando são bem-vindos e amados, entendendo todas nossas atitudes junto a eles. Haveria mais paz, inclusive, a Humanidade seria mais evoluída,  uma vez que, o amor, começa na  admiração a essas vidas, à formidável natureza em sua diversidade e chega, inexoravelmente, a todos nós.  É certo que aquele que ama a um animal, está pronto para amar ao seu próximo e este é um dos caminhos que conduz a Deus. São Francisco de Assis sabia disso; eu aprendi com seus ensinamentos a amar a toda a fauna e sinto-me feliz por assim ser!

 
Gilberto Pinheiro é jornalista,
palestrante em escolas e universidades,
destacando a senciência e direitos dos animais
e-mail: gilberto_pinheiro@yahoo.com.br      

" A compaixão pelos animais está intimamente
ligada à bondade de caráter. Quem é cruel com os animais,
não pode ser boa pessoa."
Arthur Shopenhauer - filósofo alemão, século XIX

Somos o coração, a alma, a voz dos animais



Edição anterior (1840):
domingo, 24 de novembro de 2019
Ed. 1840:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1840): domingo, 24 de novembro de 2019

Ed.1840:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior