Edição anterior (1959):
domingo, 22 de março de 2020
Ed. 1959:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1959): domingo, 22 de março de 2020

Ed.1959:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Gilberto Pinheiro
COLUNISTA

 

 

ANIMAIS PETS E O CORONAVÍRUS

O que você precisa saber


Infelizmente, o mundo está em pânico com a doença que preocupa a todos nós, sem segregar ricos e pobres.  Trata-se do Coronavírus ou Covid-19, doença oriunda da China, chegando ao Brasil, trazendo pânico e dúvidas a todos.  Inclusive, muitos tutores de Pets estão assustados, desejando saber se eles estão sujeitos à contaminação ou se são hospedeiros desse vírus, tão prejudicial a nossa espécie.   Tentarei explicar, à luz de meus estudos recentes, através de fontes fidedignas, ou seja, científicas.   Segundo a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), com sede em Paris, não há evidências de que animais de estimação possam ser infectados ou espalhar vírus responsável por essa pandemia.  A propagação se dá pelo contato exclusivo entre humanos. 

 

Também, a OMS - Organização Mundial de Saúde, sediada em Genebra (Suíça), destacou que não há evidências de que animais de estimação (pets), possam ser infectados ou espalhar o vírus responsável pelo Covid-19. Complementando essas informações, cientistas chineses que realizaram pesquisas, informam que, até o momento, não há o menor risco de transmissão dos pets para seus tutores.  A D'efense de  L'Animal, associação que é porta-voz de abrigos independentes de animais de estimação, apela ao bom senso de todos os tutores para que não façam nada que possa prejudicar o bem-estar e a saúde de seus pets, lembrando que abandono e eutanásia são crimes, portanto, passíveis de punição.


Na verdade, a grande polêmica surgiu quando alguém afirmou que a Covid-19 tornou-se epidêmica entre humanos através de morcegos ou pangolins - espécie de mamífero que vive na Ásia e na África. Não tem fundamento científico. Não se pode atribuir culpa à fauna, uma vez que, inúmeras espécies, como cães, gatos, pássaros, bovinos quando infectados, apresentam sintomas muito leves,não levando risco algum à espécie humana. Não é preocupante.

Em relação aos animais domésticos ou pets em qualquer carteirinha de vacinação, consta  a vacina  polivalente que combate o coronavírus, segundo alguns especialistas no assunto.   É bom lembrar que nós,humanos, abrigamos em nosso corpo muitos vírus, fazendo parte de nossa microbiota.  Alguns trabalhos à luz das pesquisas científicas estimam que em nosso organismo habitam perto de 100 trilhões de micro-organismos.

 

Assim sendo, podemos ficar tranquilos em relação aos nossos pets que não transmitem o coronavírus para a espécie humana. Como afirmei, o máximo que ocorre, caso um deles seja hospedeiro do vírus, são reações leves, não transmissíveis a nós e veterinários saberão cuidar bem deles, como sempre souberam cuidar.  Apenas uma observação:  se algum tutor contrair o vírus dessa doença, evite ficar em contato direto com o animal, para não prejudicá-lo, mesmo que os sintomas sejam leves ou sem gravidade para eles.  Espero  ter sido útil com minha explanação, pois estudo bastante tudo que se refere à proteção dos nossos irmãos animais, sejam eles domésticos, domesticáveis, exóticos ou selvagens.  Todos merecem nosso respeito e admiração.


Gilberto Pinheiro
jornalista, palestrante em escolas,
universidades, destacando a senciência
e direitos dos animais


gilberto_pinheiro@yahoo.com.br


Por favor, passe à frente esse artigo.
Somente conscientizando, modificaremos
os necessários paradigmas em prol
do bem-estar animal



Edição anterior (1959):
domingo, 22 de março de 2020
Ed. 1959:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1959): domingo, 22 de março de 2020

Ed.1959:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior