Edição anterior (2050):
domingo, 21 de junho de 2020
Ed. 2050:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2050): domingo, 21 de junho de 2020

Ed.2050:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Gilberto Pinheiro
COLUNISTA

 

 

O OLHAR DOS ANIMAIS
Muitos não sabem, mas, eles falam com o olhar. Há muita ternura.

 

Você, por acaso, já reparou o olhar de um animal?   É olhar solícito, carregado de amor, lindo, refletindo a humildade.   Não é exagero - é realidade; eles falam com o olhar, acreditem!

Os animais falam sim, com o olhar, expressando o que sentem, o amor ali existente que poucos conhecem e como eles gostariam de ser amados.  Eles têm a expressão e a beleza das estrelas que somente os poetas são capazes de compreender o que eles dizem. Quando eu vejo, por exemplo, um animalzinho como o burro, puxando uma carroça, olhar para baixo, sinto o quanto ele sofre, o que ele sente, distante de seus pares e pais.  Por que tem que ser assim?


Não é diferente quando vejo um suíno, um boi sendo levado para o abate, a insólita tristeza em cada olhar, pois sabem que irão morrer para nos alimentar.  Meu Deus, como o ser humano tem vínculo com a maldade!
Os animais quando estão livres nos campos, deleitam-se ao sabor dessa mesma liberdade, convivem bem com o orvalho da noite e tudo conspira ao favor de todos eles.  Às vezes, tento encontrar respostas para a crueldade humana em sacrificar animais para alimentação, assim como as práticas nocivas em rituais religiosos,as nefastas e torturantes de rodeios, vaquejadas, rinhas de galos, cães, etc.  Não consigo encontrar uma resposta sensata, plausível que explique tais atitudes!   Será que estou errado

Foto/Reprodução Internet
 
 

O ser humano, muitas vezes, pensa ser o senhor do mundo, das lindas e verdes florestas, rios, lagos e mares, achando-se no direito de explorar essa maravilha como melhor lhe aprouver.  Quanta insensatez!  Ninguém é dono de uma vida animal; ninguém tem o direito de derrubar, por exemplo, uma árvore frondosa que encanta nossos olhos, filha da nossa irmã natureza, muitas delas centenárias. Mas, a sordidez humana alimenta essas almas imperfeitas e tiranas, agredindo a obra de Deus que é a vida em sua ampla diversidade.  Realmente, eles não sabem o que fazem! 

Há um provérbio que gosto muito e sucintamente assim explicita:  o justo olha pela vida dos animais - provérbio 12:10.
Defendo-os  com o meu coração pois não sou um ímpio e amo a vida em sua diversidade.  Sou cristão e espero ser fiel a Deus eternamente, fazendo a minha modesta parte, ou seja, esclarecendo, levando o conhecimento sobre a natureza e especificamente os animais, via palestras e artigos.

 

Os animais realmente possuem um olhar meio triste e eventualmente enigmático, falando, clamando pelo amor e misericórdia e muitos de nós, humanos, não entendemos essa súplica que comove o coração das pessoas que entendem o que é o amor.
É impensável que nos dias de hoje, em pleno terceiro milênio, ainda ocorram tantas atitudes cruéis e banhadas pelo ódio contra eles. Quando um infeliz de um bezerro é afastado de seus pais e vai à força para o abate, o mundo torna-se lívido, sem cor,  chora, perde a graça, ciente que os animais são frágeis e indefesos.  Mas, a Justiça de Deus é infalível e aqueles que não têm piedade dos animais e os maltratam, certamente, prestarão contas na espiritualidade.  Na Terra, no mundo comandado pelo ser humano, não acredito, sobretudo quando tenho ciência que as leis protetivas à fauna é para inglês ver.  Mas, da lei de Deus os perversos jamais escaparão.  Isso é tão certo quanto dois mais dois, são quatro. 

 

Gilberto Pinheiro é jornalista,
palestrante em escolas, universidades,
destacando a senciência e direitos dos animais


"Olhai os lírios dos campos que não tem nem fiam.
Porém, nem Salomão, com todo seu esplendor,

jamais vestiu-se como um deles!"
JESUS DE NAZARÉ

Foto/Reprodução Internet

  


Somos o Coração, a Alma, a Voz dos Animais

 



Edição anterior (2050):
domingo, 21 de junho de 2020
Ed. 2050:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2050): domingo, 21 de junho de 2020

Ed.2050:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior