Edição anterior (1730):
terça-feira, 06 de agosto de 2019
Ed. 1730:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1730): terça-feira, 06 de agosto de 2019

Ed.1730:

Compartilhe:

Voltar:


  Estado

 

 

Viatura para atendimento a vítimas de violência à mulher chega à cidade

 

João Vítor Brum, especial para o Diário 

Na última semana, o Governo do Estado realizou, em solenidade, a entrega de 2.892 novas viaturas, destinadas às Polícias Civil e Militar. Dentre os carros, do modelo Toyota Corolla, alguns serão designados especificamente para o programa Patrulha Maria da Penha, que foi lançado nesta segunda-feira (5), com o objetivo de acompanhar mulheres que foram ameaçadas e tiveram medida protetiva contra o agressor expedida pela Justiça. Serão 107 policiais militares trabalhando no programa, e todos os Batalhões do Estado receberão pelo menos uma viatura. O 26º BPM, de Petrópolis, recebeu seu veículo na última quinta (1º), com identificação específica do programa.

O programa foi lançado pelo Governador Wilson Witzel no Quartel General da Polícia Militar, no Centro do Rio de Janeiro. A iniciativa da Polícia Militar, em parceria com o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), vai oferecer acompanhamento a mulheres que foram ameaçadas e tiveram medida protetiva contra o agressor expedida pela Justiça

- Na primeira reunião de secretariado já havia demonstrado a minha preocupação em relação à violência contra a mulher, como também contra crianças e idosos. O presidente do Tribunal de Justiça, Claudio de Mello Tavares, tem colaborado muito com o Governo do Estado. Esta parceria com a Lei Maria da Penha será fundamental para que nós tenhamos agilidade nas medidas a serem tomadas – afirmou o governador.

Segundo o secretário da Polícia Militar, General Rogério Figueredo de Lacerda, o programa tem a intenção de reduzir, se possível a zero, o índice de reincidência de ocorrências de violência doméstica. No primeiro semestre deste ano, os operadores de Serviço 190 atenderam a uma média de 170 mil ligações. Destas, 30.617 foram ameaças contra mulheres.

- As experiências mostram que os acompanhamentos das mulheres com medida protetiva têm inibido a repetição de casos de agressão. Se conseguirmos acabar com a reincidência de casos de violência contra a mulher, os índices de feminicídios terão uma redução extremamente expressiva, já que esses crimes, quase sempre, ocorrem nas residências ou estão conectados a relacionamentos desfeitos ou conflituosos - ressaltou.

Segundo o presidente do Tribunal de Justiça, Claudio de Mello Tavares, no ano de 2018 foram deferidas pelas varas de violência doméstica e familiar do Tribunal de Justiça 26 medidas protetivas de urgência no estado do Rio de Janeiro.

- Basta de violência. As medidas protetivas por si só não são suficientes para evitar agressões. Estamos dando um passo importantíssimo. É preciso acompanhamento e fiscalização para dar amparo a estas mulheres – disse.

A coordenação das atividades em Petrópolis será feita pela 1° Tenente Luciana, contando com parceria com diversos órgãos, como a Vara da Família, Ministério Público, CRAM e Assistência Social, bem como outras Instituições relacionadas ao atendimento da Mulher.


  

Aniversário da Lei Maria da Penha será celebrado na cidade

Na próxima quarta-feira (07.08) o Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), que é subordinado ao Gabinete da Cidadania, comemora os 13 anos da Lei Maria da Penha, com uma ação de conscientização na Praça Alcindo Sodré, no Centro.

O evento acontece de 9h às 15h, com a presença do Ônibus Lilás junto com equipe do CRAM à disposição com atendimentos, esclarecimentos, além da distribuição de material informativo de sensibilização e prevenção da violência doméstica.



Edição anterior (1730):
terça-feira, 06 de agosto de 2019
Ed. 1730:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1730): terça-feira, 06 de agosto de 2019

Ed.1730:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior