Edição anterior (1843):
quarta-feira, 27 de novembro de 2019
Ed. 1843:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1843): quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Ed.1843:

Compartilhe:

Voltar:


  Polícia
 

 

Homem é preso após atingir a companheira com marteladas na cabeça

Vítima foi levada em estado grave para a UPA Cascatinha

João Vitor Brum e Wellington Daniel

Depois de dois casos de tentativa de feminicídio registrados na cidade na última semana, outras duas mulheres foram vítimas de violência em Petrópolis. Em Itaipava, um homem deu marteladas na cabeça de sua companheira na manhã desta terça (26), e, no Hospital Alcides Carneiro, uma paciente foi agredida por seu marido, que é guarda civil, com socos no quarto onde a idosa estava internada. Segundo informações, o caso teria ocorrido há aproximadamente 10 dias, mas começou a ser divulgado em redes sociais nesta semana.

O primeiro caso foi registrado na Servidão Celita de Oliveira Amaral, em Itaipava, por volta das 11h desta terça-feira (26). Uma equipe da 106ª Delegacia foi até o local após denúncias de que uma mulher estaria sendo agredida pelo companheiro, e, ao chegar na residência, encontraram a vítima no chão, com graves lesões na cabeça, após ser atingida com golpes de martelo.

Os policiais prenderam o agressor em flagrante e o levaram até a Delegacia, onde o mesmo foi autuado por tentativa de feminicídio e permanece detido. A vítima foi levada até a UPA Cascatinha, mas não há informações sobre seu estado de saúde.

Outro caso de violência contra a mulher tem sido denunciado em redes sociais nos últimos dias. Um homem, que realizava funções internas na Guarda Civil Municipal, agrediu sua esposa, uma idosa, que estava internada no Hospital Alcides Carneiro.

Segundo informações que circulam na internet, ele teria entrado no quarto onde a paciente se encontrava, desferido socos no rosto da vítima e tentado sufocá-la com um lençol. Ainda nas publicações, há relatos de que esta não foi a primeira agressão sofrida pela vítima, que teria até sido amarrada em sua cama em outras ocasiões.

Questionada, a Guarda Civil informou que instaurou procedimento administrativo junto à corregedoria da corporação para apurar os fatos e determinar as medidas adequadas – conforme determina regulamento da corporação.

O agente será afastado da função que cumpria e o caso também foi encaminhado para a delegacia e ao Ministério Público. No dia da agressão, o agente estava de folga. A Guarda Civil ressalta, ainda, que repudia qualquer ato de violência contra a mulher.

Sobre o caso ter acontecido em uma unidade de saúde da rede municipal, a Prefeitura informou que a direção do Hospital Alcides Carneiro tomou as medidas necessárias, denunciando o caso à Vara da Infância, da Juventude e do Idoso, além de comunicar todos os órgãos de proteção à mulher. 

Vítima de tentativa de feminicídio recebe alta da UTI

O Hospital Santa Teresa (HST) informou ontem (26) que a mulher que sofreu uma tentativa de feminicídio recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na segunda-feira (25). O crime aconteceu na noite de sexta-feira (22), quando a vítima, de 32 anos, foi atingida com uma machadada na cabeça.

Ainda de acordo com o HST, a vítima continua sob os cuidados da equipe médica da unidade de saúde. O hospital não foi autorizado pela paciente a divulgar mais detalhes sobre o estado de saúde.

O principal suspeito do crime é o companheiro. A 105ª Delegacia de Polícia informou, através da assessoria da Polícia Civil, que o homem, de 36 anos, foi preso no sábado (23) pelo crime de tentativa de feminicídio. Ainda de acordo com a nota, o acusado seguirá para o sistema prisional, onde ficará à disposição da justiça.

O crime aconteceu na localidade conhecida como Morro do Gavião, no bairro Fazenda Inglesa. Conforme mostrado pela edição de domingo do Diário de Petrópolis, a mulher foi encaminhada por uma ambulância da Concer ao HST em estado grave. O casal tinha quatro filhos menores de idade, que estão sob os cuidados da avó.

O sobrinho da vítima disse, em depoimento a Polícia, que o homem era agressivo e usuário de drogas. Também há outros registros de agressões anteriores, como chutes, socos e puxões de cabelo desde 2013. O homem não respeitava as medidas protetivas. Apesar das ocorrências anteriores de violências, o jovem contou que a tia reatou o relacionamento com o acusado.



Edição anterior (1843):
quarta-feira, 27 de novembro de 2019
Ed. 1843:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1843): quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Ed.1843:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior