Edição anterior (1914):
quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020
Ed. 1914:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1914): quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020

Ed.1914:

Compartilhe:

Voltar:


  Polícia

Idoso morre na entrada do Terminal Centro

 

 Ele teria caído e batido com a cabeça no local

João Vitor Brum

joaovitor@diariodepetropolis.com.br

 Pessoas que passaram pelo Terminal Centro durante a manhã e início da tarde desta quarta-feira (5) tiveram a atenção voltada para o corpo de homem, identificado como Jair José da Silva, que morreu no local por volta das 9h30 e permaneceu na entrada da rodoviária até o início da tarde, quando foi removido para o Instituto Médico Legal. Segundo pedestres que passaram no momento da morte, o homem teria caído e batido com a cabeça, não resistindo aos ferimentos.

Uma viatura da Polícia Militar permaneceu no local até a chegada do rabecão, e o corpo permaneceu intocado, coberto por um cobertor - que parecia pertencer à vítima. Segundo usuários do Terminal, ele já era conhecido por todos, e estava em situação de rua. A causa oficial da morte e a idade do homem não foram informadas.

O caso chamou atenção por se tratar de um lugar por onde passam, todos os dias, milhares de pessoas, incluindo crianças, principalmente após a volta às aulas nesta semana. Segundo informações, Jair era idoso.

Por isso, uma questão já conhecida na cidade voltou a ser levantada: o alto número de pessoas em situação de rua em Petrópolis. A Secretaria de Assistência Social informou ao Diário, no dia 23 de janeiro, que há aproximadamente 150 pessoas vivendo nas ruas do município.

Entretanto, o número varia constantemente, em especial devido às mudanças climáticas típicas de Petrópolis. Trabalhos de acolhimento são realizados diariamente por equipes da Assistência Social, mas a legislação não permite que as pessoas sejam levadas a abrigos contra a vontade.

No Centro, locais como o Bosque do Imperador, a Praça da Inconfidência e a Rua Barão de Tefé já são conhecidos pelo grande de número de pessoas que passam o dia e a noite por ali, deixando objetos pessoais, colchões, cobertores e até caixas de papelão espalhadas pelos pela cidade.

Há cerca de dois meses, outro local público se tornou moradia de um grupo. Segundo leitores do Diário, seis pessoas se instalaram debaixo de uma passarela na BR-040, na altura do Bramil de Itaipava. Questionada sobre a situação denunciada, a Prefeitura informou que uma equipe vem fazendo frequentes abordagens sociais junto ao grupo.

Porém, apenas uma pessoa em situação de rua aceitou o auxílio oferecido. Ele foi levado à UPA e encaminhado para o município de origem, Três Rios. Em nenhuma das abordagens realizada no ponto foi constatada a presença de crianças junto ao grupo. 

 Atendimentos no Centro Pop aumentam 26% em um ano

 O Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop), que é destinado ao atendimento de pessoas em situação de rua, registrou uma média de 266 atendimentos por mês em 2019, número que representa um aumento de 26% quando comparado com 2018.

O Centro Pop oferece diversas atividades com os usuários, atendimentos assistenciais e pedagógicos, além de contar com consultas médicas e de enfermagem.

A unidade possui aproximadamente 65 usuários acolhidos. A Prefeitura destaca que, por ser uma cidade localizada entre eixo Rio, São Paulo e Belo Horizonte, o município recebe muitas pessoas que estão de passagem e que acabam procurando também o Centro POP devido aos inúmeros serviços oferecidos.



Edição anterior (1914):
quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020
Ed. 1914:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1914): quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020

Ed.1914:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior