Edição anterior (1791):
domingo, 06 de outubro de 2019
Ed. 1791:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1791): domingo, 06 de outubro de 2019

Ed.1791:

Compartilhe:

Voltar:


  Defesa Civil

 

 

III Colóquio de Defesa Civil debate a importância da prevenção de desastres no âmbito escolar


 A importância de inserir a prevenção de desastres de origem natural nas salas de aula. Esse é o tema do III Colóquio de Defesa Civil, que reúne técnicos para a discussão de maneiras de disseminar a cultura de prevenção em todo o país. O congresso começa na próxima segunda-feira (07.10) e segue até a sexta (11) no auditório da Universidade Estácio de Sá, no Bingen. Entre os palestrantes estão profissionais de Defesa Civil de outras cidades do Estado e de Belo Horizonte (MG), professores universitários e o promotor da ONU no Brasil. Também serão apresentados trabalhos realizados pelos colégios dentro da política pública municipal de Defesa Civil nas Escolas. O evento é aberto para a população.

A abertura na segunda será às 14h com uma palestra do promotor da Organização das Nações Unidas (ONU), Sidnei Furtado, com o tema "Escola segura, escola resiliente". Na sequência, os alunos da E.M. Paulo Freire - todos com necessidades especiais - irão apresentar as experiências realizadas no Defesa Civil nas Escolas. O Colóquio de Defesa Civil faz parte do conjunto de ações do governo municipal no desenvolvimento de uma cultura de resiliência na cidade.

"É importante o compartilhamento de experiências na busca por uma cidade mais resiliente. Além disso, somos pioneiros no país com a lei de Defesa Civil nas Escolas", destacou o prefeito Bernardo Rossi. "A intenção é estarmos mais próximos das universidades e dos centros de pesquisa, assim como das outras Secretarias de Defesa Civil municipais. Seguimos trabalhando de forma organizada e antecipada contra os desastres", completa o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato.

Na terça-feira e na quarta, de 9h às 17h, serão realizadas palestras com as unidades escolares que são destaque no Defesa Civil nas Escolas. Na quinta, será a vez do saber científico, com a participação de professores doutores, no mesmo horário. No último dia, profissionais de Defesa Civil debatem as experiências municipais de prevenção de desastres nas salas de aula.

"Nossa ideia é que o III Colóquio de Defesa Civil de Petrópolis funcione como um modelo promotor da redução do risco de desastres para todo o país. Desde o início da gestão do prefeito Bernardo Rossi, realizamos uma série de ações com foco na prevenção aos desastres. Ganhamos o reconhecimento da ONU e do Tribunal de Contas do Estado por todo esse trabalho. Acredito que estamos no caminho certo", completou o coronel Paulo Renato.


ONU reconhece os esforços para Petrópolis se tornar resiliente

 A elaboração dos planos municipais de Inverno e Verão e suas matrizes de atividades e responsabilidades, do programa SOS Chuvas e da política pública de Defesa Civil nas Escolas, colocaram Petrópolis como uma das cidades indicadas com potencial para se transformar em modelo mundial para a redução do risco de desastres. A ONU listou 50 municípios nas Américas, sendo apenas sete no Brasil e dois no Rio de Janeiro. Em agosto de 2017, a cidade foi eleita como município resiliente pelo trabalho de prevenção realizado.

“Petrópolis reúne todas as condições de se tornar uma cidade modelo na redução de riscos de desastres em todo o mundo. O trabalho que vem sendo realizado pelo município desde o ano passado é um exemplo para todo o Estado do Rio e também para a cidade”, disse Sidnei Furtado, promotor da ONU no Brasil.

 



Edição anterior (1791):
domingo, 06 de outubro de 2019
Ed. 1791:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1791): domingo, 06 de outubro de 2019

Ed.1791:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior