Edição anterior (1742):
domingo, 18 de agosto de 2019
Ed. 1742:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1742): domingo, 18 de agosto de 2019

Ed.1742:

Compartilhe:

Voltar:


  Polícia

Mágico é preso após fazer seu carro "desaparecer"

Homem alegou ter tido o veículo roubado e foi acusado por estelionato

João Vitor Brum, especial para o Diário

Um homem buscou a 105ª Delegacia na última segunda-feira, dia 12, informando que seu carro teria sido roubado por homens armados quando ele passava pelo Quitandinha. Após alguns dias de investigação, entretanto, foi constatado pela Polícia Civil que não havia nenhum fato que comprovasse o crime, e o homem, que trabalha como mágico, vai responder pelo crime de estelionato após o mesmo admitir ter vendido o veículo para um ferro velho em Duque de Caxias. De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública, o número de casos de estelionato na cidade cresceu 160% em quatro anos.

O mágico alegou ter sido cercado por homens armados na noite de segunda e registrou o roubo de seu veículo, uma picape Mitsubishi L200 prata, no mesmo dia, na Delegacia do Retiro, onde foi aberto inquérito.

Nos dias seguintes, policiais civis do núcleo especializado em investigações de crimes contra o patrimônio realizaram diligências, foram até o local citado pela suposta vítima, recolheram imagens de câmeras de segurança e falaram com moradores da região, e nenhum indício que comprovasse o crime foi encontrado.

Então, o mágico foi intimado a depor novamente e ouvido por uma equipe especializada em apuração de fraudes envolvendo veículos, e, após uma série de perguntas, entrou em contradição e deixou de responder parte dos questionamentos.

No fim do interrogatório, ele confirmou que havia vendido o veículo para o proprietário de um ferro-velho localizado na cidade de Duque de Caxias, pelo valor de R$ 5 mil, e que teria comunicado falsamente o crime para receber o valor referente ao seguro.

Assim, o acusado foi autuado pelo crime de estelionato na modalidade fraude para recebimento de seguro, com pena de reclusão de um a cinco anos.

Registros de estelionato na cidade vêm aumentando desde 2014

De acordo com números divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), os casos de estelionato em Petrópolis têm apresentado aumento desde 2014. Quando se compara o total de registros nas Delegacias da cidade no ano passado e em 2014, o aumento chega a 160%. Foram 424 registros em 2018, em 2017 foram 374, em 2016 foram 221, em 2015 houve 190 casos e, em 2014, foram 163.

Em 2019, já foram 240 casos, apenas um a menos do que no mesmo período do ano passado. Enquanto não houve grande diferença entre os primeiros semestres de 2018 e 2019, o aumento entre 2017 e 2018 foi de 36%.

Já no mês de junho, houve 42 registros de estelionato nas duas delegacias de Petrópolis, 23,5% a mais do que no mesmo mês do ano passado e 31% a mais do que no mês de maio.

 



Edição anterior (1742):
domingo, 18 de agosto de 2019
Ed. 1742:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1742): domingo, 18 de agosto de 2019

Ed.1742:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior