Edição anterior (1766):
quarta-feira, 11 de setembro de 2019
Ed. 1766:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1766): quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Ed.1766:

Compartilhe:

Voltar:


  VACINA

 

 

Mais de 2,4 mil foram vacinadas contra sarampo em Petrópolis

Estimativa corresponde a 93% da meta estipulada para o público prioritário

Leticia Knibel - especial para o Diário

A secretaria de Saúde da cidade informou que a meta de imunização do público-alvo contra o sarampo foi praticamente atingida em agosto. De acordo com dados do órgão, 2.430 crianças menores de um ano - que corresponde a população prioritária - foram vacinadas com a triviral. Ou seja, a estimativa representa cerca de 93% do total da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde.

Para a imunização do público prioritário, que são as crianças entre seis e 11 meses, o município disponibilizou as salas de vacina do Centro de Saúde, da UBS Retiro, UBS Mosela, UBS Quitandinha, UBS Itaipava, PSF da Posse, PSF do Alto da Serra e Hospital Alcides Carneiro.

A partir dessa faixa etária, a imunização segue o calendário vacinal nas demais salas UBS Alto Independência, PSF São Sebastião, PSF Morin, UBS Itamarati, Ambulatório Escola de Cascatinha, UBS Pedro do Rio, UBS Araras.

Já para a população de 1 a 29 anos recomenda-se que sejam aplicadas duas doses; para as pessoas de 30 a 49 anos, indica-se uma dose e, acima de 50 anos, a secretaria orienta a vacinação apenas se forem se deslocar para as áreas de risco.

A meta de imunização do município é de 95% da população petropolitana, sendo que o saldo parcial de agosto representa mais de sete mil vacinas aplicadas nas unidades de saúde.

Laudo de suspeita de sarampo ainda não foi liberado

A Secretaria de Saúde de Estado do Rio de Janeiro ainda não liberou o laudo da vítima que faleceu com suspeita de sarampo no dia 30 de agosto, no Hospital Unimed, no Bingen.

De acordo com o Governo Municipal, a Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica teve 17 notificações sobre a doença, sendo 14 de Petrópolis e três de Magé. Dessas, apenas duas ainda estão em análise, e uma delas é da mulher de 32 anos que veio à óbito.

Na ocasião, a Diretoria do Hospital Unimed confirmou que a paciente estava internada sob seus cuidados e que, desde a internação da mesma, o hospital vinha subsidiando a vigilância epidemiológica do município, bem como realizando as notificações compulsórias necessárias para o fiel cumprimento da lei, permitindo às autoridades competentes exercer seu trabalho de forma profissional e confiável.

A vítima morava no Cremerie e seu sepultamento foi realizado no dia 31 de agosto. Este foi o segundo óbito causado pela doença no país em 22 anos. A mulher teve um filho na ocasião, que permaneceu internado em observação na unidade infantil do hospital, sendo liberado posteriormente sem indícios da doença em seu organismo.



Edição anterior (1766):
quarta-feira, 11 de setembro de 2019
Ed. 1766:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1766): quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Ed.1766:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior