Edição anterior (1708):
segunda-feira, 15 de julho de 2019
Ed. 1708:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1708): segunda-feira, 15 de julho de 2019

Ed.1708:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Mais de 5 mil alunos da educação infantil desenvolveram 200 atividades no Defesa Civil nas Escolas

A educação infantil é o primeiro passo da vida escolar. Envolver as crianças em atividades práticas e criativas é uma ferramenta importante no aprendizado. Investindo cada vez mais no conhecimento para reduzir o risco de desastres, a prefeitura ampliou o Defesa Civil nas Escolas no último semestre para as 75 unidades com pré-escola do município. Nos cinco meses letivos do ano, foram elaboradas 200 atividades, passando por cerca de 100 turmas, atingindo mais de 5.500 estudantes de até cinco anos. Por causa do programa, Petrópolis se tornou referência no Estado pela ação efetiva nos colégios, desenvolvendo a cultura de prevenção e de percepção de riscos.

Especialistas garantem que nos primeiros anos de vida as crianças precisam vivenciar situações concretas para assimilar os conhecimentos transmitidos a elas. A curiosidade dos pequenos desperta a capacidade de agir, observar e explorar tudo o que encontra ao seu redor. No C.E.I. Nossa Senhora da Glória, no Bairro da Glória, as crianças participaram de contação de histórias, assistiram vídeos educativos, além de cartazes desenvolvidos no Dia Mundial da Água.

"É um grande diferencial abordar esses assuntos em sala de aula. Dessa forma, conseguimos apresentar a realidade da nossa comunidade para as crianças. Além disso, elas se sentem parte daquilo, se envolvem bastante. Abordamos diversos assuntos de meio ambiente no primeiro semestre e nossos alunos adoraram", disse Zélia Vasconcellos, diretora do C.E.I. Segundo ela, todos os 175 alunos da instituição estiveram envolvidos nas atividades.

Já no Morin, as crianças também participaram de ações práticas no programa Defesa Civil nas Escolas. A diretora do C.E.I. Jorge Rolando da Silva, Mônica Achão, contou como o programa pode modificar a vida dos alunos no futuro. “As crianças são multiplicadoras. Neste semestre trabalhamos a reciclagem. Sabemos que futuramente serão adultos mais comprometidos e conscientes com as questões ambientais. Eles terão uma mudança de comportamento em relação ao lixo, logo contribuindo para um bem coletivo e para o planeta”, frisou.

Nos cinco meses letivos deste ano, o Defesa Civil nas Escolas envolveu mais de 20 mil alunos em 631 atividades. Os trabalhos foram desenvolvidos em todas as 180 unidades da rede municipal, além de outras 30 particulares e outras duas estaduais. Neste semestre os alunos trabalharam as ameaças de inverno, que são os incêndios florestais e a estiagem, abordando a educação ambiental e a temática do bem-estar animal.

“O trabalho em sala de aula é fundamental para que o futuro seja resiliente, criando uma cultura de percepção de riscos e de prevenção aos desastres de origem natural. Esperamos envolver ainda mais alunos no próximo semestre, quando trabalham as ameaças relacionadas ao período de chuvas fortes”, explicou o secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato.

Apesar de estar em prática há pouco tempo, o programa de Petrópolis se tornou referência para todo o Estado do Rio de Janeiro. Membros do Conselho Gestor de Defesa Civil das Regiões Norte e Noroeste do Estado (Cogesdec) e representantes dos municípios da Região Serrana estiveram na cidade conhecendo o programa. “É uma grande honra apresentar um programa criado pela nossa gestão para outros municípios. Se o Defesa Civil nas Escolas fosse criado no passado, o nosso presente seria completamente diferente”, destacou o prefeito Bernardo Rossi.

No segundo semestre de 2018 - primeiro ano de funcionamento da política pública - foram realizadas 170 atividades, com a participação de 103 unidades da rede, oito particulares e uma estadual. Nesse ano, o programa foi ampliado para as escolas das redes pública e privada que contam com educação infantil. O programa também já rendeu um prêmio para a prefeitura. O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) vai entregar um pluviômetro semiautomático e um kit educativo para serem usados dentro da política pública.



Edição anterior (1708):
segunda-feira, 15 de julho de 2019
Ed. 1708:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1708): segunda-feira, 15 de julho de 2019

Ed.1708:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior