Edição anterior (1839):
sábado, 23 de novembro de 2019
Ed. 1839:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1839): sábado, 23 de novembro de 2019

Ed.1839:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Mais duas instituições realizam atividades do Defesa Civil nas Escolas

Nesta sexta (22), quase 50 estudantes participaram das atividades do programa

 

Nesta sexta-feira (22) foram realizadas atividades do Defesa Civil nas Escolas em mais duas instituições de ensino: na Escola Municipal Duque de Caxias, no Quissamã, e na creche da Associação Recrear, no Carangola. Ao todo, quase 50 crianças e adolescentes participaram de palestras e conheceram o jogo da Turma do Pedrinho, que ensina de forma lúdica as medidas que devem ser adotadas em casos de emergência e questões de educação ambiental. Até o momento, neste semestre, 169 escolas produziram 432 atividades relacionadas às ameaças de verão.

Ao longo desta semana, os agentes da Defesa Civil também realizaram atividades no Colégio Anglicano e no CEI Denise Bessa de Oliva Maya, ambos em Araras, e na Escola Municipal Jorge Amado, na Estrada da Saudade. “As escolas têm prazo até 30 de novembro para apresentarem ou marcarem as atividades com nossos agentes", reforça o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato.

No primeiro semestre, foram mais de 20 mil alunos envolvidos em 631 atividades sobre as ameaças de inverno. Os trabalhos foram desenvolvidos em todas as 183 unidades da rede municipal, além de outras 30 particulares e outras duas estaduais. O objetivo da Defesa Civil é aumentar a participação dos jovens no programa.

"Também temos o objetivo de envolver ainda mais as escolas estaduais neste sentido, com a participação de mais instituições e alunos, com o Defesa Civil Jovem. Cada vez mais vamos envolver os jovens na prevenção de desastres de origem natural", disse o secretário de Defesa Civil.

Programa pioneiro no país e referência no Estado do Rio de Janeiro na prevenção de catástrofes, o Defesa Civil nas Escolas está alinhado à estratégia internacional de redução do risco de desastres das Organizações das Nações Unidas (ONU). Graças a proposta de abordar o assunto em sala de aula, Petrópolis é destaque nacional com o programa, que também já rendeu um prêmio para a atual gestão.

“Com muito orgulho já recebemos gestores do Estado do Rio, Belo Horizonte e de São Paulo que vieram conhecer o nosso programa. Também conquistamos o reconhecimento da ONU e do Tribunal de Contas do Estado por todo esse trabalho. Acredito que estamos no caminho certo, trabalhando a prevenção de desastres em sala de aula", destacou o prefeito Bernardo Rossi.

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) vai entregar um pluviômetro semiautomático e um kit educativo para serem usados dentro da política pública. "É mais uma comprovação que estamos trabalhando da maneira correta, falando de prevenção de desastres nas escolas", completa o coronel Paulo Renato.



Edição anterior (1839):
sábado, 23 de novembro de 2019
Ed. 1839:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1839): sábado, 23 de novembro de 2019

Ed.1839:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior