Edição anterior (2505):
sexta-feira, 17 de setembro de 2021
Ed. 2505:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2505): sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Ed.2505:

Compartilhe:

Voltar:


  VACINA

Ministério da Saúde suspende vacinação de adolescentes sem comorbidade

  

Foto: Imagem de LuAnn Hunt por Pixabay 

Rômulo Barroso - especial para o Diário de Petrópolis

 

O Ministério da Saúde causou uma enorme confusão nessa quinta-feira (16/09) na vacinação de adolescentes contra covid-19. Depois de recomendar a inclusão desse público no alvo da campanha, a pasta suspendeu a orientação e passou a indicar a imunização apenas das pessoas entre 12 e 17 anos com comorbidade ou deficiência e aqueles privados de liberdade. Porém, pelo menos nessa quinta, a prefeitura manteve a aplicação da vacina nesse grupo.

Com base em uma Nota Técnica emitida pela Secretaria de Estado de Saúde e pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Rio de Janeiro (COSEMS), Petrópolis está suspendeu, a partir desta sexta-feira (17/09), a vacinação contra covid-19 de adolescentes com 17 anos sem comorbidades. O município, que, assim como os demais, foi surpreendido pela nova instrução, aguardará orientações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde em relação à vacinação deste grupo. Com isso, adolescentes na faixa etária de 17 anos sem comorbidades que estavam cadastrados para vacinação nesta sexta-feira (17/09) devem aguardar as novas orientações. "Petrópolis seguiu à risca o que previa o Plano Nacional de Imunização e, assim como os demais municípios, foi surpreendido por esta mudança na orientação do Ministério da Saúde.  Estamos prontos para vacinar este público de 12 a 17 anos sem comorbidades, utilizando a vacina já autorizada para este grupo, mas, diante da nova nota técnica,  estamos acatando a determinação e suspendendo a vacinação de adolescentes.  Vamos seguir trabalhando para termos a população vacinada o quanto antes", afirmou o prefeito Hingo Hammes.

 

Justificativa

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta, o ministro Marcelo Queiroga disse que o recuo acontece por "cautela" depois de adolescentes apresentarem efeitos adversos - seriam 1,5 mil pessoas entre 3,5 milhões de adolescentes vacinados, ou 0,042% daqueles que receberam o imunizante. Ainda segundo Queiroga, 93% desses efeitos adversos aconteceram em adolescentes que tomaram vacinas não autorizadas para essa faixa etária, mas não deu detalhes sobre quais efeitos adversos foram relatados e quais estados ou municípios aplicaram doses de modo inadequado.

"O Ministério da Saúde pode rever a posição desde que haja evidência científica sólida. Por enquanto, por questão de cautela, temos eventos adversos a serem investigados, temos adolescentes que tomaram vacinas que não estavam recomendadas, temos que acompanhar", afirmou o ministro. Queiroga também orientou que aqueles tomaram a primeira dose, não voltem para completar o ciclo até nova recomendação.

 

Orientações

Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, o município segue vacinando os adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades e deficiência permanente, e todos os demais públicos, cujo cadastro segue aberto na pagina da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). 



Edição anterior (2505):
sexta-feira, 17 de setembro de 2021
Ed. 2505:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2505): sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Ed.2505:

Compartilhe:

Voltar: