Edição anterior (2201):
quinta-feira, 19 de novembro de 2020
Ed. 2201:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2201): quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Ed.2201:

Compartilhe:

Voltar:


  Diário Comunidades

Moradores do Carangola pedem mais ônibus e

informam que enfrentam problemas na negociação

Camila Caetano – especial para o Diário

Desde janeiro, os moradores do Carangola e dos microbairros do local vêm lutando pela melhoria na oferta de ônibus pela região, que, durante todo esse tempo, tem atendido às diversas localidades de lá de maneira prejudicada, com muitos atrasos e incidentes na frota. A oferta dos coletivos que já era motivo de distúrbios no local, sobretudo dos trabalhadores que dependem do transporte público, piorou com a chegada da pandemia. Desta forma, os residentes dos microbairros realizaram uma manifestação pacífica no final de outubro, onde, apesar dos avanços, relatam que ainda estão enfrentando dificuldades na negociação.

Os ônibus que atendem ao local são de responsabilidade da empresa Viação Cascatinha, e, segundo as informações, algumas melhorias já foram constatadas nas linhas 526, 505, e 529, apesar da falha de comunicação que houve entre as autoridades e os moradores. No entanto, em outras linhas, a situação ainda tem deixado muito a desejar. Os cidadãos contam que necessitam de um coletivo que atenda a localidade do Amoedo de forma efetiva. De mais um no Vicenzo Rivetti, pois, a oferta existente não tem dado conta da demanda, e, no Cidade Nova, também há a necessidade de mais um coletivo, pelo menos nos horários de pico.

- Antes da pandemia já estávamos lutando por ônibus melhores, pois, esses da Viação Cascatinha quebram muito. Começamos as cobranças em janeiro. Com a pandemia, a situação piorou mais ainda, e por vezes, chegamos a ficar cerca de 3h no ponto de ônibus. Apesar dos avanços que já tivemos, essa situação ainda nos prejudica muito, pois, os mais afetados são aqueles trabalhadores que dependem desse tipo de transporte para trabalhar. Ultimamente, estamos com algumas dificuldades na negociação, visto que se tornou comum descumprirem os prazos, entre outras coisas. Já estamos nos preparando para fazer outra manifestação, ofícios, entre outras medidas – contou a cidadã que é afetada pelo problema, e não quis ser identificada. Ela reforçou:- a nossa vontade não precisa ser feita exatamente da forma que pedimos, mas, os responsáveis não aceitam nada que propomos e fica mais difícil chegar a um consenso – destacou.

A população reitera que, a falta de comunicação entre os órgãos e a comunidade tem causado confusões relacionadas aos itinerários dos ônibus.

A CPTrans informou que a localidade do Amoedo já é atendida de forma regular por meio da linha 505 – Vila Manzini. A linha 506 – Vicenzo Rivetti - opera atualmente com a mesma quantidade de veículos, igual a dias úteis no período de férias escolares, ou seja, 80% da operação normal, sendo que a demanda atual é de 65% do total. A demanda na localidade Cidade Nova está sendo analisada para que seja estudada uma solução viável de atendimento à população. Vale ressaltar que a comunidade foi recebida em reunião na sede da CPTRANS, onde da pauta original de pedidos, 80% foram atendidos. Em todo o Carangola, a oferta de ônibus atual é superior a demanda de passageiros. A CPTrans ressalta que trabalha muito para atender da melhor forma todas as comunidades que formam o bairro Carangola.  

Desde a reabertura econômica foram realizados os seguintes ajustes operacionais na região:

Adição de 1 (um) carro na linha 506 – Vicenzo Rivetti;

Adição de 2 (dois) carros na linha 519 – Vale do Carangola;

Retorno a operação normal da linha 529 – Débora Couto Sucupira;

Retorno a operação normal da linha 505 – Vila Manzini;

Retorno da operação normal da linha 526 – Modesto Guimarães

Implantação da linha 504 – Divino – Condomínio Vicenzo Rivetti



Edição anterior (2201):
quinta-feira, 19 de novembro de 2020
Ed. 2201:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2201): quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Ed.2201:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior