Edição anterior (1668):
quarta-feira, 05 de junho de 2019
Ed. 1668:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1668): quarta-feira, 05 de junho de 2019

Ed.1668:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Morre, aos 93 anos, o Dr. Divany Coutinho

O pediatra será sepultado às 11h desta quarta-feira, no Cemitério Municipal

João Vitor Brum

O médico Divany Coutinho, proprietário da importante Clínica Pediátrica que leva seu nome, localizada na Rua Monsenhor Bacelar, faleceu nesta terça-feira (4), aos 93 anos. O velório do pediatra foi realizado na capela do Educandário Terra Santa durante a tarde de ontem, e lotou o local ao longo de todo o dia. O corpo do médico será sepultado às 11h desta quarta-feira (5). A Prefeitura decretou luto oficial de três dias pela morte de Divany e a Unimed Petrópolis, que tem o médico como um de seus fundadores, declarou luto de sete dias.

O médico nasceu em Itaocara em 20 de abril de 1926 e se formou em 1949 na Universidade Federal Fluminense (UFF), com 23 anos. Ele se mudou para Petrópolis no ano seguinte e fundou a Clínica Pediátrica Divany Coutinho há 45 anos. Em 1978, ele recebeu o título de cidadão petropolitano.

Hoje, quatro de seus 10 filhos atuam no local, os pediatras Carlos Henrique e Sérgio, o dentista Paulo Francisco e a psicóloga Maria Luiza.

O prefeito Bernardo Rossi, além de declarar luto oficial de três dias pela morte do médico, destacou que Divany é uma referência na área médica. - Referência na medicina e inspiração para gerações que o sucederam, inclusive os filhos que também se dedicaram à profissão que, mais do que um trabalho, é um ato de amor.  Me uno à família neste momento de dor pela perda de um grande homem que honra a cidade - afirmou o prefeito.

A diretoria da Unimed Petrópolis, em nota, lamentou a perda do médico. Segundo a cooperativa, ele muito contribuiu para a construção da rica história da medicina e do cooperativismo de trabalho médico em Petrópolis.

O diretor do Diário de Petrópolis, Paulo Antônio Carneiro Dias, lamentou a perda de Divany, que foi pioneiro em seu segmento em Petrópolis e manteve a tradição em sua família. O médico e seus filhos atenderam e atendem o jornalista, seus filhos e seus netos.

- A pediatria se iniciou em Petrópolis graças a ele e à família Coutinho como um todo. Divany era um exímio nadador, e até a última semana estava praticando o esporte, uma de suas paixões. Além disso, era um homem muito generoso, ajudava a população carente e criou filhos brilhantes, muito inteligentes, competentes e preparados, em todas as profissões que escolheram – disse Paulo Antônio.

Amiga de Divany há mais de meio século, a médica Rozane Goulart, outra pessoa muito importante no ramo em Petrópolis, destacou o quanto o pediatra ajudou a comunidade da cidade.

- O Divany era um amigo, um irmão, uma pessoa muito querida minha e de minha família. Somos amigos há mais de 50 anos e acompanhamos toda a sua família, e temos um apreço enorme pela sua competência, generosidade e por ser essa pessoa maravilhosa, que prestou grandes serviços à comunidade petropolitana – destacou Rozane.

- Infelizmente, pela minha condição de saúde e pela minha idade avançada, não pude estar presente no cerimonial, mas meu coração estava lá, junto da família, cheio de emoção. Vou guardar no meu coração tudo de bom que ele fez, não só pela minha família, mas pela cidade de Petrópolis e por toda a comunidade. Ele era uma pessoa muito abençoada por Deus. Não podemos esquecer tudo o que ele fez aqui – completou a médica.

O clínico médico e presidente do Sindicato dos Médicos de Petrópolis, Mauro Peralta, que também era amigo de Divany, destacou que não há mais médicos como o pediatra.

- A medicina, para o Divany, não era apenas a arte da cura, mas também a arte do acolhimento, do ser humano. Não há médicos como ele hoje em dia. Ele tratava da mesma forma o filho do ministro e o filho do operário, era um verdadeiro ícone da medicina. Ao meu lado e de mais 18 pessoas, ele fundou a Unicred e Usimed, muito importante para o desenvolvimento da área médica em Petrópolis – destacou Mauro.

Divany era considerado o maior pediatra da cidade, um pioneiro na área, e atendeu gerações de famílias. Nas redes sociais, pacientes lamentaram a perda.

- Descanse em paz!!! Foi o grande médico da minha geração!!! – disse o ex-prefeito Paulo Mustrangi.

- Deus conforte a família. Esse médico incrível, de humanidade incomparável. Ele foi pediatra meu e da minha irmã, e nunca cobrou nem uma consulta, pois minha mãe não tinha condições na época – disse uma mulher na página do Diário.

- Digno do título de melhor pediatra de muitas gerações! Um homem muito além de seu tempo, médico por amor, que ajudava sempre quem precisava e passou esse talento para seus filhos, cada um com seu jeito próprio de amar a vida de seus pacientes e ao próximo. Descanse em paz - disse Bianca Zappala Grotz, também na página do jornal.



Edição anterior (1668):
quarta-feira, 05 de junho de 2019
Ed. 1668:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1668): quarta-feira, 05 de junho de 2019

Ed.1668:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior