Edição anterior (1785):
segunda-feira, 30 de setembro de 2019
Ed. 1785:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1785): segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Ed.1785:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Município investe R$ 12 milhões na merenda

Investimento é para a compra de produtos não perecíveis, hortifrutigranjeiros e proteínas

 

Mensalmente, a Gerência de Alimentação Escolar da Secretaria de Educação distribui nas 183 unidades educacionais da rede municipal de Educação, aproximadamente 220 toneladas de produtos não perecíveis, proteínas, frutas e legumes. Cardápios adaptados de acordo com a idade das crianças e jovens e a alimentação balanceada garantem a composição nutricional adequada para esse público.

“O investimento na compra de produtos de qualidade é uma obrigação do poder público e que está sendo mantida. A compra de produtos diferencias bem como o investimento em proteínas, como carne vermelha, frango, peixes e ovos garante a alimentação necessária para os alunos”, afirma o prefeito Bernardo Rossi, salientando que, nas escolas que oferecem a educação em tempo integral, a alimentação é reforçada. “São alunos que ficam mais tempo na escola, têm acesso a atividades diferenciadas e também reforço na alimentação”.

A expectativa é de que o investimento previsto na compra de gêneros para a merenda escolar, somente nesse ano, alcance R$ 12 milhões através das licitações por registro de preço. Segundo a Gerência de Alimentação Escolar, no depósito da merenda há, aproximadamente, 134 toneladas de gêneros não perecíveis: arroz, café, feijão preto, feijão carioquinha, estrato de tomate, flocos de milho, biscoitos, doce de leite, goiabada, óleo, sal, formula infantil para bebês, leite em pó, achocolatado, entre outros. A cada mês são consumidos, nas escolas e CEIs, cerca de 60 toneladas de gêneros não perecíveis, 112 toneladas de hortifrúti e 48 toneladas de proteínas.

“O acompanhamento também é feito pelas nutricionistas. Elas orientam os diretores, conferem o mapa da merenda que é o documento que revela o quanto cada unidade deve receber de cada item para garantir o cardápio e realizam visitas in loco, tudo para garantir a qualidade da merenda”, explica a secretária de Educação Marcia Palma.

Vale salientar que no depósito da merenda, apenas os alimentos não perecíveis ficam armazenados – enquanto não são encaminhados para as escolas. As proteínas e produtos hortifrutigranjeiros são entregues semanalmente nas unidades da rede, para garantir a qualidade dos alimentos.

Maria José da Conceição, cozinheira no Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio, destaca o que os adolescentes mais apreciam no cardápio: a carne. “O cardápio é bem variado. Adoro fazer a refeição deles. A preferência é o meu picadinho de carne. Quando não tem aula, eles sentem falta e eu fico feliz em saber que eles gostam da minha comida”, disse.

 

Cardápio variado: frutas, legumes e proteínas

Na alimentação escolar são programadas três refeições para alunos em período parcial e cinco refeições para alunos em período integral. As refeições são compostas por porções diárias de leite, proteínas (ovos e carnes), frutas, legumes e verduras, além do tradicional arroz com feijão. Vale salientar que a quantidade oferecida de cada alimento tem como parâmetro a resolução do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) que estabelece a quantidade de calorias, macro e micronutrientes que devem ser oferecidos para cada aluno, como por exemplo, a vitamina A e o Ferro. Para alunos em período parcial, o objetivo é atender a 30% das necessidades nutricionais, já os alunos em período integral, 70%.

No cardápio da merenda há itens como abacate, abóbora, abobrinha, aipim, espinafre, mel, repolho, beterraba, caqui, cebola, inhame, tangerina, tomate e vagem e hortaliças, além de proteínas – carnes vermelhas, peixe e frango e também frutas como banana, maçã, pêra, laranja, maracujá, abacaxi, mamão, melão, melancia e limão.

Entre os itens que entraram no cardápio a partir de 2017 estão: azeite, cereal de arroz, doce de leite, farinha de mandioca, fubá, vinagre e peixes.

Vale salientar que o investimento em merenda feito pelo poder público nos últimos anos tem garantido o cumprimento das especificações do Plano Nacional de Alimentação Escolar – PNAE - que recomenda o uso de 30% dos recursos da merenda para aquisição de gêneros da agricultura familiar. “Comprando do agricultor familiar nós incentivamos o crescimento desse setor no município e garantimos uma alimentação de qualidade”, garante Bernardo Rossi.

Ednaldo dos Santos Azevedo, aluno do 8º ano da EM Celina Schechner, aprova a qualidade da merenda. “É muito boa. Gosto muito de tudo, não tenho nenhuma preferência porque é realmente tudo gostoso”.

 

 



Edição anterior (1785):
segunda-feira, 30 de setembro de 2019
Ed. 1785:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1785): segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Ed.1785:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior