Edição anterior (1842):
terça-feira, 26 de novembro de 2019
Ed. 1842:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1842): terça-feira, 26 de novembro de 2019

Ed.1842:

Compartilhe:

Voltar:


  Mulher

No Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher, CRAM destaca a importância de denunciar o agressor

 
 

O dia 25 de novembro é marcado pela celebração do Dia Internacional da Não-violência com a Mulher. A data foi definida pela Organização das Nações Unidas (ONU), em homenagem as irmãs Pátria, Maria Teresa e Minerva Maribal que eram conhecidas como “Las Mariposas”, pois lutavam por soluções de problemas sociais, em 1960 na República Dominicana. As três foram torturadas e brutalmente mortas por ordem ditador, Rafael Trujillo. Lembrando a data, o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), destaca a importância de denunciar o agressor.

O Cram atendeu de janeiro a outubro deste ano, 545 vítimas de algum tipo de violência doméstica. No último mês, foram 28 novos casos assistidos e 40 retornos de mulheres que participam de todo acompanhamento que o Centro oferece. O levantamento é feito pela equipe do Cram – que é subordinado ao Gabinete da Cidadania e mostra a confiança e segurança das mulheres que buscaram ajuda. Porém, os dados do Centro apontam que muitas vítimas desistem de dar continuidade ao processo da denúncia, colocando em risco a sua própria vida.

“Os números de violência aumentaram muito nos últimos meses, não só em Petrópolis, mas em todo o estado. Vimos que na semana passada em menos de 48h quatro mulheres foram assassinadas no estado do Rio. A data lembra a que as mulheres vítimas devem denunciar seus agressores, pois o município possui uma rede de assistência eficaz, que junto com a equipe do Cram acompanha todo o caso com apoio jurídico e psicológico”, frisou a coordenadora do Cram, Cleo de Marco.

Em Petrópolis, o Dossiê Mulher 2019 – relatório de dados anuais de violência contra mulher, apontou que 35,5% das mulheres sofreram violência psicológica, 52,1% das vítimas variam entre 30 e 59 anos e como a média estadual, 52,7 % dos casos de violência doméstica aconteceram dentro da casa da vítima.

“A data é muito importante, porém lembra que as petropolitanas possuem uma rede de atendimento ampla e de qualidade. Temos o Cram que faz todo o acompanhamento desta vítima, que trabalha em parceria com as delegacias, com a rede de saúde e também com a Sala Violeta no fórum de Itaipava e ainda este ano com a Sala Lilás, oferecendo um acolhimento ainda maior em um momento delicado de violência”, destaca a coordenadora do Gabinete de Cidadania, Anna Maria Rattes.

O Cram possui uma equipe multidisciplinar e oferece gratuitamente assistência social, jurídica e psicológica para mulheres que sofreram qualquer tipo de agressão.

Denuncie:

O Cram possui um telefone de emergência, disponível para chamadas de voz, mensagens de texto ou WhatsApp no número (24) 98839-7387. Para denunciar ou solicitar informações, pode-se ligar para o telefone 2243-6152 ou comparecer à sede do Cram, localizada na Rua Santos Dumont, número 100, no Centro. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, de 8 às 17h. Caso se sinta violentada de alguma forma, a mulher pode contatar a Polícia Militar pelos números 2291-5071, 2242-8005 ou na Central de Atendimento à Mulher pelo 180, além de poder contatar via WhatsApp a emergência da Polícia Militar, pelo número (24) 99222-1489.

 



Edição anterior (1842):
terça-feira, 26 de novembro de 2019
Ed. 1842:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1842): terça-feira, 26 de novembro de 2019

Ed.1842:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior