Edição anterior (1642):
sexta-feira, 10 de maio de 2019
Ed. 1642:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1642): sexta-feira, 10 de maio de 2019

Ed.1642:

Compartilhe:

Voltar:


  Política

Novas leis buscam combater a violência contra a mulher


O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou dados inéditos que geram preocupação em relação à violência contra a mulher, algo crescente no Estado do Rio de Janeiro. Em Petrópolis, apenas em 2018, foram registrados 2.647 casos. O maior número desde o último levantamento. No mês de abril, já tivemos o primeiro registro de feminicídio, do ano, na cidade.

Na Câmara Municipal de Petrópolis, foi protocolado um projeto de lei, de autoria da vereadora Gilda Beatriz (MDB), a única parlamentar mulher na Casa Legislativa, que busca trazer mais segurança para todas as petropolitanas. A ideia é colocar o número do disque denúncia da violência contra a mulher em bares, restaurantes, pousadas, dentre outros.

“São necessárias ações para resguardar as mulheres em nossa cidade. O objetivo da medida é que em um ambiente de descontração, frequentado por homens e mulheres, possamos mostrar, para todos, a seriedade do que é a violência contra a mulher. É incabível vivermos em uma sociedade que o simples fato de você ser do sexo feminino seja um motivador para a violência. Precisamos divulgar o máximo possível os canais para a denúncia e o combate à violência contra a mulher.”, declarou Gilda.

A parlamentar já havia protocolado um projeto que busca a conscientização contra o feminicídio na cidade. Para Gilda, é importante que este tema seja sempre debatido e que haja conscientização sobre os direitos da mulher em caso de violência.

“Não podemos sair de casa sem sentir a insegurança ao andar. Todo o tempo, nós sofremos com o medo da violência contra nós, mulheres. Não podemos viver em um mundo em que sempre vemos novas notícias de feminicídio e agressões pelo simples fato de sermos do sexo feminino.”, completou.

As novas leis propostas pela vereadora, vem de encontro com ações que estão sendo tomadas em todo o Brasil. No final do mês passado (24/04), foi sancionada uma lei em que os bares, restaurantes e casas noturnas, do Estado do Rio de Janeiro, terão que prestar auxílio às mulheres que se sintam em situação de risco em suas dependências.



Edição anterior (1642):
sexta-feira, 10 de maio de 2019
Ed. 1642:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1642): sexta-feira, 10 de maio de 2019

Ed.1642:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior